Creatinina e Ureia – Exames, Valores Normais, Como Baixar, Função e Importância

Apesar de serem dois nomes pouco conhecidos para a maioria das pessoas, estas duas substâncias, creatinina e ureia, são essenciais para o bom funcionamento do organismo de qualquer pessoa. No que diz respeito a problemas renais, que afectam uma grande percentagem da população, estes dois nomes são muito conhecidos e até populares, pois a sua ligação com estes problemas é estreita.

Os rins, um dos órgãos mais importantes de todo o organismo, devem estar sempre em bom funcionamento não só para evitar uma série de dores e desconforto, como também para evitar a extensão dos problemas para outros órgãos e até com consquências bastante graves.

No que diz respeito à creatinina e ureia, estas encontram-se presentes na corrente sanguínea, sendo que dependendo da dosagem existente, ou seja, de acordo com as variações destas substâncias, é possível diagnosticar doenças renais com antecedência, evitando avanços.

É estritamente importante que todos saibam exactamente o que estas substâncias são, a sua importância no seu organismo e ainda a forma como se devem interpretar os resultados obtidos através dos exames de dosagem.

Por último, é importante fazer a distinção entre a creatinina e a creatina, pois mesmo havendo uma semelhança nos seus nomes, as substâncias são diferentes e a relação que estas têm com o organismo também.

Doença Renal Crónica

Antes de começarmos a falar sobre a creatinina e a ureia, vamos fazer uma pequena introdução sobre a doença renal crónica, já que afecta tantas pessoas e tão poucas sabem exactamente do que se trata.

Os rins, como referido acima, têm um papel preponderante no bom funcionamento do nosso organismo, já que são responsáveis pela eliminação de toxinas e substâncias em excesso no nosso organismo, através da sua função normal, a filtração do sangue, que no caso destes se encontrarem a funcionar perfeitamente, esta é feita mais de 40 vezes por dia, em todo o sangue existente no nosso corpo. Porém, quando esta função é comprometida devido a um problema nos rins, não são apenas estes que sofrem, mas sim todo o organismo.

Existem várias causas para o surgimento deste problema, sendo que os mais comuns e importantes é a diabetes e a hipertensão, porém o tabagismo, a obesidade e o colesterol podem também servir para o aparecimento deste problema de saúde. Sendo estas as causas mais comuns para o surgimento, é natural que nos últimos anos tenha havido um grande crescimento de pacientes com este problema.

Contudo, apesar de tudo isto, é importante lembrar que a insuficiência renal crónica não apresenta qualquer tipo de sintomas (em estados normais), isto é, o paciente poderá estar com este problema de saúde há imenso tempo no seu organismo e não notar, pois não apresenta qualquer sinal exterior como dor ou desconforto.

Para que este problema de saúde seja descoberto, é necessário recorrer a um exame de sangue, ficando a conhecer a dosagem da creatinina no sangue e a análise da urina, por isso a importância que a creatinina tem para o bom funcionamento do nosso organismo.

Creatinina e Ureia – o que é ?

A creatinina é, no fundo, a degradação da creatina fosfato (fosfocreatina), como se fosse apenas o lixo depois desta ser usada. Por outro lado, para entender bem o que é a creatinina é necessário saber de onde ela vem e quais as funções vitais para o bom funcionamento.

O nosso corpo é composto por inúmeros músculos, nas mais diversas zonas de todo este, sendo que estes estão constantemente em exercício, mesmo quando o corpo está praticamente imóvel visivelmente, existem sempre músculos que estão em actividade para que haja um bom funcionamento total do corpo e organismo.

Assim, para que esses músculos tenham a energia necessária para as atividades, requerem uma proteína chamada creatina fosfato, sendo que esta vem directamente das proteínas ingeridas na nossa alimentação, daí que uma alimentação cuidada e equilibrada é essencial para o bom funcionamento de todo o organismo.

Dado que os nossos músculos nunca estão completamente em repouso, estes estão também o tempo todo a consumir creatina fosfato, sendo que na realidade, o lixo metabólico resultante deste consumo constante por parte dos músculos é que é a creatinina.

Depois desta ser gerada é lançada automaticamente para a corrente sanguínea, sendo eliminada do organismo através da urina, ou seja, dependendo da função dos rins.

Em termos práticos, tudo funciona como se fosse um ciclo, que se repete sistematicamente ao longo do dia, nomeadamente: na alimentação o indivíduo ingere proteínas, seguindo-se a produção de creatina fosfato pelo fígado, esta depois é consumida pelos músculos para que seja possível gerar energia e com isso é gerada automaticamente a creatinina, posteriormente esta é eliminada pelos rins.

Diariamente há cerca de 2% de toda a creatina fosfato presente no organismo que é convertida em creatinina, sendo que é esta percentagem que é analisada nos exames de sangue realizados para controlar o bom funcionamento do organismo.

Por outro lado, a ureia é outra substância que aparece no fígado, resultado da combustão das proteínas, a partir do azoto. Posteriormente esta é filtrada desde o sangue pelos rins, sendo que uma parte é reabsorvida para o organismo e a restante é expulsa através da urina. Existem valores considerados normais, no que diz respeito às várias faixas etárias, sendo que se existirem alterações destes é necessário um tratamento específico, contudo dado que não existem sintomas para estas variações, apenas é visível através de exames de sangue.

Qual a função da creatinina ?

A creatinina é uma substância inofensiva presente no sangue, sendo esta produzida e eliminada constantemente pelo próprio organismo, não sendo necessário a pessoa ter qualquer tipo de acção em particular para a sua movimentação.

Se não existir qualquer tipo de alteração no que diz respeito á massa muscular da pessoa, mantendo-se assim estável, se existir um aumento significativo dos níveis de creatinina no organismo, nomeadamente na corrente sanguínea, é um forte sinal que o processo de extração desta do organismo está comprometido, ou seja, em termos práticos significa que os rins estão a funcionar de uma forma deficiente.

Assim, em termos práticos, é fácil perceber que se os rins não estão a conseguir eliminar a creatinina produzida diariamente pela transformação da creatina fosfato, podem também estar a ter outros problemas na eliminação de outras substâncias do organismo, como as toxinas que tanto mal fazem ao mesmo.

Portanto, sempre que existe uma aumento da concentração de creatinina no sangue, significa que existe um pequeno sinal de insuficiência renal, podendo esta ser ligeira ou grave. O mesmo acontece com a ureia, sendo que um aumento significativo da concentração desta é também um sinal do mau funcionamento dos rins.

Por isso, a principal função da creatinina, tendo em consideração que não tem outros fins directos com o organismo, é alertar para o mau funcionamento dos rins, apesar da ureia ter a mesma função, é a creatinina a mais específica e confiável.

Importância da dosagem da creatinina e da ureia

Segundo dados estatísticos de todo o mundo, estima-se que existam milhões de pessoas que têm algum tipo de disfunção nos rins, porém praticamente 3/4 destes nem sequer têm noção que podem estar doentes e que podem até ter complicações em todo o seu organismo.

O método mais eficaz e seguro para ser possível diagnosticar quase todos os problemas de rins é através da dosagem da creatinina e ureia no sangue, já que tendo em consideração que a maioria das insuficiências renais crónicas não têm qualquer sintoma, até fases mais avançadas da doença, estes dados são extremamente importantes.

(Leia Também: Sinais e Sintomas de Doenças dos Rins).

Existem algumas doenças que podem levar à doença renal crónica, como a hipertensão arterial, diabetes, rins policísticos, glomerulonefrite, infecções urinárias de repetição e cálculos renais de repetição, porém, este problema de saúde poderá surgir quando menos se espera e sem motivos aparentes.

Muitas pessoas acreditam que devido à inexistência de dores ou ao facto de continuarem a urinar normalmente, não têm qualquer tipo de problema de saúde relacionado com os rins, contudo só existe dor quando este é causado por um cálculo renal ou infecção e geralmente os primeiros sintomas apenas surgem quando o estado da doença é já demasiado elevado e leva assim a uma necessidade de entrada num programa de hemodiálise ou mesmo de um transplante renal.

Assim, a dosagem da creatinina e ureia é extremamente importante para evitar, em fases precoces, as complicações de uma doença que em estado avançado, torna-se demasiado perigosa. Por outro lado, esta é uma doença que quando está instalada no organismo apresenta uma série de complicações por todos os órgãos, não apenas nos rins, já que os rins além de controlarem essencialmente a água corporal, têm também outras funções, nomeadamente:

– expulsão de algumas substâncias presentes no organismo, como é o caso das toxinas
– controlo dos níveis sanguíneos de eletrólitos, como é o caso do potássio, sódio, magnésio, cálcio e fósforo
– produção de hemácias, que controlam os glóbulos vermelhos
– controlo essencial da massa dos ossos
– controlo parcial da função de coagulação do sangue e do seu pH
– controlo da pressão arterial

Como é fácil perceber, quando a doença renal crónica não é conhecida e diagnosticada a tempo, está a afectar todas estas funções acima descritas, já que esta é uma doença silenciosa e que progride muito lentamente, na maioria dos casos, podendo assim de forma progressiva afectar uma série de sistemas, funções e órgãos vitais para o bom funcionamento do organismo.

Quem está em risco de doenças renais

Qualquer pessoa corre o risco de apresentar doenças renais ao longo da sua vida, por isso é essencial que todos, sem excepção e mesmo sem qualquer tipo de sintomas, devem controlar a concentração de creatinina na sua corrente sanguínea.

Assim, devem controlar a concentração de creatinina todas as pessoas que apresentem:

– hipertensão
– diabetes ou historial familiar de diabetes na família
– idade superior a 50 anos
– historial familiar de rins policísticos, glomerulonefrite ou insuficiência renal crónica
– uso contínuo, necessário, de anti-inflamatórios
– infecções urinárias recorrentes
– cálculos renais de repetição
– aparecimento de inchaços e edemas sem uma causa específica
– sinais de anemia, sem causa definida
– doenças cardíacas, nomeadamente insuficiência cardíaca
– algum tipo de alterações na urina, como sangue ou excesso de espuma (Leia: Proteinúria, Urina Espumosa – Causas, Tratamento, Tipos e Síndrome Nefrótica)
– perda de apetite, náuseas matinais ou fraqueza sem motivo aparente, acompanhado de perda de peso
– pessoas com um grau definido de obesidade
– fumadores
– crianças com algum tipo de problemas de crescimento

Como mencionado acima, qualquer pessoa poderá ter um problema de saúde destes, mesmo que não tenha hábitos ou sintomas que possam indicar a sua presença, assim geralmente a única forma de conseguir fazer uma avaliação aos rins é solicitar a contagem de ureia e creatinina conjuntamente, apesar desta última ser mais fiável, a maioria dos especialistas analisa os dois valores em conjunto.

Qualquer pessoa poderá fazer estes exames, não sendo necessário ter algum tipo de problema de saúde como os mencionados acima, sendo que não são indícios de doença, apenas estão mais propícios ao seu aparecimento.

Quais são os valores normais de creatinina e ureia no sangue

Tal como acontece com qualquer outra substância presente no sangue, existem os tão comuns valores normais que servem essencialmente de guias para que o diagnóstico seja feito com mais ponderação. Contudo, os valores são exactamente isso, apenas referências, já que o mesmo valor poderá ter significados completamente opostos em pessoas diferentes, com estilos de vida diferentes.

Assim, para se levar em conta os valores normais de creatinina e ureia no sangue, é necessário também ter em conta o sexo, a idade e o peso do paciente. No que diz respeito aos valores mais comuns, recomendados para a maioria das pessoas, estes encontra-se entre 0,6 e 1,3 mg/dl, contudo os valores necessitam de uma interpretação individualizada por parte dos médicos.

A creatinina está ligada directamente aos músculos, pelo que pessoas com um nível muscular mais elevado, apresentam também valores mais elevados, porém não indicam propriamente uma doença renal, por outro lado, para uma pessoa que não tenha actividade física regular e uma vida mais sedentária, apresentar um valor junto ao limite máximo, poderá dar indícios negativos.

Com os valores da creatinina, é possível ainda calcular a taxa de filtração renal, que é essencialmente o valor do volume que os rins conseguem filtrar a cada minuto, permitindo assim que se saiba exactamente como está o funcionamento dos mesmos.

Em valores normais, os rins conseguem filtrar 180 litros de sangue por dia, sendo que valores inferiores significativamente a esses, podem indicar um problema renal no paciente.

Dicas para baixar a creatinina

Tendo em consideração a função e os indicativos que os níveis de creatinina apresentam para a saúde de todo o organismo, em particular para a função renal, existe muitas vezes a necessidade de baixar estes níveis, de uma forma o mais natural possível, para evitar os problemas de saúde que estão associados.

Apesar de não existirem medicamentos que tenham como função principal baixar os níveis de creatinina, existem algumas alterações de hábitos ou acções diárias que podem levar a uma quebra nos valores ditos normais.

Ainda assim, é importante lembrar que não e a creatinina que apresenta problemas para o bom funcionamento do seu organismo, o que acontece é que os níveis distanciados do normal podem indicar um problema renal, como se fosse um marcador da disfunção dos ris.

Assim, geralmente para baixar os níveis de creatinina, é necessário que haja um tratamento específico para recuperar a função renal e consequentemente baixar os níveis.

Em primeiro lugar é indicado que diminua a quantidade de suplementos que estiver a tomar, se for o caso, por outro lado deve também beber o máximo de água que poder, já que a creatinina é eliminada através da urina, além de garantir ainda que o organismo se mantém bem hidratado.

Deve também reduzir na quantidade de proteínas que ingere diariamente na sua alimentação, mantendo sempre os níveis debaixo de olho, pois níveis muito baixos podem também ser negativos para o seu organismo.

Por último, apenas em último recurso, existem alguns indivíduos que têm que recorrer à diálise para controlar os níveis, quando estes não baixam com uma boa alimentação e até medicação, mostrando assim que os rins estão a começar a fazer e só poderá indicar a necessidade de um tratamento mais agressivo.

Creatinina e Ureia

20. maio 2014 by admin

8 Comentários no Fórum

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *


  1. Fui diagnosticado recentemente que sou hipertenso e que minha criatinina chego a 1.4. O que significa e muito grave ou tem como baixar?

  2. minha creatinina é 3,01, uréia 97, devo fazer hemodiálise.

  3. Urgente minha creatinina deu 1.4
    Eu tomei muito corticoide .
    Oque devo fazer
    Me falem por gentileza

    [email protected]

  4. fiquei em duvida em relação a ingestão de agúa e bom beber bastante agúa ou não??/// minha creatinina 5,8 ureia 139 mg/dl

  5. Bom dia,
    Minha sogra está com a CREATININA A 1,49 MG/DL E UREIA 91 MG/DL. Ela é cardíaca. hipertensa e diabética.
    Porém a cada exame de sangue que ela faz estes dois valores estão só alterando para mais. e foram feitos exames recentes e já estava alterado e esta semana fez outro e o valor continua aumentando. o que devemos fazer??
    Desde já agradeço e aguardo ansiosa a resposta.
    Atenciosamente,
    Mônica Pirola.

  6. tenho os rins policistico estou no estagio 4 minha creatinina 4.7
    ja estou sentindo dares o que devo fazer estou ficando fraco.

  7. tenho angiolipoma real 8mm, nao sinto dor nenhuma urino bem ,agora minha creatinina de 91mg/dl ,leucocitos 8 por campo ,mas tenho tenho 38 anos e peso somente 50 kg ,estou abixo do peso ,vou levar o exame op medico ver e tomo oleptal e qdo fiz o exame havia tomando ,tbem como mto pao integral .esta normal a creatinina?

    • Boa noite,
      recentemente fiz exame de sangue e a minha ureia deu 84mg/dl,
      creatinina de o.99, acido úrico 10.7. hemoglobina glicada deu 6.o
      glicemia media 126.mg dl, glicose 99mg/dl
      O restante do exame deu tudo normal como hepatograma,hemograma completo,perfil lípidico.
      Existe remedio p/ureia alta e acido úrico?
      att. ivonete

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *