Alternativas aos Antidepressivos

Existem vários tratamentos que podem ser usados como alternativas aos antidepressivos no tratamento da depressão e outras doenças relacionadas com o sistema nervoso.

Terapia cognitivo-comportamental

A terapia cognitivo-comportamental (TCC) é um tipo de terapia de diálogo cada vez mais usada no tratamento da depressão. Muitos especialistas recomendam que as pessoas com depressões moderadas a severas sejam tratadas com uma combinação de TCC com antidepressivos. No entanto, se você for incapaz ou não desejar tomar antidepressivos, pode optar por receber a TCC como único tratamento.

A terapia cognitivo-comportamental ajuda-a/o entender os seus pensamentos e comportamento, e como a/o afeta. Ajuda também a reconhecer alguns eventos do seu passado que o podem ter influenciado, mas acima de tudo, foca-se em mudar a forma como pensa, sente e se comporta no presente. Por fim, ensina ainda como superar os pensamentos negativos.

A terapia cognitivo-comportamental está disponível em cada vez mais centros e clínicas de psicologia. Normalmente tem um período curto de sessões individuais, geralmente entre 6 a 8 sessões, ao longo de 10 a 12 semanas. Nalguns casos, pode ser sugerido a terapia cognitivo-comportamental em grupo.

Terapia Cognitivo-Comportamental Online (por skype)

A TCC Online é uma forma de Terapia Cognitivo-Comportamental realizada através do computador, através do Skype ou outro programa especifico, ao contrário de uma sessão ao vivo com o terapeuta. A consulta realizada online não é uma psicoterapia e não a substitui.

Terapia interpessoal (TIP)

A terapia interpessoal (TIP) foca-se nas relações com outras pessoas e nos problemas que pode ter nessas relações, tais como dificuldades em comunicação ou em lidar com o luto. Um curso de terapia interpessoal é normalmente estruturado da mesma forma como na Terapia Cognitivo-Comportamental. Existem algumas provas de que a TIP pode ser tão efetiva como os antidepressivos ou a TCC, mas ainda é necessária mais alguma pesquisa.

Aconselhamento Psicológico

O aconselhamento é uma forma de terapia que ajuda-o a pensar nos problemas que está a ter na sua vida, de forma a descobrir maneiras de lidar com eles. O conselheiro apoia o paciente na procura de soluções, mas não lhe diz o que deve fazer. O aconselhamento normalmente consiste em 6 a 12 sessões com duração de uma hora cada. A conversa com o conselheiro é confidencial. O conselheiro apoia-o e oferece-lhe conselhos práticos. O aconselhamento é ideal para pessoas saudáveis, mas com dificuldade em lidar com uma crise atual, tal como raiva, problemas de relacionamento, luto, redundância, infertilidade ou o aparecimento de uma doença grave.

Exercício físico

Vários estudos mostram que o exercício físico regular pode ser um tratamento mais eficaz para as depressões leves que os antidepressivos. O exercício físico ajuda-o a aumentar os níveis de serotonina e dopamina no cérebro, o que irá melhorar o humor. Fazer exercício de uma forma regular pode aumentar a autoestima e a autoconfiança, o que irá ajudar a aliviar os sintomas da depressão.

Lítio

Se já tentou vários antidepressivos e não sentiu qualquer melhoria, o seu médico pode oferecer-lhe um tipo de medicação á base de sais de lítio, como tratamento adicional ao que já faz atualmente. Existem dois tipos de sais de lítio: carbonato de lítio e citrato de lítio. Ambos são geralmente eficazes, mas se está a tomar um deles e funciona consigo, então não deverá alterar.

Se os níveis de lítio no sangue ficarem altos demais, podem tornar-se tóxicos. Assim, irá necessitar de fazer exames sanguíneos a cada três meses de forma a verificar os níveis de lítio enquanto está a fazer o tratamento. Deverá também evitar seguir uma dieta pobre em sal, pois poderá fazer com que o lítio se torne tóxico. Peça ao seu médico alguns conselhos para a sua dieta.

Os efeitos secundários do lítio incluem:

  • Boca seca;
  • Um sabor metálico na boca;
  • Alguma tremura ligeira nas mãos;
  • Diarreia.

Estes efeitos secundários normalmente passam ao fim de algum tempo após o organismo habituar-se ao medicamento.

Terapia Eletroconvulsiva (Tratamento com choques elétricos)

Por vezes, a terapia eletroconvulsiva (ECT) pode ser recomendada se o paciente tiver depressão grave e os outros tratamentos, inclusive os antidepressivos, não tiverem funcionado. Durante a terapia eletroconvulsiva, o paciente recebe anestesia e medicação no inicio, para relaxar os músculos. De seguida irá receber choques elétricos no cérebro através dos elétrodos colocadas na cabeça.

Poderá ser-lhe prescrita uma série de sessões de terapia eletroconvulsiva. Normalmente é realizada duas vezes por semana, durante 3 a 6 semanas. Para muitas pessoas, a ECT é uma boa forma de aliviar as depressões graves, mas os benefícios tendem a desaparecer ao fim de alguns meses. Algumas pessoas por vezes relatam alguns efeitos secundários desagradáveis, incluindo dores de cabeça de curta duração, problemas de memória, náuseas e dores musculares.

terapia-cognitivo-comportamental