Causas de Actinomicose

A actinomicose é uma infecção rara causada por uma estirpe de bactérias chamadas actinomicetos (Actinomycetales) ou actinobactérias. Os actinomicetos são encontrados em muitas zonas internas do corpo, como no interior da boca e, menos frequentemente, no intestino.

Nas mulheres, também podem ser encontrados no útero e nas Tubas uterinas (trompas de Falópio), por meio do qual os ovos são liberados no útero.

Como se Propaga a Actinomicose

Os actinomicetos são bactérias anaeróbias, o que significa que não sobrevivem em ambientes ricos em oxigénio. Ou seja, elas não causam nenhuma doença ou infecção por se encontrarem dentro do organismo, tal como na boca ou trato gastro intestinal.

No entanto, se os actinomicetos romperem o revestimento protector (mucosa), conseguem penetrar profundamente nos tecidos do corpo. À medida que as camadas mais profundas de tecido humano começam a ser pobres em oxigénio, estas bactérias ganham a capacidade de se reproduzirem de forma rápida e infectar os tecidos saudáveis.

Abscessos

Na tentativa de combater a infecção, o sistema imunológico (a nossa defesa natural do corpo contra infecções e doenças) envia células que combatem a infecção para a fonte infetada. No entanto, estas células não possuem a capacidade de matar as bactérias e morrem rapidamente.

Como as células que combatem a infecção morrem, vão-se acumulando em forma de líquido de cor amarelada chamado pus. Tendo falhado em matar a infecção, o sistema imunológico tenta limitar a sua propagação, utilizando os tecidos saudáveis para formar uma barreira protetora em redor do pus. A esta barreira protetora (inchaço cheio de pus), dá-se o nome de abcesso.

Infelizmente, a estirpe de actinobacterias (actinomicetos) tem a capacidade de penetrar a barreira protectora do abcesso e alastrar-se para os tecidos saudáveis. E o sistema imunológico volta a fazer o mesmo, tenta combater a infecção através da produção de mais abscessos.

Infecção Oportunista

A actinomicose é uma infecção oportunista que não causa sintomas, a menos que surja uma oportunidade para que esta penetre no tecido corporal.

Actinomicose Cérvicofacial

As oportunidades de penetração das bactérias no caso da actinomicose cérvico-facial incluem:

  • cáries dentárias, em particular se a deterioração for deixada sem tratamento durante vários anos
  • doenças da gengiva
  • abscesso dentário
  • amigdalite
  • infecção do ouvido interno
  • cirurgia dentária, como por exemplo uma extração dentária, ou tratamento de canal
  • cirurgia ou trauma na mandíbula

Actinomicose torácica

A maioria dos casos de actinomicose torácica são causados por pequenas partículas de comida ou outro material ingerido que se mistura com os actinomicetos. Em vez de passarem sem causar danos dentro do estômago, as partículas são erradamente transmitidas para a traqueia e vias aéreas dos pulmões.

As pessoas com problemas de álcool e drogas, a longo prazo estão particularmente em risco de desenvolver actinomicose torácica, por dois motivos:

  • estar embriagado ou intoxicado aumenta o risco de ingestão acidental de materiais contendo bactérias para os pulmões
  • a ingestão de drogas e álcool, a longo prazo enfraquece o sistema imunitário, o que faz com que a pessoa fique mais vulnerável a desenvolver uma infecção.

Actinomicose Abdominal

A actinomicose abdominal ocorre quando algo rasga a parede do intestino (tripa), permitindo que as bactérias penetrem nos tecidos profundos. O intestino pode romper como resultado de uma infecção, tal como uma ruptura do apêndice que danifica a parede do intestino. Ou pode ser danificado devido a uma lesão, por exemplo, quando alguém por engano engole uma espinha de peixe.

Existem também alguns casos relatados de actinomicose abdominal que ocorreram devido a uma complicação intestinal ou cirurgia abdominal.

Actinomicose Pélvica

A maioria dos casos de actinomicose pélvica foram registrados em mulheres que estavam a usar o dispositivo intra-uterino (DIU), um dispositivo anticoncepcional que é inserido no útero. O DIU é um pequeno dispositivo, em forma de T, feito de plástico e cobre, que se encaixa no interior do útero. As mulheres afetadas tendem a ser usuárias de longo prazo deste método anticoncepcional (oito anos ou mais).

O que explica os casos de actinomicose pélvica em mulheres que usam o DIU é que, ao longo do tempo, este dispositivo pode danificar o revestimento do útero, permitindo que as bactérias penetrem os tecidos mais profundos. No entanto, ainda não foi realizada nenhuma pesquisa para descobrir se este é ou não o caso.

É importante referir que o desenvolvimento da actinomicose pélvica, como resultado do uso do dispositivo intra-uterino é bastante raro. Na Inglaterra por exemplo, existem milhões de mulheres a usar o dispositivo e apenas foi relatado um pequeno número de casos.

Foto de Actinomicose com Edema Facial

(Veja mais Fotos).