Alcoolismo – Tratamento, Causas, Malefícios e Efeitos do Álcool

O alcoolismo é provavelmente um dos mais temidos e dos piores problemas de saúde que a população tem nos dias de hoje, não havendo motivos para o seu aparecimento, caracteriza-se pela dependência de uma substância que a longo prazo poderá trazer uma série de complicações ao organismo e outros problemas, nomeadamente a nível pessoal, familiar e profissional.

Está presente em todo o mundo e não atinge apenas uma determinada faixa etária, não escolhendo os alvos, sendo que no caso dos sintomas estes são também muito confusos e torna-se extremamente difícil de perceber a existência do mesmo.

O tratamento do alcoolismo não é uma tarefa fácil, já que em termos práticos a cura não existe, tal como acontece com qualquer outra dependência de químicos, existindo sim vários tipos de tratamentos que podem estabelecer uma nova vida para o paciente.

Na realidade, tendo em consideração que não existe cura, os conceitos de recuperação e de tratamento do alcoolismo são muito difíceis de atingir, principalmente porque na prática este tratamento passa muito pela capacidade que cada um tem de ultrapassar barreiras e dificuldades, assim como a sua própria força mental para sair de um vício.

O que é o alcoolismo ?

Antes de avançar para os efeitos do álcool e o possível tratamento do alcoolismo, é necessário definir o que este realmente é. O alcoolismo, também chamado muitas vezes de dependência alcoólica ou apenas vício do álcool, é uma doença crónica e progressiva, que afecta milhões de pessoas em todo o mundo, independentemente da sua faixa etária, sociedade em que estão inseridos e até escolaridade.

O alcoolismo caracteriza-se pela ingestão de grandes quantidades de álcool diariamente, sem que tenham em consideração esse acto ou que tenham receio de se tornar um vício, acreditando apenas que tudo não passa de um momento e que a qualquer momento o podem largar sem grandes dificuldades.

Geralmente tudo começa com o lado social da vida, bebendo com os amigos ou durante as saídas nocturnas, mas rapidamente a bebida começa a ser uma tábua de salvação para tudo.

No alcoolismo está sempre associado as mudanças radicais de humor, os comportamentos completamente desequilibrados na sua vida pessoal e profissional, podendo avançar o suficiente para conduzir a doenças psicológicas e fisiológicas, que em casos extremos podem levar à morte.

Benefícios do Álcool

Apesar de o álcool estar sempre associado a efeitos nocivos ao vício em si, existem também alguns benefícios que merecem ser destacados, desde que o consumo seja feito com total responsabilidade. Não existem estudos científicos sobre os efeitos positivos da ingestão de álcool, contudo existem alguns especialistas que confirmam que o consumo moderado de álcool poderá trazer uma diminuição de riscos de doenças cardíacas, contudo é importante perceber que não será a ingestão do álcool que vai evitar que estes problemas apareçam.

Não existe uma dose ideal para a ingestão de álcool diariamente, contudo as mulheres são muito mais susceptíveis aos danos que uma dose elevada poderá causar. Em termos práticos diz-se que um copo de vinho por dia não fará mal algum, contudo se fizerem um intervalo de 1 ou 2 dias, sem a ingestão de qualquer tipo de álcool, o organismo irá sentir-se muito melhor e poderá obter melhores resultados.

Contra Indicações

Apesar de todos esses benefícios, é importante salientar que existem alguns casos que esta ingestão é praticamente proibida, nomeadamente grávidas, pessoas que tenham algum tipo de passado com o alcoolismo (as próprias ou familiares próximos), pessoas com antecedentes de AVC hemorrágico, ou então pessoas com doenças no fígado ou pâncreas.

Malefícios do Álcool

O álcool por si só não apresenta qualquer tipo de malefícios, no entanto quando se fala dos malefícios do álcool refere-se essencialmente aos malefícios do seu consumo elevado. Assim, considera-se excessivo a ingestão de mais de 7 bebidas por semana, ou 3 bebidas para as mulheres, sendo que estes valores vão diferindo de especialista para especialista e até do organismo de cada um.

Assim, de acordo com os dados que os especialistas apresentarem para cada caso em particular, o consumo excessivo de álcool poderá trazer uma série de complicações para o organismo e para a própria saúde, como por exemplo:

– câncer da mama, estômago, cólon, fígado e esófago (Leia Também: Câncer – Tratamento, Causas, Fatores de Risco, Sinais, Sintomas e como Diagnosticar)
– cirrose
– acidente vascular cerebral
– pancreatite aguda ou crónica
– osteoporose
– diabetes
– hipertensão arterial (pressão alta)
– impotência sexual
– mal formação durante a gravidez
– psoríase
aumento de ácido úrico no sangue, dando origem ao desenvolvimento da gota.

Estes são apenas alguns dos problemas de saúde que podem surgir com a ingestão excessiva de álcool, contudo além destes é importante também mencionar que apesar dos benefícios que o álcool poderá trazer para os problemas cardiovasculares, quando se fala em consumo elevado transformam-se automaticamente em malefícios.

Além de tudo isto, que é já demasiado perigoso e importante para levar a evitar o consumo excessivo de álcool, é também importante mencionar que existem outros poderes destrutivos deste problema, mesmo sem nenhuma relação com o organismo físico, o alcoolismo leva a problemas variados, nomeadamente no seio familiar e na vida profissional dos pacientes.

Causas do alcoolismo

Qualquer vício surge quando as pessoas menos esperam, contudo no caso do alcoolismo, se a pessoa tem já o hábito de beber no seu dia-a-dia, existem várias possíveis razões para o problema com o alcoolismo.

O historial familiar com o alcoolismo é um desses casos, contudo por outro lado apesar de ser uma das possíveis causas, é também uma grande ajuda, principalmente quando têm alguém que já passou por um tratamento, vendo bem as várias fases que têm que ultrapassar para se livrar deste problema.

A vida social é outra possível causa, principalmente se esta for bastante ativa, já que a passagem por várias festas leva ao consumo de álcool, mais que não seja para a inserção social, nomeadamente em relação à desinibição que acontece, à diversão que garante e ainda ao convívio com outras pessoas. Mas o que para uns são apenas momentos sociais, para outros poderá ser o começo do alcoolismo.

Os problemas do dia-a-dia, o facto de o consumo de álcool levar a um estado de afastamento dos problemas, quando estes acontecem, muitas pessoas acabam por recorrer ao seu consumo para esquecerem os problemas ou as dificuldades pelas quais estão a passar, porém os problemas não deixam de estar lá e quando o efeito for ultrapassado terá outros problemas.

Aqui entram também os conflitos familiares, causados principalmente por separações ou outras situações que levam a uma vida isolada, sendo que o álcool funcionará por momentos como companhia durante esses momentos.

Abuso e dependência do álcool

Existem várias fases e vários problemas que podem vir através do abuso e da dependência do álcool, contudo esta é também uma situação que poderá causar algumas dúvidas, por isso, é considerado o abuso excessivo de álcool quando o indivíduo começa a apresentar pelo menos um dos seguintes problemas:

  • apresentam dificuldades em desempenhar as tarefas que estão habituados a desenvolver, nomeadamente a nível profissional
  • apresentam problemas legais resultantes da ingestão excessiva de álcool, como agressões, entrada em brigas ou acidentes
  • o uso contínuo de álcool, mesmo que estes problemas e dificuldades estejam a causar situações embaraçosas no dia-a-dia
  • o uso de álcool em situações perigosas ou até mesmo a perda de consciência

Por outro lado, quando a situação evolui para uma dependência do álcool, onde a pessoa é denominada de alcoólatra, tudo se modifica. O paciente atinge este patamar quando apresentar a combinação de 3 dos problemas abaixo mencionados:

  • necessidade de beber cada vez mais, para sentir os efeitos do álcool, apresentando assim uma tolerância ao álcool acima do normal
  • necessidade de beber álcool frequentemente, não conseguindo ficar muito tempo sem o consumir
  • incapacidade de controlar o consumo do álcool, mesmo que inicialmente não fosse o seu desejo
  • completa percepção de que tem um problema no controlo do consumo do álcool ou então sentimento de culpa por o fazer
  • dificuldades pessoais ou profissionais, devido ao abuso do álcool
  • passar grande parte do dia a tentar obter álcool ou então a recuperar do abuso anterior

Quando este patamar é atingido, então é necessário recorrer ao tratamento do alcoolismo o mais rápido possível, caso contrário podem começar a surgir cada vez mais problemas e a vida da pessoa poderá desmoronar em apenas alguns dias.

Tratamento do Alcoolismo

Como já foi referido várias vezes, neste momento não existe cura para o alcoolismo e tendo em consideração que tudo não passa de um vício, provavelmente nunca existirá um tratamento 100% eficaz que leve os pacientes a recuperarem deste problema.

Contudo, este poderá ser tratado, sendo que este dependerá da fase em que cada um estará, pois o tratamento será feito à medida do paciente e tendo em consideração as suas acções.

Em primeiro lugar, é imprescindível que o tratamento do alcoolismo seja uma vontade do próprio paciente, pois este terá que estar completamente de acordo com todos os procedimentos que irá passar e é importante mencionar que quanto mais rápido for detectado o problema com o álcool, mais rápido e simples será o tratamento.

Para que o tratamento corra da melhor forma, os pacientes têm, obrigatoriamente, que ter:

Força de Vontade

Provavelmente uma das maiores preocupações que existe para o tratamento do alcoolismo, sendo que este está condenado desde início se o paciente não reconhecer o problema e não tiver plena noção do seu estado actual. Para que o tratamento tenha o efeito desejado, o paciente terá que apresentar uma força de vontade ilimitada, evitando assim as recaídas e as maiores dificuldades que surgem posteriormente.

Desejo de Mudança

Para que o tratamento do alcoolismo corra da forma desejada, os pacientes serão colocados à prova para atingirem determinadas metas, sendo que a recuperação é a maior delas todas, mas para isso correr bem o paciente terá que apresentar um desejo de mudança da sua vida. Mas o desejo não é suficiente apenas por si, pois é necessário combinar também com a força de vontade e com os sacrifícios que serão necessários.

Depois destas duas etapas completas, é tempo de avançar para o tratamento propriamente dito, sendo que existem várias opções disponíveis, dependendo da condição de cada paciente e até do seu próprio desejo.

Tipos de tratamento

Como referido, existem várias opções de tratamento possíveis, funcionando como métodos distintos e ao mesmo tempo complementares. Cada caso é um caso especial e o paciente deverá ser acompanhado e encaminhado para a melhor opção possível, tendo em consideração a evolução do problema.

Desintoxicação

É provavelmente o método mais popular para o tratamento do alcoolismo, caracterizando-se pelo corte radical com todo o tipo de álcool. Em primeiro lugar trata-se os efeitos físicos que o abuso do álcool teve no organismo, contudo se não existirem outros métodos em conjunto com este, é provável que surjam várias recaídas durante todo o processo.

Terapia de grupo e psicoterapia

É um método de complemento à desintoxicação, sendo que funciona como apoio psicológico e aconselhamento de outras pessoas que já conseguiram ultrapassar o problema, dando exemplos e falando sobre a sua vida e as mudanças necessárias.

Existem várias organizações criadas para este efeito, sendo que o melhor mesmo é informar-se junto do especialista que está a acompanhar quais as existentes na sua zona de residência, porém os mais populares são os Alcóolicos Anónimos (AA), com o programa dos 12 passos.

Terapia nutricional

Neste caso em particular não funciona como tratamento propriamente dito, contudo serve para complementar os restantes e apresentar-se como um método necessário para lidar com as dificuldades que o organismo terá nos anos seguintes ao consumo excessivo de álcool.

Medicamentos

Alguns exemplos: dissulfiram, naltrexona, Acamprosato (Campral), Oxibato de sódio, Baclofeno.

Estes medicamentos, receitados e indicados apenas por especialistas, servem essencialmente para suportar o sucesso dos restantes métodos para o tratamento do alcoolismo. A maioria dos medicamentos são essenciais para ajudar na abstinência aguda do álcool, principalmente a nível psicológico e emocional, já que nem sempre o organismo aceita bem as mudanças drásticas.

O tratamento do alcoolismo é bem mais complexo do que poderá aparentar, principalmente porque sendo este um problema muito comum nos dias de hoje devido ao estilo de vida da maioria da sociedade, são muitos os que não lhe dão o devido crédito, acreditando sempre que não passa de uma fase.

Por outro lado, o consumo excessivo de álcool poderá destruir uma vida num abrir e fechar de olhos, sendo que este é um problema mundial que afecta milhões de pessoas, mesmo que não haja uma cura, é possível fugir a este problema, de cabeça levantada, recuperando a vida normalmente e esquecendo tudo pelo que passou.

alcoolismo