Implantes Zigomáticos

Os implantes dentários zigomáticos representam uma técnica que procura dar resposta às necessidades daqueles cuja situação lhes impede de terem acesso a um implante dentário convencional. Ainda que a cirurgia de implante dentário esteja elegível para a esmagadora maioria da população, a verdade é que existem casos de pessoas que, por problemas na sua estrutura óssea, poderão encontrar-se impossibilitadas de usufruir dos benefícios de um implante dentário.

mplantes dentarios fotos antes e depois

Saiba Quanto tempo duram estes implantes.

No entanto, com os implantes dentários zigomáticos, é cada vez menor o número de pessoas que não poderá ter acesso a uma solução de reconstrução dentária, uma vez que, através desta técnica relativamente recente, é agora possível arranjar uma alternativa até mesmo para os casos mais severos, em relação aos quais a implantodontia convencional não pode ser vista como uma alternativa viável.

Os implantes convencionais representam uma excelente alternativa para pessoas que possuam uma estrutura óssea intacta e saudável. No entanto, muitos são os casos de pacientes que, pelas mais diversas razões, apresentam deformidades na sua estrutura óssea maxilar, o que em muito poderá dificultar a inserção de implantes, uma vez que os mesmos são instalados directamente no osso, exigindo assim que o mesmo esteja nas melhores condições possíveis, uma vez que só assim será possível atingir os níveis de sucesso pretendidos.

Quando as condições requeridas não são verificáveis, o paciente é obrigado a arranjar outras soluções que não envolvam a perfuração do osso. A única alternativa para casos deste tipo é apresentada pelos implantes dentários zigomáticos, que podem ser instalados de forma convencional e manter-se estáveis em estruturas ósseas afectadas por qualquer tipo de atrofia.

Ainda que mais recente do que a implantodontia convencional, esta técnica apresenta já uma elevada taxa de sucesso, e por isso pode ser considerada como uma alternativa extremamente viável para todos aqueles pacientes que não se apresentem em condições de usufruir normalmente de uma cirurgia de implante dentário.

As atrofias ósseas costumam ser mais comuns em pessoas de idade acima dos 50. Elas podem, também, ser agravadas pela ausência prolongada de dentes, o que contribui para que o osso comece, progressivamente, a perder a sua capacidade de suporte. Ou seja, após a perda de um dente, quanto mais tempo esperar para efectuar um implante dentário, maiores são as probabilidades do osso vir a perder toda a sua funcionalidade. Nestes casos, a solução a ser adoptada é o enxerto dentário.

No entanto, e ainda que eficaz na maior parte dos casos, não é raro este procedimento correr mal, e o resultado acabar revelando-se pior do que o inicial. É nestes casos que a implantodontia zigomática poderá ser utilizada, uma vez que representa a única solução possível para pacientes que sofram deste tipo de problemas. Assim como aquilo que acontece num implante convencional, a cirurgia de implante zigomático permite uma inserção segura de cilindros de titânio, que posteriormente terão como objectivo suportar uma ou mais próteses dentárias.

Ainda que possa ser aplicada em qualquer região da boca, esta técnica é mais utilizada nas partes traseiras, que são aquelas que costumam apresentar um maior número de deformidades, dificultando assim qualquer tipo de procedimento cirúrgico dentário, principalmente os implantes. Independentemente do número de implantes que seja necessário efectuar, a cirurgia zigomática não terá problema em suprimir todas as necessidades do paciente e reconstruir na perfeição toda a estrutura dentária do mesmo.

O conforto e estabilidade oferecidos através desta técnica encontra-se a par daquilo que é possível alcançar através de um implante dentário convencional. Segundo os dados que têm vindo a ser recolhidos, as taxas de sucesso situam-se acima dos 90%, comprovando assim que esta constitui uma solução verdadeiramente segura para qualquer paciente com uma estrutura dentária mais agravada. Assim como qualquer outro tipo de implante, os zigomáticos oferecem uma durabilidade que poderá facilmente ultrapassar os 15 anos.

No entanto, também exigem uma manutenção extremamente cuidada ao longo dos tempos. Não só isso, como é também importante efectuar visitas periódicas ao dentista, de modo a evitar que determinados tipos de problemas mais nocivos se possam desenvolver e e assim comprometer toda a integridade e estabilidade dos implantes dentários. Se todos estes cuidados forem levados a cabo, os implantes zigomáticos substituirão na perfeição as raízes naturais dos dentes, oferecendo níveis de estabilidade e funcionalidade muito semelhantes aos implantes convencionais.

Os implantes dentários zigomáticos não possuem qualquer tipo de vantagem ou desvantagem nas fases que precedem e sucedem a cirurgia de inserção dos implantes. Isto significa que, assim como acontece num implante dentário convencional, o paciente deverá fazer uma preparação muito cuidada para a cirurgia, que inclui, entre outras coisas, cessar o consumo de álcool e os seus hábitos de tabagismo.

Da mesma forma, no pós-operatório, procedimentos muito semelhantes deverão ser seguidos, havendo assim a necessidade de utilização de medicamentos que contribuirão para uma recuperação muito mais acelerada sem problemas. Os implantes são colocados sob o efeito de anestesia, pelo que, durante o procedimento em si, o paciente não sofrerá qualquer tipo de sensação de dor ou desconforto, o que contribui para fazer desta uma cirurgia rápida e confortável.