Colesterol – Causas, Sintomas, Tratamento e Lista de Alimentos

Num momento em que as pessoas estão cada vez mais preocupadas com o seu estilo de vida, a prática de exercício físico e a adopção de uma alimentação equilibrada, é essencial saber tudo o que é necessário sobre o colesterol, tendo em consideração o efeito que este tem no organismo, principalmente quando não se encontra controlado.

Apesar de todos os organismos terem colesterol, este deverá encontrar-se controlado, de preferência sempre de acordo com os valores sugeridos pelo médico de família, garantindo assim que não se formam efeitos secundários e que o restante organismo não se ressente.

Ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, pois a sociedade tem sempre a tendência a dizer que a existência do colesterol é prejudicial à saúde, este desempenha funções essenciais para o bom funcionamento do mesmo e é necessário no organismo, contudo o excesso é também prejudicial e tem uma ligação directa com as doenças cardiovasculares.

Em termos resumidos, existe o colesterol bom e o colesterol mau, sendo que um depende do outro e vice-versa, contudo no caso do colesterol bom, este poderá transformar-se em negativo para o organismo se não tiver o controlo desejado por parte do paciente.

Apesar de muitas vezes os pacientes usarem o nome colesterol para mencionar o colesterol mau, é também preciso conhecer todas as características do mesmo, sabendo as suas vantagens, desvantagens, tipos e acima de tudo, dicas para prevenção e tratamento.

O que é o colesterol?

O colesterol é um género de gordura, existente nas células, sendo que apesar da maioria das pessoas ver apenas o seu lado negativo, é fundamental para o bom funcionamento do organismo. Este tipo de gordura é necessário para o crescimento e regeneração das células, além de outras funções, como por exemplo a ajuda na digestão ou então a produção de hormonas sexuais.

Este além de estar presente no nosso organismo de forma natural, está também presente em alguns alimentos, na maior parte dos casos, presente na alimentação diária da maioria das pessoas. Por isso é que, quando alguém apresenta valores demasiado elevados de colesterol no sangue, uma das primeiras alterações a fazer é referente ao tipo de alimentação diária do paciente, assim como ao seu estilo de vida.

Como já foi referido, existem essencialmente dois tipos de colesterol, o bom e o mau, sendo que cada um deles tem as suas características, porém, independentemente do tipo de colesterol que é, os valores devem manter-se o mais controlados possível. Aumentos drásticos de valores ou alterações significativas podem ser indícios de algum problema mais grave no organismo, portanto é estritamente necessário a consulta do médico de família o mais rápido possível.

Tipos de colesterol

Apesar do colesterol ser essencial para o bom funcionamento do organismo, é importante compreender a diferença entre os vários tipos de colesterol que pode existir no organismo. Geralmente existe apenas a diferenciação entre o colesterol bom e o mau, mas há muito mais informações para além disso.

Colesterol HDL

Mesmo com este nome tão complexo, é conhecido entre a sociedade pelo colesterol bom, produzido normalmente pelo próprio organismo, sendo que este é fundamental para o bom funcionamento do mesmo.

Neste caso em particular, o paciente deverá ter bons níveis de colesterol HDL no organismo, tendo uma dieta equilibrada, pobre em gorduras, acompanhando sempre a prática de exercício físico, para manter sempre o peso ideal, em consideração à sua estrutura física. Ao contrário dos restantes tipos de colesterol, ter o colesterol HDL baixo no seu organismo, é bastante prejudicial à saúde do mesmo, sendo que existem valores de referência a ter em consideração, nomeadamente:

– menos de 40mg/dl para homens e menos de 50mg/dl para mulheres, é considerado baixo
– acima de 60mg/dl, é considerado o valor ideal para ambos

Saiba mais sobre o Colesterol HDL.

Colesterol LDL

Por outro lado, este é o tipo de colesterol temido por qualquer pessoa, pois é aquele que apresenta problemas para o organismo, sendo que é considerado alto a partir do momento que o seu valor ascende a 130 mg/dl.

Estes valores, geralmente, significam que existe uma camada de gordura nas paredes dos vasos sanguíneos, o que a longo prazo significa que o sangue terá dificuldades em se movimentar de forma normal, podendo até original um ataque cardíaco ou acidente vascular cerebral.

Existem alguns valores de referência que os pacientes devem em ter atenção, nomeadamente:

– valores acima de 130 mg/dl, é considerado alto
– valores abaixo de 130 mg/dl, é considerado normal
– valores abaixo de 100 mg/dl, é considerado ideal

Para os pacientes conseguirem reduzir bastante os valores de colesterol mau no seu organismo, devem seguir uma dieta pobre em gorduras e açúcares, combinando ainda a prática de exercício físico, 3 vezes por semana no mínimo.

Além disso, é importante ainda referir que o colesterol mau alto em conjunto com outros problemas de saúde, como é o caso da diabetes, hipertensão, obesidade, obrigam a valores ainda mais baixos, nomeadamente o mais próximo possível de 100 mg/dl.

Saiba mais sobre o Colesterol LDL.

Colesterol VLDL

Não é o tipo de colesterol mais falado entre os pacientes, porém é também importante saber os pormenores do mesmo, evitando assim as complicações cardíacas, que tanto afetam o organismo de qualquer pessoa.

Leia Também  Colesterol HDL

Este tipo de colesterol é responsável pelo transporte dos triglicerídeos, aumentando drasticamente o risco de aparecimento de doenças cardíacas.

Existem também valores de referência a deter:

– acima de 40 mg/dl, é considerado alto
– abaixo de 30 mg/dl, é considerado baixo
– até os 30 mg/dl, é considerado o valor ideal

Leia mais sobre o Colesterol VLDL.

Colesterol Total

Este é o mais conhecido entre a população em geral, sendo exatamente a soma dos três tipos mencionados em cima, HDL, LDL e VLDL, sendo que ter estes valores altos, representa automaticamente um grande risco de doenças cardiovasculares, por isso é essencial que o paciente mantenha sempre estes valores controlados.

O valor aconselhado, pela maioria dos médicos, é de 200 mg/dl, no entanto alguns pacientes podem ter um pouco mais elevado, necessitando apenas de reduzir a ingestão de gorduras, evitando assim que o valor suba ainda mais.

Leia mais sobre o Colesterol Total.

Causas

Muitas vezes as pessoas assumem que todas as doenças que influenciam o sangue têm apenas ligação com o estilo de vida e o tipo de alimentação que cada um faz, porém no caso do colesterol existem mais causas que devem ser levadas em conta, para que o diagnóstico seja feito o mais pormenorizado possível e para que o tratamento seja também adequado e o mais eficaz possível.

O colesterol poderá ter várias causas, sendo as mais comuns: a alimentação, ou neste caso a adoção de uma alimentação completamente desequilibrada e favorecendo o tipo de alimentos que são prejudiciais para o organismo; álcool e drogas, a ingestão de demasiado álcool no seu dia-a-dia e até o consumo de drogas são propícios para o aparecimento de colesterol, entre outros problemas no organismo; diabetes, apesar de não ser implícito que os pacientes com diabetes tenham colesterol alto, é um caso a ter em atenção já que todo o organismo é afetado; hipotiroidismo e hipertiroidismo; insuficiência renal e ainda o fator genético, já que existe um componente hereditário que deve também ser levado em conta.

Contudo, uma das principais causas do aparecimento de colesterol na maioria das pessoas, está ligado com o estilo de vida que estes levam, principalmente no que diz respeito a uma alimentação irregular e uma dieta mal estruturada, juntando ainda a vida sedentária, sem qualquer tipo de exercício físico e motivações, para que o corpo se comece a ressentir, os problemas surjam e o organismo seja o mais afetado.

Fatores de Risco

Como foi referido em cima, mesmo que existam outras possíveis causas para o aparecimento de colesterol no organismo de um paciente, a maioria dos casos estão relacionados com as más escolhas feitas para o dia-a-dia, seja a nível de alimentação ou até de atividades.

Assim, um dos fatores de risco mais importantes e a ter em consideração por todos é a adoção de uma alimentação repleta de gorduras saturadas e açúcares, não só irá facilitar o aparecimento do colesterol, como ainda resultará em excesso de peso, outro dos fatores de risco da doença, entre outros problemas, nomeadamente as doenças cardiovasculares, que se tornaram, nos últimos anos, as principais causadoras de uma grande percentagem de mortes na nossa sociedade.

Por outro lado, apesar de hoje em dia esta tendência estar a mudar, são as mulheres as mais afetadas pelo problema de saúde, principalmente logo após o início da menopausa.

Porém, este fator está a mudar drasticamente, pois nos últimos anos tem vindo a notar-se um grande aumento de interesse por parte das mulheres em manter uma vida mais saudável, adotando uma alimentação bastante equilibrada e praticando exercício físico regularmente, afastando assim a possibilidade de aparecimento de colesterol e outras doenças, nomeadamente cardiovasculares.

Em suma, apesar de não ser garantido, se a pessoa adoptar um estilo de vida saudável, não apenas na alimentação, como também nas escolhas que fazem para o seu dia-a-dia, diminui significativamente a possibilidade de aparecimento do problema.

Sintomas

Existem muitos problemas de saúde e doenças até bastante graves que são normalmente chamados de inimigos silenciosos, isto é, não têm grandes sintomas ou sinais que possam evidenciar o seu aparecimento, tal como é o caso do colesterol. Estes problemas de saúde, que não têm sinais ou sintomas evidentes, são os mais perigosos de todos, pois geralmente apenas dão sinal de si quando já estão demasiado avançados.

No caso do colesterol, quando este já apresenta valores realmente altos, os sinais evidentes podem resultar apenas da formação de placas de gordura nas paredes das artérias, porém neste caso é extremamente importante que o paciente esteja já a realizar um tratamento adequado, pois as consequências podem ser demasiado elevadas no momento.

Quando esta situação, da acumulação de gordura nas paredes das artérias, atinge as artérias coronarianas, pode levar a situações realmente complicadas, com o infarto de miocárdio ou angina de peito, sendo que aí os sintomas são mais evidentes, como as dores no peito, a falta de ar, a fadiga excessiva e até as palpitações.

No caso de serem as artérias carebrais a ser as afectadas, podem ocorrer outros problemas, como o acidente vascular cerebral, que em termos práticos apresentam também outros tipos de sintomas.

Assim, tendo em consideração que não existe uma lista pré-definida de sinais e sintomas, é essencial que os pacientes avaliem e vigiem os seus níveis de colesterol de forma constante e frequente, principalmente aqueles que têm casos, na família, de doenças cardiovasculares, sendo que neste caso é aconselhado que o paciente faça a vigilância anualmente.

Diagnóstico

Tendo em consideração que este problema de saúde não apresenta sinais e sintomas definidos, é fundamental que o diagnóstico seja feito de forma gradual, isto é, deve ser o próprio paciente a requisitar análises anuais, principalmente quando estes têm mais de 30 anos, vigiando não só os níveis de colesterol como também outros valores importantes.

Leia Também  Cirurgia Vascular - Riscos, Benefícios, Resultados, Recuperação e Pós-operatório

O diagnóstico é feito através de um teste de sangue, chamado lipidograma ou perfil lipído, medindo os valores e sabendo exactamente se está dentro dos valores de referência. O paciente não deve comer ou beber nada, nas últimas 12 horas, antes de fazer o exame, caso contrário os valores serão diferentes e podem influenciar de forma directa o diagnóstico eficaz e correcto.

Este exame dará informações sobre o colesterol LDL, HDL e total, sabendo que cada um apresenta os seus próprios valores de referência, será necessário a consulta médica para saber se as variações são significativas e influenciam no aparecimento de outros problemas de saúde.

Assim, em jeito de conclusão, o paciente deverá fazer pelo menos uma consulta médica anualmente, requisitando os exames básicos para controlar os seus órgãos e o bom funcionamento do mesmo, sendo que as análises de sangue são dos primeiros exames a requisitar ao seu médico de família. É exactamente com este exames que os pacientes podem prevenir a evolução da doença, controlando os valores, evitando assim que estes aumentem exponencialmente, trazendo depois complicações.

Complicações

Quando se fala no sangue, ou na sua composição, a maioria dos pacientes sabe que a mais pequena alteração pode significar necessidades diferentes, problemas de saúde graves e consequentemente tratamentos muitas vezes bastante intensos e complicados de controlar.

Em geral, o colesterol está associado à possibilidade de surgimento de doenças cardiovasculares, sendo que estas estão também relacionadas com uma das maiores causas de morte na nossa sociedade de hoje em dia.

No caso específico, o colesterol está também sempre associado ao aterosclerose, que é o endurecimento das paredes dos vasos sanguíneos, causado pela acumulação de gordura nas suas paredes, diminuindo o diâmetro dos mesmos e até a possível obstrução total, causando uma série de problemas mais graves.

Assim, as maiores e mais importantes possíveis complicações que o colesterol poderá apresentar é o aparecimento de doenças cardiovasculares, sendo que no caso dos pacientes terem outros factores de risco, as complicações podem tornar-se ainda mais certas e ao mesmo tempo intensas.

Entre estes factores de risco está o facto do paciente ter excesso de peso, ser fumador, ter pressão arterial alta, ter historial familiar de doenças cardiovasculares ou a diabetes.

Tratamento

Esta e uma doença extremamente comum na sociedade dos dias de hoje, por isso é normal que haja também uma maior necessidade de encontrar os melhores tratamentos possíveis.

Contudo, ao contrário do que acontece com outras doenças que afectam o sangue, o melhor tratamento que o paciente pode realizar é a prevenção, no caso desta já não ser possível, ou seja, no caso da doença já estar instalada, a melhor forma de controlar o colesterol e até o eliminar por completo é mudar de vida.

Por vezes os pacientes podem acreditar que fazem tudo bem no seu dia-a-dia, mas uma mudança significativa de estilo de vida pode ser o suficiente para evitar os tratamentos mais intensos e as possíveis complicações.

Assim, os pacientes devem reduzir o máximo possível o nível de stress que vivem no seu dia-a-dia, devem aumentar a prática de exercício físico, manter a sua pressão arterial controlada e estável e ainda evitar ganhar peso em excesso, sendo que neste caso é fundamental adoptar também uma dieta equilibrada, reduzindo ao máximo a ingestão de gorduras animais.

Por outro lado, a maioria dos pacientes necessitam também de medicamentos para manter os níveis de colesterol controlados, sendo que estes devem sempre ser receitados por médicos especialistas, de acordo com a evolução da doença e com o organismo do paciente.

Prevenção

Ao longo do restante texto já fomos deixando algumas dicas de como podemos prevenir o aparecimento e a evolução do colesterol, principalmente o que é chamado de colesterol mau, no sangue. De forma a dar informações muito mais detalhadas, vamos agora abordar três questões mais directas e pormenorizadas.

Exercício Físico

A prática de exercício físico vai ajudar a perder peso, quando este existem em excesso, diminuindo a tensão arterial, diminuindo também o risco de infarto do miocárdio, o que em termos práticos leva a uma redução dos níveis de colesterol no sangue.

Uma vida sedentária não garante apenas níveis altos de colesterol, como ainda se torna perigoso para as articulações, ossos e músculos do corpo, para além que uma pessoa com uma vida activa se torna muito mais feliz e motivada, ao contrário de quem não tem actividades que não vê grandes vantagens em o continuar a fazer.

Alimentação Saudável

A adopção de uma alimentação saudável é vantajosa para todo o organismo, sendo que é importante que o paciente reduza significativamente a quantidade total de gorduras ingeridas diariamente, privilegiando as frutas, verduras e hortaliças, em detrimento dos doces.

Os médicos aconselham também que o paciente ingira o chamado peixe azul, com os seus ómega-3 a impedir a acumulação de gorduras nas paredes das artérias, substituindo assim as carnes vermelhas por carnes magras, como o frango ou peru, diminuindo em geral a quantidade de carne e fazendo sempre uma refeição de peixe por dia.

Leia também: Dieta para Baixar o Colesterol.

Estilo de Vida

Mesmo que haja muitas pessoas que não acreditam que o estilo de vida do coitidiano tem alguma influência na saúde do seu organismo, o colesterol é um exemplo prático desses efeitos.

Uma vida com menos ansiedade e menos stressada é excelente para reduzir o colesterol no sangue e diminuir significativamente a possibilidade de um infarto do miocárdio. Assim, é aconselhável que os pacientes tentem transformar as tarefas diárias, mesmo as rotineiras e sem grande animação, em algo que lhes traga alguma satisfação e motivação para progredir na vida, assim conseguem ter uma vida muito mais alegre e descansada.

Leia Também  Sal e Hipertensão Arterial

Evitar hábitos

É igualmente importante que evite ao máximo os maus hábitos, nomeadamente o tabaco e o álcool, pois se o tabaco é já um factor de risco para uma doença cardiovascular, quando o colesterol se encontra já assente no organismo, multiplica os riscos e o paciente pode mesmo vir a ter imensas complicações na sua vida, até com os tratamentos mais adequados e intensos.

Lista de Alimentos ricos em colesterol

Como já foi referido, a alimentação é um dos factores mais importantes para quem quer tratar ou controlar o colesterol no organismo, por isso é imprescindível que saibam quais são os alimentos que devem ingerir e quais os que devem evitar ao máximo.

Alguns dos alimentos bastante comuns na maioria das dietas da sociedade são ricos em colesterol, sendo que alguns são tão comuns que a maioria das pessoas nem nota qualquer alteração no seu organismo, contudo com a evolução da doença e a constante ingestão, pode trazer vários tipos de problemas e complicações.

Assim, no que diz respeito aos alimentos ricos em colesterol, por isso aqueles que os pacientes devem evitar ao máximo, destaca-se:

– Bacon
– Chantilly
– Ovas de peixe
– Biscoitos feitos à base de manteiga
– Doces cremosos
– Pele de aves (principalmente a que foi frita)
– Camarão e Lagosta
– Queijos amarelos
– Carnes Vermelhas (principalmente as gordas)
– Gema dos ovos
– Gelados cremosos
– Lacticínios
– Vísceras

Além disso, é aconselhável que os pacientes evitem ao máximo as carnes fritas, assim como as gorduras saturadas, como é o caso da gordura existente nos derivados de leite. Os cuidados de alimentação devem ser redobrados para o caso de pessoas que além de colesterol tenham também diabetes, pois os riscos e complicações possíveis são bastante maiores.

Lista de Alimentos que ajudam a reduzir o colesterol

Da mesma forma que existem alimentos completamente proibidos, pois são ricos em colesterol, existem outros que são indicados por médicos especialistas e devem estar presentes na alimentação diária de qualquer paciente, pois além de ajudar a reduzir os níveis de colesterol, podem ainda ter influência no restante bem estar do organismo.

Estes alimentos podem actuar de forma diferente, sendo que enquanto algumas contém fibras solúveis, ajudando assim a retirar o colesterol antes mesmo deste entrar na circulação sanguínea, outros são ricos em substâncias químicas que ajudam no bloqueio da absorção da gordura nas paredes dos vasos sanguíneos.

Assim, entre os alimentos que ajudam a reduzir o colesterol destaca-se:

Peixe – principalmente os que são ricos em omega 3, nomeadamente bacalhau, atum, salmão, entre outros

Soja e derivados – funcionam essencialmente na ajuda do aumento do colesterol bom, eliminando os níveis do colesterol mau

Tomate – ajuda na redução do colesterol na corrente sanguínea, enquanto ajuda também a prevenir o cancro da próstata, daí ser bastante aconselhado aos pacientes homens

Chia – na sua composição é possível encontrar fibras e omega 3, uma combinação ideal para a luta contra o colesterol

Frutas cítricas – bastante ricas em fibras solúveis e com uma boa quantidade de vitamina C, ideal para combater o colesterol alto

– Noz – um dos alimentos mais populares do momento, deve estar presente na alimentação de qualquer pessoa, pois são ricas em gorduras poli-saturadas, reduzindo o colesterol mau

Frutas Vermelhas – desde as ameixas pretas até aos morangos, são ricos em anti-oxidantes, necessários para inibir as partículas de colesterol mau

Linhaça – é uma excelente fonte de omega 3 e ácido linoleico, ajudando assim na redução do colesterol e glicose no sangue

Quiabo – rico em fibras solúveis, é imprescindível em qualquer alimentação

Alho – além de fazer parte do estilo de dieta mediterrânea, presente na maior parte das casas, é também rico numa substância chamada de saponina, que ajuda na redução do colesterol mau

Beringela ou beringela – na sua costa é possível encontrar antocianinas, uma substância essencial para quem quer reduzir o colesterol no sangue

Uvas – seja em forma de fruta ou sumo, é bastante aconselhado pelos médicos especialistas

Cebola – além de ser essencial para a maior parte da cozinha, é também importante para quem quer reduzir o colesterol, já que a sua acção anti-inflamatória ajuda a prevenir os coágulos nos vasos sanguíneos

Maça – uma das frutas com maior quantidade de fibras solúveis na sua composição, ajudando a reduzir o colesterol

Feijão – na sua composição é visível uma quantidade de fibras solúveis essenciais para quem quer reduzir significativamente o colesterol no sangue

Cereais Integrais – bons níveis de fibras e outras substâncias que têm como função principal a redução do colesterol mau

Abacate – é rico em ácido oleico, que ajuda a que os níveis de colesterol mau se mantenham constantes e ainda ajuda a manter os níveis de colesterol HDL no sangue

Aveia – apesar de ser importante, os pacientes devem apenas ingerir cerca de 3 gramas por dia, podendo reduzir até 20% de colesterol total.

loading...

17. Julho 2014 by admin

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Required fields are marked *