Desmaio (Síncope) – Tratamento, Causas e Sintomas

Desmaio e síncope são duas palavras que representam a mesma condição clínica. Assim, um desmaio ou uma síncope é a perda súbita e temporária de consciência, tendo de seguida uma rápida recuperação. Geralmente, antes dos desmaio a pessoa poderá sentir náuseas, suor moderado ou até mesmo abundante, tonturas, a visão começar a ficar acinzentada, a pele a empalidecer, até que por fim, há a perda total de consciência.

Causas do Desmaio

Existem diversas causas para um desmaio, e neste artigo iremos explicar as mais comuns. Assim, um desmaio pode ter as seguintes origens:

– embolia pulmonar;
– tensão emocional;
– emoções fortes;
– ansiedade;
– doenças vasculares cerebrais;
– doenças cardíacas;
hipertensão pulmonar;
hipotensão postural;
– infecções;
– causas desconhecidas, que irão provocar o nervo vago, fazendo-o estimular a dilatação dos vasos sanguíneos, o que irá causar a diminuição da pressão sanguínea.

Síncope vasovagal

Antes de continuarmos, vale a pena explicar que uma boa parte dos casos de desmaio se dão com causas desconhecidas, tendo no entanto todas essas situações em comum o facto de ser o nervo vago a servir de veículo para a baixa da pressão sanguínea, levando ao desmaio.

Nestes casos, falamos do reflexo vasovagal também conhecido como síncope neuromediada ou reflexa, que levará a um desmaio ou síncope vasovagal, a forma mais comum de desmaio. Para explicar este tipo de desmaio, será importante para o leitor entender o que é o nervo vago.

Este, também denominado por nervo pneumogástrico, liga o cérebro a vários órgãos do organismo, tais como o estômago, os pulmões, o coração, os vários órgãos do tubo digestivo, entre outros. Além de servir de ligação entre o cérebro e esses órgãos, é também através do nervo vago que o cérebro conseguirá controlar certas funções corporais, entre as quais os movimentos peristálticos, a produção de suor, a frequência cardíaca ou a pressão arterial.

Além disso, o nervo vago transporta fibras do sistema nervoso parassimpático (SNP), que terá um efeito contrário à adrenalina, libertado pelo sistema nervoso simpático (SNS). Assim, enquanto o sistema nervoso simpático irá servir para aumentar a frequência cardíaca e a pressão arterial em momentos de estresse, ajudando a levar mais sangue às células, já o sistema nervoso parassimpático irá ter um efeito oposto, ajudando o corpo a acalmar, através da diminuição da frequência cardíaca e da pressão arterial.

O corpo está em harmonia quando ambos estão equilibrados. Quando esse equilíbrio desaparece, algumas situações ocorrem. Assim, se houver um desequilíbrio no sistema nervoso parassimpático, a pressão sanguínea baixará em demasia, levando ao desmaio. Com a diminuição da pressão arterial, o sangue não conseguirá chegar na quantidade necessária ao cérebro, o que provocará que não chegue oxigénio a muitas células nervosas.

Dessa forma, o corpo irá automaticamente reduzir a sua consciência, e entrar num estado de grande relaxamento, o que irá provocar a perda de sentidos e a consequente queda. Contudo, depois de estar deitado, essa posição mais horizontal irá promover a chegada mais fácil de sangue às células nervosas, rapidamente recuperando do desmaio.

Ou seja, a síncope vasovagal, ocorre em resposta a uma avaria na sistema nervoso que regula a frequência cardíaca e a pressão sanguínea. Quando a taxa cardíaca diminui, a pressão arterial também diminui, e ocorre uma falha no transporte de sangue para o cérebro, resultando no desmaio.

As causas comuns que podem desencadear alguns episódios de síncope vasovagal incluem:

– Mudanças drásticas de posição (ao levantar-se muito rápido, por exemplo na prática de yoga, pilates, exercícios abdominais, etc)
– Estar de Pé muito tempo (em centros comerciais, bancos, etc)
– Estresse emocional
– Quando sente uma dor
– Estímulos desagradáveis ​​como a doação de sangue, ou a remoção da mesma
– Assistindo alguém a doar sangue
– Ver alguém a sentir dores
– Exposição prolongada ao calor
– Emoções extremas
– Fome
– Ansiedade
– Náuseas ou vômitos
– Desidratação
– Urinar ou defecar
– Tossindo muito
– Cólicas
– Mudanças de altitude
– Pressão em partes como a garganta, nariz e olhos
– Punção venosa (introdução de uma agulha numa veia)
– Cirurgia Dental
– Odores desagradáveis
– Odores químicos (tintas, água sanitária, cola, etc)
Diuréticos
– Restrição de sal na dieta
– Ingestão de álcool ou uma refeição muito pesada
– Exercício extenuante em climas quentes
– Drogas, álcool
Alergia a medicamentos.

Durante a síncope vasovagal pode sentir um ou mais dos seguintes sintomas:

– Palidez
– Suores
– pele fria
– Pupilas dilatadas
– Desvanecimento
– Confusão mental e desorientação
– e, menos frequentemente incontinência fecal ou incontinência urinária.

A perda de consciência é breve, com recuperação rápida, e quando as crises começam na adolescência, geralmente diminuem com o tempo. Em mulheres jovens estes episódios tornam-se mais frequentes durante o período menstrual.

Os pacientes com síncope recorrente, normalmente têm também uma incidência maior para o desenvolvimento de transtornos psiquiátricos (depressão, somatização, transtorno do pânico) e transtornos neuro somáticos, como problemas vasculares e problemas digestivos funcionais. Esta patologia também tem sido associada à síndrome da fadiga crônica.

Hipotensão postural

A hipotensão postural também conhecida em medicina como hipotensão ortostática é um tipo de desmaio também muito vulgar, sendo provocado pela queda abrupta da pressão arterial quando se muda de posição ou postura, de vertical para horizontal e vice-versa. Daí o nome hipotensão postural. Já lhe deve ter acontecido pelo menos uma vez na vida estar deitado, ter de levantar-se muito rápido e ficar tonto.

Normalmente, o sistema recupera muito rapidamente, mas por vezes a hipotensão poderá ser maior, levando o corpo a entrar em síncope.

Normalmente, este tipo de desmaios ocorre em pessoas desidratadas, diabéticos, idosos, medicados com drogas para baixar a pressão alta, e ainda, em pessoas com um nível alto de álcool no sangue.

Quando este episódio ocorre depois de comer é chamado de hipotensão ortostática pós-prandial, e quem mais afeta normalmente são os idosos, pessoas com pressão arterial baixa e doença de Parkinson.

Sinais e Sintomas de Hipotensão postural

Quando a hipotensão ortostática está presente, podem ocorrer os seguintes sintomas:

– Tonturas
– Euforia ou disforia
– Dissociação corporal
– Distorções na audição
– Náuseas
Dor de cabeça (Leia: Dor de Cabeça (Cefaleia) Enxaqueca e sinais de gravidade)
– Redução temporária da audição
– Visão turva e escurecida (ao ponto de cegueira momentânea)
– Convulsões
– Dormência ou formigueiro generalizado
– Dor centrada no pescoço e ombros
– E, em casos raros, síncope vasovagal.

Causas: A Hipotensão ortostática pode também ser causada pela hipovolemia (diminuição da quantidade de sangue no corpo, mais especificamente do volume de plasma sanguíneo), resultante de uma hemorragia, queimadura, desidratação, uso excessivo de diuréticos, vasodilatadores, ou outros tipos de drogas, ou devido a repouso prolongado na cama. Este episódio também pode ocorrer em pessoas que sofrem de anemia.

Doenças que podem estar associadas com a Hipotensão postural

Esta condição clínica pode estar associada com a doença de Addison (insuficiência adrenal crônica ou hipocortisolismo), aterosclerose (acúmulo de depósitos de gordura nas artérias), diabetes, feocromocitoma (termo médico para designar um tumor da medula supra-renal da glândula adrenal) e certos distúrbios neurológicos, incluindo a Atrofia de Múltiplos Sistemas (desordem neurológica degenerativa) e outras formas de disautonomia (também referida como insuficiência autonômica e neuropatia autonômica).

Também está associada com a síndrome de Ehlers-Danlos (também conhecida na medicina como Cutis elástica, uma doença de caracter genético, do tipo autossômico). Como já referido num dos parágrafos anteriores esta condição pode estar presente em pacientes com doença de Parkinson, resultante da denervação do coração (privação de um nervo) ou como um efeito colateral da terapia com Dopaminomiméticos. Isto raramente leva à síncope, a menos que o paciente desenvolva uma verdadeira falha autônoma ou tenha algum problema cardíaco relacionado.

Os pacientes tetraplégicos e paraplégicos também podem sentir estes sintomas devido à incapacidade em manterem os níveis de pressão arterial normais e o fluxo de sangue ativo na parte superior do corpo.

Recentemente, uma condição comum, suspeita de estar intimamente relacionada com a hipotensão ortostática é a hipotensão intracraniana espontânea (carece de fontes) que resulta da fuga de líquido cefalorraquidiano (LCR), também conhecido como Fluido cerebrospinal, ou Líquor. Esta afeta mais as mulheres do que os homens com idades entre os 40 e 50 anos.

Hipotensão Postural e a Medicação

A hipotensão postural pode ser um efeito colateral de alguns antidepressivos, tais como antidepressivos tricíclicos ou inibidores da monoamina oxidase (IMAO). A marijuana (Cannabis) e o tetrahidrocanabinol podem produzir ocasionalmente hipotensão ortostática isto porque ambos causam tonturas e síncope. A hipotensão ortostática pode também ser um efeito colateral dos agentes bloqueadores adrenérgicos alfa-1. Os Bloqueadores alfa-1 inibem a vasoconstrição normalmente iniciada pelo reflexo barorreceptor sobre a mudança postural e a subsequente queda de pressão.

Doenças cardíacas

Existem várias doenças cardíacas que podem levar ao desmaio. Uma delas é a arritmia cardíaca, da qual falaremos de seguida. Outros exemplos incluem doenças nas válvulas cardíacas (estenose aórtica e estenose mitral são os exemplos mais comuns), cardiomiopatia hipertrófica, coágulos sanguíneos, insuficiência cardíaca, Síndrome do nó sinusal, Síndrome de Adams-Stokes, e Dissecção da aorta (dissecção aórtica).

Arritmias cardíacas

Esta é também uma causa frequente de desmaios. Um coração que sofra de arritmias cardíacas tem alturas em que não consegue bombear o sangue necessário. Dessa forma, e tendo em conta que o cérebro encontra-se acima do coração, não chegam às células nervosas as quantidades de sangue e de oxigénio necessárias, o que provocará a síncope. O problema dos desmaios provocados por arritmias é que nem sempre esta condição é conhecida pelo paciente ou pelo médico. Assim, nem sempre é possível estabelecer a relação, a não ser que o diagnóstico seja feito enquanto o coração está ainda arrítmico. Neste tipo de síncope não existem sintomas prévios.

Exames de Diagnóstico:

Eletrocardiograma
Ecocardiograma (ultrassom cardíaco)
Teste de Tilt (teste da mesa inclinada)
Estudo Eletrofisiológico

Tratamento

O tratamento recomendado da síncope vasovagal e ortostática envolve realizar técnicas que ajudem a transportar sangue para o cérebro (Posição de choque (Ver Imagem abaixo): posicionando a pessoa no chão, com as pernas ligeiramente elevadas ou inclinar-se para a frente com a cabeça entre os joelhos, durante pelo menos, 10-15 minutos, de preferência em local fresco e tranquilo).

posição de choque

Para as pessoas que sofrem com desmaios crônicos, a terapia deve concentrar-se em reconhecer quais são os gatilhos que promovem o seu aparecimento e aprender técnicas para os evitar. Ao primeiro sinal de alerta, como tonturas, náuseas ou pele fria e húmida, as manobras de contrapressão (Ex: o paciente agarra ambas as mãos com bastante força, contraindo assim a musculatura dos braços. Estas manobras visam a um aumento do retorno venoso para aumento da pressão e fluxo cerebrais) podem ser usadas para evitar o desmaio.

Depois que os sintomas tenham passado, são recomendadas algumas horas de sono. Se os desmaios ocorrerem muitas vezes sem qualquer sintoma prévio, pode ser um sinal de doença cardíaca subjacente. No caso de ser causa por uma doença cardíaca, o tratamento pode envolver desde pacemakers a ​​cardioversores desfibriladores implantáveis, dependendo da causa cardíaca precisa.

 

Atualizado em 13 Janeiro 2018

4 Comentários no Fórum

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *


  1. minha filha tem 16 anos e de vez em qdo passa mal ,sente tonturas fica toda gelada . ontem foi doar sangue e passou mal, as mãos ficaram duras como se estivessem atrofiando e as pernas também enrrigesidas, ficou gelada e um mal estar geral. o que pode ser?

  2. tiver um desmaio do nada estou naquele dia isto poder ser muito grave ?

  3. Gostaria de saber quem tem sincope vasovagal pode fazer cirurgia plastica?

  4. Procuro um especialista em síncope vasovagal é urgente, moro em santa Catarina, desde de já agradeço

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *