Cirurgia de Implante Dentário

A cirurgia de implante dentário destaca-se como a alternativa de reconstrução dentária mais viável a que é possível ter acesso nos dias de hoje.

Fruto de décadas de investigação e aperfeiçoamento por parte de profissionais de topo na área da odontologia, esta técnica comporta consigo um número de vantagens muito acima daquele oferecido por outras alternativas mais convencionais, como é o caso das próteses removíveis.

O que torna o implante dentário tão especial não é apenas o facto de constituir uma opção de carácter totalmente fixo, mas também o elevado nível de conforto, segurança e funcionalidade que proporciona aos seus utilizadores.

Caracterizado por resultados estéticos excepcionais, o implante dentário é a única solução de substituição dental que permite uma simulação perfeita da estrutura dentária natural. Apesar dos elevados custos associados a esta cirurgia, é apenas através dela que é possível resolver eficazmente problemas de falta de dentes.

Apesar da sua crescente popularidade, existe ainda muita desinformação relativamente à natureza desta cirurgia. O facto de ser um procedimento invasivo leva os menos informados a acreditar que o mesmo comporta consigo um elevado número de riscos.

Felizmente, com o desenvolvimento das técnicas e equipamentos associados à cirurgia de implante dentário, este tratamento odontológico tem vindo a tornar-se cada vez mais seguro, favorecendo assim taxas de sucesso acima dos 95%.

Conteúdos a não perder:

Quanto tempo dura um Implante Dentário

De modo a promover o esclarecimento de algumas dúvidas relativas às características da cirurgia de implante dentário, de seguida abordaremos de forma detalhada cada uma das fases que compõem este procedimento. Esta é uma cirurgia caracterizada por diversos passos, sendo que cada um deles desempenha um papel fundamental na obtenção do sucesso pretendido.

Avaliação e diagnóstico

Durante a fase de avaliação e diagnóstico, o dentista examina cuidadosamente as características do problema do paciente. Através da avaliação cuidada das necessidades do mesmo, o odontologista poderá determinar quais os métodos mais viáveis a serem adoptados para a substituição da estrutura dentária do paciente.

A razão pela qual esta fase é tão importante deve-se ao facto de cada paciente apresentar necessidades muito especificas, que precisam de ser devidamente atendidas para que os resultados desejados sejam eficazmente alcançados.

Na fase de avaliação e diagnóstico, o especialista levará em consideração factores como a idade do paciente, estado de saúde, qualidade da estrutura óssea e estado dos dentes remanescentes. A partir destas informações, conseguirá reunir os esforços necessários para que a segurança do paciente durante o procedimento cirúrgico esteja garantida.

Durante esta fase também será decidido se o paciente se encontra ou não elegível para uma uma cirurgia de implante dentário. Caso apresente um problema de saúde mais sério, o paciente poderá não ser admitido, uma vez que esta cirurgia só é levada a cabo quando é possível garantir a sua segurança, não só durante a cirurgia, como também no pós-cirúrgico.

Pacientes que não apresentem as condições necessárias para se submeterem a uma cirurgia deste tipo, terão de se contentar com alternativas menos invasivas, que não apresentem qualquer tipo de risco para a sua saúde.

Anestesia

Após a devida instalação do paciente, é aplicada uma anestesia que prevenirá qualquer tipo de dor ou desconforto durante a execução da cirurgia de implante dentário. Segundo diversos relatos, acredita-se que a esmagadora maioria dos pacientes não sinta absolutamente nada durante o procedimento cirúrgico.

Em certos casos, poderá ser solicitada a presença de um anestesista especializado, de forma a supervisionar todo o processo e prestar o devido auxílio caso assim se justifique. Isto tende a acontecer em casos mais específicos, onde existe o risco do paciente vir a sofrer complicações durante a cirurgia, devido a determinados problemas de saúde que possa ter.

Existe algum receio de anestesias por parte de pacientes que sofrem de certas doenças crónicas, uma vez que temem que haja a possibilidade de algo vir a correr mal durante a instalação dos implantes. No entanto, vale a pena referir que a anestesia é sempre aplicada de acordo com as limitações de cada paciente.

Se o mesmo tiver diabetes, por exemplo, então o cirurgião terá de fazer alguns ajustes, de modo a certificar-se de que anestesia não afectará negativamente saúde do paciente. Raramente a anestesia dá origem a complicações durante o procedimento, pelo que, é seguro encará-la como um elemento totalmente seguro da cirurgia de implante dentário.

Muitas cirurgias duram menos de 40 minutos, e no final das mesmas, os pacientes geralmente afirmam não se lembrar de absolutamente nada. Este é, portanto, um tratamento extremamente rápido e confortável para aqueles que a ele se submetem.

Incisão

A incisão é caracterizada por um pequeno corte na gengiva que tem como objectivo expor o osso do paciente, na região onde o implante irá ser instalado. Esta é a parte que mais costuma assustar o paciente, uma vez que tende a haver um certo receio de que haja muita dor envolvida. No entanto, como explicado anteriormente, a anestesia, caso seja devidamente aplicada, evitará qualquer tipo de desconforto.

O corte efectuado é muito pequeno, e por isso cicatrizará de uma forma extremamente rápida e sem oferecer grandes problemas para o paciente. Através da exposição da estrutura óssea, o cirurgião conseguirá determinar com a máxima exactidão possível o local de inserção do implante dentário.

Vale a pena referir que esta fase é apenas válida para implantes dentários convencionais. Caso o procedimento em questão se trate de um implante guiado, não haverá qualquer necessidade de realização de incisões, uma vez que o cirurgião conseguirá determinar o local de instalação do implante através de um aparelho informático, que permite mapear em 3D toda a estrutura dentária do paciente.

Esta alternativa tende a ser, não só a mais rápida, como também a mais segura, uma vez que anula por completo o risco de infecções e não exige que o paciente tenha de esperar pela cicatrização da gengiva para poder instalar as próteses nos implantes dentários.

Infelizmente, ainda nem todas as clínicas de odontologia oferecem esta solução, e aquelas que oferecem, geralmente tendem a disponibilizá-la a um preço muito mais elevado do que o associado às alternativas mais convencionais. Apesar dos custos extra, os implantes guiados constituem um excelente investimento para o futuro.

Em determinados casos, quando é necessário realizar um elevado número de incisões, o processo poderá ser distribuído por diversas sessões.

Perfuração

A perfuração ocorre logo após as incisões. Assim que o osso fica exposto, o cirurgião poderá dar inicio à perfuração, que tem como objectivo criar espaço para a inserção dos implantes. A perfuração é efectuada por uma broca, cujas dimensões irão variar consoante o tamanho do próprio implante.

Este é um processo lento e efectuado de uma forma bastante cuidadosa, uma vez que o mais pequeno erro poderá impossibilitar a instalação do implante dentário, anulando assim toda a cirurgia. Tal como acontece na incisão, a perfuração não causará qualquer tipo de dor nem desconforto para o paciente, quer durante a cirurgia, quer após.

Esta fase só pode ser levada a cabo caso o paciente apresente uma estrutura óssea maxilar em excelente estado. Quando uma pessoa permanece um largo número de anos com falta de dentes, é frequente ocorrer uma deterioração da sua estrutura óssea, que ao não ter dentes para suportar, vai perdendo gradualmente as sua capacidade de suporte.

Casos como este são bastante frequentes e podem dificultar a instalação de um implante dentário. Este problema pode, no entanto, ser facilmente resolvido através de uma cirurgia de enxerto ósseo, que tem como objectivo repor a massa óssea em falta, permitindo assim uma instalação segura dos implantes dentários.

A massa óssea utilizada neste procedimento pode ser sintética, ou então retirada de certas regiões do corpo do paciente. Apesar da cirurgia ser relativamente simples e rápida, acaba por contribuir sempre para atrasar o processo de colocação de implantes dentários.

Colocação do implante

O implante só é instalado após todas as fases anteriores terem sido devidamente concluídas. Após a perfuração, o processo de instalação do implante torna-se extremamente simples e é, geralmente, feito numa questão de poucos minutos.

Desde que o procedimento seja um sucesso, o implante conseguirá manter-se totalmente fixo na estrutura óssea do paciente durante períodos que poderão, muitas vezes, ultrapassar os 20 anos.

É isto que faz do implante dentário uma alternativa tão apelativa, uma vez que só através dele é possível garantir que os dentes artificiais não oferecerão qualquer tipo de instabilidade ao seu utilizador.

Suturação

Após o implante ter sido acomodado na estrutura óssea, procede-se então à realização de uma pequena suturação da região aberta na fase inicial do processo. Esta suturação tem como objectivo garantir a cicatrização e promover uma recuperação o mais rápida possível. Este um processo limpo, rápido e sem qualquer tipo de desconforto envolvido.

Como é possível constatar, todo o processo de instalação de implantes tende a ser relativamente simples, e quando executado por profissionais verdadeiramente competentes, acabará sempre por nunca envolver grandes riscos para o paciente. Vale a pena relembrar que, todos estes passos, são apenas válidos para as cirurgias de implante dentário mais convencionais.

Hoje em dia existem já diversas variantes de implantes dentários, e para cada uma delas o processo poderá revelar-se ligeiramente diferente, tal como acontece com os implantes dentários guiados, que anulam totalmente a necessidade de realização de incisões na gengiva.

Apesar da instalação dos implantes em si ser relativamente simples, a fase pós-cirúrgica tende a apresentar um maior número de complicações. Durante esta fase, o paciente assume um papel de grande responsabilidade pela sua recuperação, e caso não siga todas as recomendações do seu dentista à risca, os resultados poderão ser desastrosos.

A maior parte dos casos de insucesso não estão relacionados com a cirurgia de instalação dos implantes, mas sim com a fase pós-cirurgia, e quase sempre são o resultado de negligência por parte do paciente.

Durante a fase pós-cirúrgica, o paciente deverá submeter-se a um regime alimentar em devida conformidade com as recomendações do seu dentista. Alimentos muito sólidos não poderão ser consumidos durante alguns meses, e é importante que seja levada a cabo uma higiene dentária extremamente rigorosa.

Isto ajudará a evitar infecções que poderão dar origem, não só à queda dos implantes, anulando assim todo o trabalho feito, como também ao aparecimento de doenças periodontais mais sérias, entre elas o cancro bucal, que muitos problemas poderá trazer para a saúde do paciente.

Apesar dos riscos inerentes a esta fase, para que tudo corra pelo melhor, o paciente apenas necessitará de adoptar todos os cuidados necessários, sem nunca negligenciar a importância dos mesmos para uma recuperação eficaz das suas gengivas.

Uma das maiores desvantagens da cirurgia de implante dentário é que, geralmente, a conclusão definitiva da mesma poderá levar mais de 6 meses, criando assim diversos obstáculos para o paciente, que durante esse período terá de viver com um grande número de limitações limitações, sendo que, por vezes, poderá até haver a necessidade de meter baixa do seu trabalho. F

elizmente, com os mais recentes avanços na área da odontologia, o tempo de recuperação tende a ser cada vez menor, diminuindo assim as taxas de insucesso e permitindo que o paciente possa ver todo o trabalho totalmente completo no espaço de poucos meses, e por vezes até semanas.

Antes de se submeter a uma cirurgia de implante dentário é importante que se informe muito bem relativamente às diversas implicações da mesma, como é o caso do tempo de recuperação. Se não estiver totalmente consciente em relação aos requisitos desta cirurgia, poderá vir a ter dificuldade em lidar com as suas consequências.

Fotos Antes e Depois

implantes dentarios fotos antes e depois 8

Clique de seguida para ver mais Fotos de Implantes Dentários – Antes e Depois.