Gordura no fígado

O acúmulo de gordura no fígado é uma doença hepática também conhecida como esteatose hepática, e que de uma forma simplificada tem como causa a acumulação excessiva de gordura nesse órgão. De seguida iremos explicar mais concretamente em que consiste a gordura no fígado, quais as suas causas, sintomas, diagnóstico e tratamento.

O que é a gordura no fígado

A esteatose hepática consiste na acumulação de grandes vacúolos de triglicerídeos (um tipo de gordura) nas células hepáticas, através de um processo denominado esteatose. A esteatose é um processo, reversível, em que existe uma acumulação anormal de gordura no citoplasma de algumas células, entre as quais, as do fígado, também chamadas de hepáticas. A esteatose irá então provocar a formação de vacúolos de gordura nessas células.

Havendo diversas causas para a esteatose hepática, não há contudo diferença no resultado final. Assim, seja devido a uma alimentação desequilibrada e rica em gordura, seja devido ao consumo excessivo de bebidas alcoólicas, seja derivado de doenças metabólicas, a forma como esta doença manifesta é exatamente igual.

Esquema da foto abaixo, que mostra o vacúolo, um dos componentes de uma célula animal comum (organelas):

  • (1) Nucléolo
  • (2) núcleo
  • (3) Ribossomos (pontos pequenos)
  • (4) Vesícula
  • (5) Retículo endoplasmático rugoso
  • (6) Complexo de golgi
  • (7) Citoesqueleto
  • (8) Retículo endoplasmático liso
  • (9) Mitocôndria
  • (10) Vacúolo
  • (11) Citoplasma
  • (12) Lisossomo
  • (13) Centríolos dentro do centrossoma

foto estrutura vacúolo

 

Importância do fígado

O fígado é um órgão bastante importante, sendo essencialmente um órgão regulador da atividade fisiológica humana. Além de ter uma função endócrina, através da produção e da libertação de substâncias para o sangue, tem ainda uma função exócrina, produzindo e libertando substâncias para canais próprios.

É neste órgão que se faz a metabolização das proteínas, açúcares e lípidos (gorduras), além de transformarem outras substâncias tóxicas, tais como o álcool ou outros. Tem por isso também uma função desintoxicante.

Causas

Como referimos atrás, as causas que estão normalmente por trás da gordura no fígado estão sobretudo relacionadas com o consumo excessivo de álcool, alimentação desregrada e desequilibrada, e ainda, doenças metabólicas. De seguida, iremos listar todas as potenciais origens para a esteatose hepática:

  • Ingestão em excesso de bebidas alcoólicas;
  • Diabetes mellitus tipo 2;
  • Obesidade;
  • Dieta pobre em nutrientes proteicos;
  • Cirurgia de bypass gástrico;
  • Utilização de certos medicamentos (amiodarona, aspirina, corticoides, ácido valpróico, metotrexato, entre outros); Doença de Niemann-Pick;
  • Doença de Gaucher.

Sintomas

A esteatose hepática é geralmente uma doença assintomática, principalmente de a sua evolução for lenta e gradual. Já em situações onde aparece de forma súbita, normalmente aparecem alguns sintomas que indicam a esteatose. Assim, uma das manifestações mais frequentes em casos súbitos é a icterícia, que se manifesta através da cor da pele e dos olhos, que fica amarelada.

Isto é um sinal de que o fígado está a funcionar mal. Outros sintomas de gordura no fígado são a boca seca, dores abdominais na zona superior direita, e ainda, uma sensação de indisposição após uma refeição rica em gorduras.

Diagnóstico de Gordura no fígado

Quando a evolução é assintomática, nem sempre se consegue localizar a esteatose. No entanto, por vezes esta doença é revelada através de exames de sangue de rotina. Por vezes, também através da palpação da zona do fígado, é possível perceber se o tamanho do fígado aumentou. Normalmente, isso ocorre devido à acumulação de gordura, o que faz com que aumente de tamanho.

Se realmente o fígado parece maior, o passo seguinte será fazer uma tomografia computorizada ou uma ecografia, que permita visualizar com total rigor se ocorreu ou não um aumento de tamanho. Por fim, se tal se verificar, de forma a saber-se de certeza se é uma esteatose hepática, deve fazer-se uma biopsia ao fígado, de forma a retirar-se uma amostra para ser estudada.

Aí será revelado com exatidão se há ou não acumulação de gordura nas células hepáticas. A biópsia apenas é realizada quando ainda existem dúvidas quanto à natureza do problema. Para o diagnóstico é também fundamental fazer-se a história clínica do paciente, de forma a descobrir a causa. Só se sabendo a causa é que é possível reverter o problema.

Tratamento para Gordura no Fígado

Não existe um tratamento único para a esteatose hepática. Já referimos em cima que este é um problema reversível, e como tal, na maioria dos casos sim, tem cura. Contudo, o tratamento estará diretamente relacionado com a sua causa.

Se a origem tem a ver com a obesidade e com uma alimentação desequilibrada e rica em gordura, a forma de se resolver o problema é alterando a dieta, tornando-a mais pobre em gorduras e mais saudável, aliado a um processo de perda de peso. Também com uma alimentação mais equilibrada conseguirá resolver qualquer situação de esteatose causada por carências nutricionais.

Quem está com gordura no fígado, não pode comer laranja, banana, batata e carne vermelha. O suco de couve é muito bom, e pode ser feito com cenoura ou abacaxi (ótimo pois tem bastantes enzimas). Comer abacate também é muito bom, mas não muito!

Conheça alguns alimentos saudáveis e desintoxicantes que poderão ser um excelente tratamento natural para o fígado no artigo: Dieta para Gordura no Fígado.

Já no caso desta ser causada por um consumo excessivo de álcool, então a forma de a tratar será deixar de consumir esse tipo de bebidas. Nestes casos, será importante haver acompanhamento médico, já que podem ocorrer vários sintomas derivados da abstinência alcoólica. No caso da gordura no fígado originada pela utilização de medicamentos, será da responsabilidade do seu médico receitar-lhe medicamentos que possam ter o mesmo efeito para o qual está a tomar, sem ter estas consequências para o seu fígado. Quanto às situações de esteatose que tenham como causa outras doenças, como a diabetes, normalmente com um tratamento correto da doença, estas deixarão de criar colateralmente estes problemas no fígado. O tratamento correto da gordura no fígado, consoante a sua origem, é essencial para que esta doença não evolua para um estado mais avançado, e que por vezes, se torna irreversível.

Complicações

Até 10% dos pacientes com cirrose alcoólica irão desenvolver carcinoma hepatocelular, a sexta neoplasia mais frequente a nível mundial. A incidência do cancro do fígado na doença hepática alcoólica ainda não foi quantificada, mas a associação é bem estabelecida.

Comentários no Forum (3)

  1. Meu esposo foi comprovado com gordura no figado, entrando procurando como acharia, uma dieta, fiquei feliz, pos concegui ,coletar algumas imformaçaõ, sobre as dietas, as bananas ja vaõ ser eliminadas, pos ele come demas,,, obrigado,,,vou participar sempre,,,,,

  2. Quero saber qual é o melhor Tratamento contra a Gordura no Fígado, eu estou fazendo com a água de limão, e quero saber se a Berinjela também é boa junto com o limão e como devo proceder na questão de suco e de água, nesse processo todo mesmo porque hoje eu não bebo mais e nunca fui de beber tanto e sim as vezes com alguns amigos, mais fiz uma Ultra-som pra fazer uma cirurgia de Vesícula e foi comprovado a Gordura no Fígado. Gostaria de algumas dicas. Obrigado e tenha todos um bom dia.

  3. Bom dia, minha mãe foi diagnosticada com gordura no figado em fase de nodulos amarelos, gostaria de saber o que temos que fazer pois o medico aqui quer fazer quimioterapia ou algumas injeções ao redor do umbigo.È certo isso ou não?

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Required fields are marked *