Colesterol Total

O que é o Colesterol Total?

Em termos gerais, a maioria das pessoas refere-se ao colesterol total apenas como colesterol, idealizando que é apenas uma das características e problemas de saúde que afectam o sangue, contudo existe muito mais para saber do que apenas isso.

Este, denominado de colesterol total, é em termos práticos a soma das várias fracções que existem, nomeadamente o colesterol HDL, LDL, VLDL e ainda triglicerídeos, de acordo com uma fórmula específica, para que os especialistas consigam avaliar os valores apresentados nos exames da melhor forma possível, para que seja possível entregar os tratamentos mais adequados.

Quando se fala em colesterol total, como já foi falado, este engloba as fracções componentes do mesmo, daí que a fórmula foi criada com base na importância que cada uma delas tem.

Para compreender na perfeição o funcionamento, as características e as consequências dos valores do colesterol total é imprescindível saber tudo sobre as várias fracções, sabendo quais os valores a ter em consideração para que o organismo não tenha problemas.

Assim, o colesterol LDL, chamado muitas vezes de colesterol mau é o que requer mais atenção por parte dos pacientes, pois este é caracterizado pela acumulação de gordura nas paredes das artérias, dificultando bastante o movimento natural do sangue, resultando assim num enorme risco de aparecimento de problemas cardíacos.

Por outro lado, o colesterol VLDL tem como principal função transportar triglicerídeos, através do sangue, no entanto assim que este entra no sangue, transforma-se em colesterol LDL, com todas as características e consequências que este apresenta.

Assim, estas fracções são as mais preocupantes para os pacientes, que devem sempre manter os níveis bastante controlados, nos valores mínimos, evitando os riscos de problemas cardíacos. Por outro lado, o colesterol HDL é o chamado colesterol bom é aquele que não deve ter níveis muito baixos, pois as consequências podem ser enormes.

Como já foi referido em cima, existe uma fórmula, chamada de Fórmula de Friedewald, que controla a soma do colesterol, para que seja dado o valor exacto de colesterol total. Essa fórmula é traduzida da seguinte forma:

Colesterol (LDL) = Colesterol Total – (Colesterol HDL + Triglicerídeos/5)

Sendo que este é considerado alto, o que significa que se torna prejudicial à saúde do organismo e com possíveis consequências graves, quando os seus valores são superiores a 200 mg/dl.

Causas do Colesterol Total alto

O colesterol é um dos problemas de saúde que mais afecta a sociedade e que mais medo garante às pessoas, pois as suas consequências são extremamente graves e sendo uma doença silenciosa, tudo o que os pacientes têm que fazer é evitar ao máximo as possíveis causas, fazendo com que o problema não apareça ou pelo menos não tenham tantos riscos de isso acontecer.

Uma das principais causas e talvez a mais acessível de mudar é a má alimentação. A maioria das pessoas que têm uma vida agitada têm uma tendência para descorar da sua alimentação, privilegiando as refeições rápidas e os pré-cozinhados, sem dar a verdadeira importância a uma refeição completa e rica em alimentos bons.

Por outro lado, com isso vem também a idade, que quando os dois factores se juntam os resultados são ainda mais graves.

A tendência familiar é outro factor a ter em consideração, por isso se existe historial do problema nos seus familiares mais directos é imprescindível que faça exames regularmente, pois os sintomas são inexistentes e apenas com exames frequentes se pode avaliar a situação de forma eficaz e prevenir o avanço do problema.

Por último, mas extremamente importante, juntando a todos estes factores uma vida sedentária é extremamente negativa para a saúde de todo o organismo, principalmente no que diz respeito ao colesterol, já que este não é capaz de controlar os valores e com isso poderá trazer vários tipos de consequências graves, tratáveis apenas através de tratamentos intensos.

Valores de referência do Colesterol Total

Como foi falado, existem valores de referência que as pessoas devem conhecer, sabendo assim quais os passos a dar, evitando problemas futuros para o seu corpo e o seu organismo.

Baixo Risco – valores de colesterol total menor que 200 mg/dl, colesterol HDL maior que 40mg/dl nos homens ou 50mg/dl nas mulheres, colesterol LDL inferior a 160mg/dl e ainda triglicerídeos abaixo de 150mg/dl.

Risco Intermédio – valores de colesterol total menor que 200 mg/dl, colesterol HDL maior que 40mg/dl nos homens ou 50mg/dl nas mulheres, colesterol LDL inferior a 130mg/dl e ainda triglicerídeos abaixo de 150mg/dl. Os pacientes diabéticos têm também um risco associado, sendo por isso necessário um acompanhamento regular.

Alto Risco – valores de colesterol total menor que 200 mg/dl, colesterol HDL maior que 40mg/dl nos homens ou 50mg/dl nas mulheres, colesterol LDL inferior a 100mg/dl e ainda triglicerídeos abaixo de 150mg/dl.

Alto Risco Grave – valores de colesterol total menor que 200 mg/dl, colesterol HDL maior que 40mg/dl nos homens ou 50mg/dl nas mulheres, colesterol LDL inferior a 70mg/dl e ainda triglicerídeos abaixo de 150mg/dl.

Colesterol Total na Gravidez

Durante o período de gravidez o nosso organismo irá funcionar de uma forma diferente do normal, não querendo por isso dizer que todos os valores são diferentes ou que existe uma menor preocupação, muito pelo contrário, pois qualquer pequena alteração poderá significar consequências bastante graves e por isso é extremamente importante manter tudo o mais normal possível.

No caso do colesterol, é normal que os valores aumentem significativamente, nomeadamente num aumento de até ao máximo de 60%, sendo que mais que isso poderá ser considerado um problema de saúde grande e é necessário ter bastante cuidado com os riscos.

Assim, os médicos especialistas aconselham as pacientes a evitar qualquer tipo de exageros, de forma a diminuir bastante os riscos para a saúde de ambos, da mãe e do bebé.

Por isso, é aconselhável que a mãe tenha uma boa alimentação, evitando refeições muito pesadas, comidas fritas e refrigerantes em excesso, assim como a prática de exercício físico, no entanto neste caso há mais cuidados do que a maioria dos pacientes.

Enquanto os restantes pacientes podem avançar para exercícios mais intensos, no caso das grávidas os especialistas aconselham apenas os alongamentos, as caminhadas e a natação, os chamados exercícios leves.