Dieta para Baixar o Colesterol

O colesterol é assunto extremamente complicado, complexo e ao mesmo tempo popular na nossa sociedade, pois é um dos problemas mais comuns dos dias de hoje, dada a má alimentação e estilo de vida incorrecto que a maioria das pessoas tem.

Dieta para Baixar o Colesterol

A maioria das pessoas dá mais importância ao trabalho e às suas ocupações do que propriamente a tratar bem o seu organismo, fazendo assim algumas escolher que se podem mostrar completamente desastrosas e até apresentar complicações para o próprio funcionamento do organismo em geral.

O colesterol é uma substância gorda que está presente no sangue, sendo que este é essencial para o bom funcionamento do mesmo, contudo da mesma forma que se tornou essencial, pode também tornar-se fatal quando os níveis são demasiado elevados.

Níveis elevados de colesterol no sangue podem significar uma acumulação fora do normal de gordura nas paredes dos vasos sanguíneos, o que em termos práticos significa que o paciente está mais propício ao aparecimento de doenças cardiovasculares.

Assim, tendo em consideração que uma dieta equilibrada, em conjunto com a prática de exercício físico e um estilo de vida ponderado, é um dos tratamentos mais aconselhados pelos médicos especialistas, sendo também o que apresenta maior facilidade para os pacientes, sem grandes complicações.

Além de tudo isso, uma dieta equilibrada não ajuda apenas a baixar o colesterol, como também a manter o seu organismo de boa saúde e sem problemas futuros.

Uma parte do colesterol existente no nosso organismo é produzido por ele mesmo, nomeadamente nos intestinos e no fígado, sendo que a outra parte provém da dieta alimentar que o paciente tem no momento. Portanto, uma dieta para baixar o colesterol pode ser a melhor forma de evitar o aparecimento da doença ou em alguns casos de a manter o mais controlada possível.

Dieta é importante para reduzir o colesterol?

Uma alimentação equilibrada é essencial para qualquer pessoa, mesmo para quem não tem níveis de colesterol elevados. Porém, nesses casos, de níveis elevados de colesterol no organismo, as mudanças de hábitos de vida e a adopção de uma dieta equilibrada no seu dia-a-dia tomam proporções ainda maiores.

Assim, para os pacientes que têm níveis de colesterol LDL acima de 130 mg/dl, a dieta é extremamente importante, pois além de evitar tratamentos mais agressivos, é também a solução com resultados mais eficientes.

Para os pacientes que tenham historial de doenças cardiovasculares, nomeadamente infarto de miocárdio, a dieta toma proporções ainda maiores, sendo aconselhável a sua adopção para manter o colesterol abaixo dos 100 mg/dl.

Tendo em consideração que grande parte do colesterol existente no organismo é proveniente de uma má alimentação durante um longo período, a dieta é extremamente importante.

Assim, em termos gerais, aconselha-se que os pacientes evitem ao máximo as gorduras saturadas, trocando-as pelas gorduras insaturadas, encontradas em alimentos com o azeite, canola, abacate, amendoins e nozes.

Alimentos essenciais para baixar o colesterol

De forma a ajudar todos os pacientes, os especialistas na matéria criaram uma lista de alguns alimentos que se tornam essenciais para quem quer fazer uma dieta para baixar o colesterol.

É importante lembrar que os pacientes não devem ingerir apenas os alimentos mencionados abaixo, mas sim criar um plano alimentar onde incluam o máximo de alimentos possível, nunca descorando de uma alimentação equilibrada.

Ao mesmo tempo, é sempre importante consultar um nutricionista para que este possa traçar a melhor estratégia possível, para o seu caso, de acordo com a evolução da doença e do próprio organismo.

Os pacientes devem conhecer quais são os alimentos mais indicados para criar uma dieta indicada, gerindo-os diariamente da melhor forma possível, para criar as melhores estratégias tendo em consideração também o seu estilo de vida.

Carnes

Muitas pessoas acreditam que a primeira coisa a fazer é retirar por completo a carne da sua alimentação, porém isso é errado. Os especialistas aconselham a que os pacientes continuem a incorporar a carne na sua alimentação, mesmo que dêem preferência ao peixe, porém aconselham a carne de aves, sem pele, sendo que as carnes vermelhas devem ser evitadas, principalmente as que têm grande teor de gordura na sua composição.

Os pacientes devem limitar a ingestão de carne a 150 a 200 gramas por dia, evitando os cortes gordos como o entrecosto e as carnes fritas, os enchidos (linguiça, salsicha, mortadela, presunto, bacon, entre outros). Além disso, devem também evitar alguns tipos de peixe e mariscos, como é o caso do camarão, lulas e polvo, devido à sua composição.

Muitos especialistas aconselham os seus pacientes a trocarem a carne normal pela carne de soja, pois é dos melhores substitutos que estes podem ter em relação à proteína de origem animal, já que os pacientes devem sempre dar preferência às proteínas vegetais.

Ovos

Apesar de muitas pessoas assumirem que os ovos são dos alimentos mais proibidos para quem tem colesterol, a verdade é que essa é uma das maiores falácias que estes podem acreditar.

Os pacientes podem comer a clara dos ovos com total liberdade, já que esta não apresenta colesterol na sua composição.

O perigo está na gema do ovo, sendo que apesar dos pacientes poderem comer algumas durante a semana, não devem ultrapassar as 4 gemas por semana e no caso dos níveis estarem já demasiado elevados, devem limitar a 2 gemas por semana.

O grave problema está que a maioria dos pacientes contabiliza apenas os ovos que come inteiros, esquecendo os pratos que levam ovos na sua composição, como os bolos e massas, sendo que estes devem também ser contabilizados para os valores finais.

Leites e Derivados

A maioria das pessoas inclui na sua dieta diária leite e derivados, sendo que geralmente o leite escolhido sempre o meio gordo, em alguns casos até o gordo, porém para os pacientes com colesterol é essencial que o leite seja sempre desnatado, ou seja, em termos práticos é importante que escolha leite magro para ingerir diariamente.

O mesmo deve acontecer com os queijos e iogurtes, sendo que devem dar preferência ao queijo cottage e light, evitando ao máximo gorgonzola, cheddar, provolone e parmesão, pois são os que têm maior percentagem de gordura.

Para alguns pratos é essencial o uso de um creme de leite, geralmente chamado de natas, sendo que neste caso os especialistas aconselham que se use um à base de soja, já que o sabor é muito parecido e tem menos efeitos para quem tem colesterol.

Por último, os pacientes devem também evitar os gelados cremosos, pois além de serem muito pequenos e ingeridos em poucas quantidades, a sua composição é demasiado complexa para quem tem colesterol.

Margarina

A manteiga está presente na maior parte das cozinhas de todo o mundo, contudo esta é também a causadora de muitos problemas no organismo, principalmente se é usada diariamente e para vários fins.

Assim, os especialistas aconselham sempre que os pacientes troquem a manteiga por margarina especial, com esteróis vegetais, ajudando assim a reduzir os níveis de colesterol. No mercado actual existem já duas marcas que deram provas da sua eficácia e por isso a maioria dos especialistas aconselha a sua preferência aos pacientes, como é o caso da Becel Pro-Activ e Benecol.

Soja

Apesar da soja não ser aconselhada pelos especialistas por apresentar características que estejam ligadas directamente com a redução do colesterol no organismo, a maioria dos especialistas aconselha os pacientes a trocarem grande parte das gorduras que ingerem diariamente, assim, a proteína da soja é indicada para os pacientes com colesterol alto pois apresenta-se como uma fonte de proteína com baixa quantidade de gordura saturada e uma grande quantidade de gorduras insaturadas, ideal para quem precisa de manter uma dieta equilibrada para baixar o colesterol.

Frutos Secos

A maioria dos pacientes que têm uma ligação com os frutos secos, independentemente do problema de saúde que tenham, já que estes fazem parte de uma dieta equilibrada mediterrânea e são aconselhados pela grande maioria dos especialistas em alimentação.

Assim, as nozes, as amêndoas, as avelãs, as castanhas e os pistáchios são excelentes opções para incluir na dieta para baixar o colesterol.

Se o paciente não souber como os pode usar na confecção das suas refeições, pode ser aproveitar os mesmos para pequenos snacks do meio do dia, acompanhando com um iogurte magro, são excelentes opções para um lanche repleto de bons alimentos.

Omega 3

O omega 3 é um dos tipos de gordura que os pacientes devem ingerir, ao contrário de outras gorduras que devem ser evitadas a todo o custo. Este tipo de gordura é possível ser encontrada em peixes gordos, como o salmão, assim como em óleos, como o de linhaça, de canola ou de soja, tal como acontece com as sementes de linhaça e as nozes.

Os pacientes devem ingerir de forma regular, para reduzir a possibilidade de acidentes cardiovasculares e ainda controlar os níveis de triglicerídeos. Assim, os especialistas aconselham o consumo de omega 3, nomeadamente através de peixes específicos, no mínimo em duas refeições por semana.

Alho

O alho está presente em qualquer cozinha, independentemente do estilo culinário, no entanto, no que diz respeito à dieta para baixar os níveis de colesterol, não existem estudos que comprovem que o alho actue directamente na redução do colesterol, contudo a maioria dos nutricionistas aconselha o seu consumo diário.

O alho é um fantástico alimento para ajudar no bom funcionamento do organismo, por isso mesmo que não tenha uma acção directa para com o colesterol, é sempre aconselhável o seu consumo.

Fibras

As fibras são essenciais para o bom funcionamento do organismo, por isso têm também uma acção directa na redução dos níveis de colesterol. Os alimentos ricos em fibras são maioritariamente de origem vegetal, ou seja, frutas, cereais e legumes.

Os nutricionistas aconselham todos os pacientes com níveis elevados de colesterol a consumir o máximo de alimentos ricos em fibras que conseguirem, pois estes ajudam bastante a reduzir os níveis.

Frutas e Vegetais

É praticamente incontornável a importância que as frutas e vegetais têm para a alimentação de qualquer pessoa, da mesma forma que é também inquestionável o que a sua ingestão adequada podem trazer para o bom funcionamento do organismo.

A maioria das pessoas consome o número normal de frutas e legumes diariamente, combinando os seus pratos com sobremesas ou simplesmente com a combinação dos mesmos nas refeições normais, porém os grandes especialistas defendem que a fruta e os vegetais devem ser a base de uma alimentação equilibrada e adequada.

Pão

Ao contrário do que algumas pessoas pensam, o pão é essencial à saúde e ao bom funcionamento do organismo. Os pacientes devem escolher pão integral e cereais de aveia, milho ou então trigo, evitando ao máximo os croissants, os tipos de pão onde os ovos, gordura ou manteiga seja ingredientes principais para a sua confecção.

Apesar de serem bastante apetecíveis, os bolos são algo a evitar por completo, pois na sua composição têm vários tipos de ingredientes que não ajudam nada quem quer reduzir os níveis de colesterol.

Chocolate

Quando uma pessoa que tem colesterol ouve falar em chocolate, a primeira coisa que pensa é que é um dos principais ingredientes a eliminar por completo da sua alimentação diária.

Contudo, nem tudo são más notícias, pois se o chocolate comum é péssimo para quem tem colesterol, pois aumenta os valores, por outro lado o chocolate amargo é um excelente alimento, pois contém flavanoides que são substâncias que diminuem o colesterol.