Principais Causas de Intoxicação Alimentar

As causas da intoxicação alimentar podem ser várias. A comida pode ficar contaminada em qualquer fase da sua produção, processamento ou preparação.

Por exemplo, uma pessoa pode sofrer intoxicação alimentar por:

• não deixar a comida cozinhar totalmente (em especial carne de aves, porco, hambúrgueres, salsichas e kebabs;
• não armazenar corretamente a comida que tenha de ser congelada abaixo de 5ºC;
• manter comida cozinhada fora do frigorífico mais de uma hora;
• comer comida que tenha estado em contacto com alguém com diarreia ou vómitos;
• contaminação cruzada (dispersão de bactérias, como a E. coli, de comidas contaminadas);

Contaminação cruzada de alimentos

A contaminação cruzada é uma causa da intoxicação alimentar muitas vezes negligenciada. Acontece quando as bactérias perigosas se propagam pela comida, bancadas e utensílios.

Por exemplo, se preparar frango cru numa tábua de cortar e não a lavar antes de preparar comida que não seja cozinhada (como saladas) as bactérias perigosas podem passar da tábua de cortar para a comida.

A contaminação cruzada também pode acontecer quando a carne crua é armazenada por cima de comidas prontas a comer. Se os líquidos da carne crua pingarem para cima da comida pronta a comer, esta fica contaminada.

causas de intoxicação alimentar

Fontes de contaminação

A contaminação dos alimentos deve-se a bactérias, mas também pode ser devida a vírus ou parasitas. Leia algumas das fontes de contaminação mais comuns abaixo.

Campylobacter

No Reino Unido a campylobacter (bactéria retorcida) é a causa mais comum de intoxicação alimentar. A bactéria campylobacter encontra-se em carnes cruas ou mal passadas (particularmente em aves), leite não pasteurizado e água não tratada. O fígado de frango e o paté de fígado são as causas mais comuns.

Salmonela

A bactéria salmonela encontra-se em carnes cruas e de aves. Também pode encontrar-se em produtos lácteos como ovos e leite não pasteurizado.

Listeria

A bactéria listeria encontra-se em várias comidas prontas a comer frias, tais como:

• sandes embaladas
• paté
• manteiga
• queijos moles, como o brie, camembert, ou outros semelhantes
• queijo azul
• carnes cozinhadas fatiadas
• salmão fumado

Em todas estas comidas deve ter muito cuidado com os prazos “consumir antes de”.

Escherichia coli (E. coli)

A Escherichia coli, conhecida como E. coli, é uma bactéria que se encontra no sistema digestivo de muitos animais, incluindo nós humanos. A maioria das estirpes não é perigosa, mas algumas podem provocar doenças graves. A maioria dos casos de intoxicação alimentar por E. coli acontecem por se comer carne mal cozinhada (hambúrgueres, almôndegas) ou beber leite não pasteurizado.

Vírus

O vírus mais comum das doenças gastrointestinais é o norovírus. O nonovírus transmite-se facilmente de pessoa para pessoa, através de comida ou água contaminada.

O marisco fresco, em especial as ostras, são outra fonte de contaminação viral. Um estudo promovido pela Agência de Normas Alimentares (Foods Standards Agency – FSA) demonstrou que três quartos de ostras retiradas das águas do Reino Unido continham norovírus, no entanto metade destas foram detetadas em baixas quantidade.

Atualmente, estes resultados não estabelecem relação sobre o risco de adoecer quando se compra ostras e quando se consomem. A FSA aconselha os idosos, grávidas, crianças jovens e pessoas com a saúde debilitada a evitar comer marisco cru ou mal cozinhado para assim reduzir o risco de intoxicação alimentar.

Parasitas

A intoxicação por parasitas é rara, e é mais comum nos países em desenvolvimento.

Toxoplasmose

A toxoplasmose é o parasita mais comum de intoxicação alimentar em alguns países. A toxoplasmose ocorre devido à presença de um parasita no sistema digestivo de muitos animais, em especial nos gatos. Os humanos podem adquirir toxoplasmose ao consumir comida e água contaminada por fezes de animais infectados ou carnes contaminadas mal cozinhadas.

Leia mais sobre: Intoxicação Alimentar