Como Medir a Gordura Corporal

O IMC é um valor calculado que indica a percentagem da gordura corporal. Atualmente medir a percentagem de gordura corporal de uma pessoa não é fácil, sendo muitas vezes inadequada se os métodos não forem controlados com cuidado. Os seguintes métodos requerem equipamentos especiais, pessoal formado, podem ser dispendiosos e alguns apenas estão disponíveis em locais de investigações.

Pesagem debaixo de água (hidrodensitometria)

Neste método pesa-se a pessoa debaixo de água e depois calcula-se a percentagem de massa branca (músculo) e gordura corporal. Este método é dos mais precisos, no entanto, apenas é realizado em locais de investigação e o equipamento é caro.

BOD POD

BOD POD é uma câmara computorizada em forma de ovo. Recorrendo ao mesmo princípio da pesagem debaixo de água, o BOD POD mede a massa e o volume da pessoa, com os quais se obtém a densidade corporal. Com estes dados, pode-se calcular gordura corporal e massa muscular.

DEXA

Absorciometria com Raios-X de Dupla Energia (ACDE – DEXA) é usada para medir a densidade óssea. Além de usar Raios-X para determinar a percentagem de gordura corporal, também determina onde e a quantidade de gordura localizada no corpo. Os métodos seguintes são simples e diretos:

Adipómetro

Este método mede a espessura das dobras da pele em várias partes do corpo com “pinças” (ferramenta metálica semelhante aos fórceps); os resultados são depois usados para calcular a percentagem de gordura corporal.

Análise da impedância bioelétrica (AIB – BIA)

Existem dois métodos de BIA. Um envolve estar de pé sobre uma escala especial com as plantas dos pés. Envia-se uma quantidade não prejudicial de energia elétrica ao longo do corpo, sendo depois calculada a percentagem de gordura corporal.

O outro tipo de BIA envolve a colocação de eletrodos num pulso e num tornozelo, nas costas da mão direita e no dorso do pé direito. Depois mede-se a alteração de voltagem entre os eletrodos. Calcula-se a percentagem de gordura corporal com os resultados da BIA.

Leia Também  Estrias - Causas, Prevenção, Cor, Receitas e Tratamentos

Inicialmente este método apresentava resultados variáveis, mas com a melhoria dos equipamentos e sua metodologia, os resultados são hoje mais fidedignos. Alguns SPAs e ginásios usam adipómetros ou a análise da impedância bioelétrica, mas há que ter cuidado, pois poderá ter resultados imprecisos se forem aplicados por uma pessoa sem experiência ou se forem usados em pessoas com obesidade significativa.

Tabelas de Peso e Altura

Medir a percentagem de gordura corporal de uma pessoa pode ser difícil, por isso usam-se outros métodos para diagnosticar a obesidade. Dois métodos muito utilizados são as tabelas de peso e altura e o índice de massa corporal (IMC). Ambos têm as suas limitações, mas são indicadores razoáveis de que uma pessoa pode ter um problema de peso. Os cálculos são fáceis e não é necessário equipamento especial. A maioria das pessoas está familiarizada com as tabelas de peso e altura. Essas tabelas existem há muito tempo, em 1943, a Empresa Metropitan Life Ensurance introduziu a sua própria tabela baseada nos dados de segurados em que relacionaram o peso com doenças e mortalidade. Os médicos e enfermeiras (e muitos outros) usaram essas tabelas durante décadas para determinar se uma pessoa tinha excesso de peso. Normalmente as tabelas têm uma escala com o peso aceitável consoante a altura da pessoa. Um dos problemas ao usar as tabelas de peso e altura é que os médicos discordavam de qual a melhor tabela a usar. Existem várias versões disponíveis, cada uma com as suas escalas de peso. Outro problema é que algumas tabelas incluem idade, género e tamanho da caixa torácica, enquanto outras não. Todas as tabelas de peso e altura possuem uma limitação, não fazem a distinção entre excesso de gordura e músculo. Uma pessoa musculada pode ser classificada como obesa de acordo com as tabelas, quando na verdade não é.

O que é o índice de massa corporal (IMC)?

O índice de massa corporal (IMC) é um método de eleição de muitos médicos e investigadores no campo da obesidade. O IMC usa uma fórmula matemática que relaciona o peso e altura da pessoa. A medição do IMC, também apresenta os mesmos problemas que as tabelas de peso e altura. Nem todas as pessoas concordam com os intervalos de IMC “saudável” vs. “não saudável”.

Leia Também  Saiba Como Combater a Obesidade

O IMC não dá a informação da percentagem de gordura corporal. No entanto, tal como as tabelas de peso e altura, o IMC é um excelente indicador geral e bom avaliador da gordura corporal para a maioria dos adultos entre os 19 e os 70 anos de idade. No entanto não deve ser considerado um bom método para avaliar a gordura corporal de culturistas, alguns atletas e grávidas.

O IMC é igual ao peso de uma pessoa em quilogramas dividido pelo quadrado da altura em metros (IMC=kg/m2). Para calcular o IMC usando libras, divida o peso em libras pelo quadrado da altura em centímetros, e multiplique o resultado por 703. É importante compreender o que significa “peso saudável”.

O peso saudável é definido como o índice de massa corporal igual ou superior a 19 e menor que 25 entre pessoas com 20 ou mais anos de idade. Geralmente, a obesidade é definida como tendo um IMC igual ou superior a 30, que significa cerca de 30 libras de peso em excesso. Ter excesso de peso aumenta o risco de desenvolver problemas de saúde graves.

A Organização Mundial de Saúde usa um sistema de classificação de IMC para definir excesso de peso e obesidade.

  • IMC de 25 a 29.99 é definido como “pré-obesidade”
  • IMC de 30 a 34.99 é definido como “obesidade de classe I”
  • IMC de 35 a 39.99 é definido como “obesidade de classe II” (obesidade severa)
  • IMC de 40 ou superior é definido como “obesidade de classe III” (obesidade mórbida)

A tabela abaixo possui já as conversões matemáticas e métricas. Para usar a tabela e saber o seu Índice de Massa Corporal, identifique o seu peso, na coluna da esquerda, e a sua altura, no topo da coluna. Foto Ilustrativa de Tabela de IMC

Leia Também  Mitos sobre saúde

A localização da Gordura é Importante?

(É pior ter o corpo em forma de “maçã” ou em forma de “pera”?) A preocupação não deve ser apenas sobre a quantidade de gordura da pessoa, mas também onde esta se encontra no corpo. O padrão da distribuição da gordura corporal difere nos homens e mulheres.

Geralmente, as mulheres têm mais gordura nas ancas e nádegas, tendo um tipo de corpo em forma de “pera”. Os homens tendem a acumular gordura na barriga, ficando um tipo de forpo em forma de “maçã” (esta nem sempre é uma regra direta; alguns homens têm forma de pera e algumas mulheres forma de maçã, especialmente após a menopausa.)

As pessoas com o corpo em forma de maçã, cuja gordura se concentra mais no abdómen, têm maiores probabilidades de desenvolver problemas de saúde associados com a obesidade. Têm um risco de saúde aumentado devido à distribuição da sua gordura. A obesidade por si só já é um risco para a saúde, mas mesmo assim é preferível ter antes um corpo em forma de pera do que em forma de maçã.

Para determinar o formato do corpo (maçã ou pêra), os médicos desenvolveram uma formula bem simples. Esta medição é determinada através da relação cintura-anca (cintura-quadril). Para descobrir a relação cintura-anca de uma pessoa:

  • meça a cintura no seu ponto mais estreito e depois meça as ancas no ponto mais largo;
  • divida a medida da cintura pela medida da anca. Por exemplo, uma mulher que meça 35 polegadas de cintura e 46 polegadas de anca tem uma relação cintura-anca de 0.76 (35 dividido por 46 = 0.76).

As mulheres com uma relação cintura-anca maior que 0.8 e homens com cintura-anca maior que 1.0 são considerados “maçãs”. Outra forma de estimar a quantidade de gordura abdominal de uma pessoa é medir o perímetro da cintura. Os homens com um perímetro de cintura de 40 polegadas ou maior e as mulheres com um perímetro de 35 ou maior consideram-se como tendo riscos de saúde aumentados relacionados com a obesidade.

loading...

28. Janeiro 2014 by admin

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Required fields are marked *