Leucemia – Sintomas, Tratamento, Diagnóstico e Classificação

A leucemia é uma doença cancerosa, que ataca as células do sangue, tendo a sua origem na medula óssea. Neste artigo iremos explicar o que é a leucemia, os vários tipos de leucemia e os seus sintomas, e ainda, como é feito o diagnóstico e o seu tratamento.

foto de paciente com leucemia

O que é a leucemia

Para perceber o que é a leucemia, será importante explicar o funcionamento básico da multiplicação das células. No corpo humano, as células dividem-se de forma a formar novas células. Dessa forma, à medida que as células envelhecem e morrem, outras tomam o seu lugar. Contudo, este processo simples por vezes não corre bem, formando-se novas células quando o corpo ainda não necessita delas, e aquelas que deveriam morrer, não o fazem na altura correta.

O sangue contém três tipos de células, cada uma com uma função específica. Existem os glóbulos vermelhos (ou hemácias), que transportam o sangue e parte do dióxido de carbono, os glóbulos brancos (ou leucócitos), que combatem os agentes infecciosos, e ainda as plaquetas sanguíneas, que são responsáveis pela coagulação do sangue em caso de hemorragia.

A maioria das células amadurecem na medula óssea, e quando estiverem desenvolvidos, entram então na corrente sanguínea para realizar a sua função. Quando a medula óssea não realiza a sua função corretamente, e produz leucócitos anómalos, então estamos perante um caso de leucemia.

Inicialmente, esses leucócitos irão realizar a sua função quase de forma normal, mas com o passar do tempo, eles irão multiplicar-se acima do nível normal, juntamente com o facto de as células mais velhas não morrerem na altura devida, o que irá provocar um aumento da concentração destas células. Isto irá ter como resultado um valor altíssimo de leucócitos anómalos no sangue, impedindo as restantes células sanguíneas de poderem realizar a sua função.

Classificação da Leucemia

Podemos classificar uma leucemia de duas formas. Em primeiro, quanto à rapidez com que se manifesta, havendo assim leucemias agudas, quando a evolução é rápida, e leucemias crónicas, quando o seu desenvolvimento é lento mas progressivo.

Em segundo, podemos classificar de acordo com a linhagem celular que foi comprometida. Assim, existem as leucemias mieloides e linfoides. Tendo estas duas classificações, há então 4 tipos de leucemia:

– Leucemia mieloide aguda (LMA);
– Leucemia linfocítica aguda (LLA);
– Leucemia mieloide crónica (LMC);
– Leucemia linfocítica crónica (LLC).

Sintomas

Os sintomas da leucemia decorrem sobretudo da acumulação das células anómalas na medula óssea, acabando por prejudicar a sua função, isto é, a produção e maturação das células sanguíneas. Este acumular de células blásticas (imaturas) na medula óssea, juntamente com a sua propagação por outros órgãos, como a pele, rins, baço, amígdalas, linfonodos, sistema nervoso, entre outros, irá provocar que a medula óssea esteja cada vez mais ocupada por estas células, o que impedirá a produção normal das células sanguíneas normais.

imagem com os sintomas de leucemia

Assim, de seguida, além dos sintomas comuns a qualquer leucemia, iremos também listar os sintomas que decorrem das deficiências de produção de cada uma das células sanguíneas. É normal o doente com leucemia ter sintomas de todos os grupos, já que a produção de todas as células é prejudicada.

Sintomas mais comuns

– Fadiga;
– Perda de peso;
– Sensação de fraqueza;
– Gânglios inchados;
– Febre;
– Suores noturnos;
– Infecções frequentes;
Cefaleias;
– Petéquias (pequenas pintas na pele);
– Sangramento gengival;
– Hemorragias frequentes;
– Facilidade em fazer hematomas (nódoas negras);
– Dor nos ossos;
– Dores articulares;
Inchaço no abdómen (devido ao aumento do baço).

Muitos destes sintomas são comuns a muitas outras doenças, designadamente do foro infeccioso. Por isso, não significa que a manifestá-los, esteja a sofrer de leucemia. No entanto, são sinais de alerta, que o deverão fazer deslocar-se ao seu médico para ser feito um diagnóstico, e perceber se é ou não leucemia.

Sintomas por síndrome anémica (causada pela diminuição da produção de hemácias)

– Fadiga;
Palpitações
– Irritabilidade;
– Fraqueza;
– Perda de apetite;
– Perda de peso;
– Sonolência;
– Desmaios;
Queda de cabelo;
– Palidez;
– Cefaleias;
– Tonturas.

Sintomas por síndrome trombocitopénica (causada pela diminuição da produção de plaquetas, provocando facilidade de ocorrência de hemorragias)

– Aparecimento de hematomas sem trauma, ou aparecimento de grandes hematomas decorrentes de pequenos traumas;
– Sangramento gengival;
– Petéquias;
– Epistaxe;
– Sangramento menstrual excessivo.

Sintomas por síndrome leucopénico (diminuição da produção de leucócitos)

– Infeções muito frequentes;
Aftas frequentes;
– Febre;
– Língua dorida;
– Aumento do volume do fígado;
– Aumento do volume do baço.

Diagnóstico

Quando um paciente revela vários destes sintomas, e como mencionámos em cima, pelo menos um dos sintomas de cada grupo, então isso pode indicar a presença de leucemia. Quando existe essa suspeita, há um conjunto de exames que devem ser feitos de forma a confirmar a presença ou não da doença. Assim, podemos incluir os seguintes exames no diagnóstico da leucemia:

Exame físico: neste exame o médico irá verificar se existem alterações no volume do baço, do fígado e dos gânglios linfáticos.

Análises sanguíneas: como deve ter percebido pela explicação dada em cima, em caso de existir leucemia, a contagem de leucócitos aumenta, e os níveis das restantes células sanguíneas diminui. Assim, através de análises sanguíneas é possível verificar esses dados.

Punção lombar: com este exame o médico irá retirar uma amostra de líquido cefalorraquidiano, e procurar possíveis células tumorais.

Biópsia: através da biópsia o médico irá recolher uma amostra da medula óssea, que será analisada por um patologista. Este é o método mais eficaz, pois permite verificar na fonte se há ou não células cancerígenas.

Citogenética: através deste exame, é possível analisar os cromossomas das células sanguíneas recolhidas no sangue periférico.

Tratamento

Geralmente, no tratamento de uma doença, o objetivo primário é atacar-se a fonte do problema. Contudo, na leucemia não se conhecem as suas causas, e como tal, o plano tem que ser outro. O tratamento para a leucemia tem como principal objetivo a destruição das células anómalas, de forma a permitir a que a medula óssea consiga novamente produzir as células sanguíneas normais nas devidas quantidades.

Para isso, e tendo em conta os progressos feitos nos últimos anos, é usada uma combinação de várias terapias, entre as quais a poliquimioterapia (associação de vários medicamentos), combate à leucemia no cérebro e medula espinal (sistema nervoso central), e ainda, com um controlo efetivo das complicações decorrentes de infecções e hemorragias.

Pode ainda ser realizado o Transplante de Medula Óssea, com o objetivo de se alcançar a remissão total. Isto é geralmente feito após a poliquimioterapia, quando aparentemente as células anómalas foram destruídas. Isto normalmente ocorre passado um ou dois meses após o início do tratamento, e quando já não há mais resultados positivos quanto às células leucémicas.

Tipos de Câncer de Sangue

Existem três tipos principais de câncer no sangue. Cada tipo pode também incluir várias variações, mas em geral são categorizados os seguintes tipos:

– A Leucemia é um tipo de câncer que existe no sangue e na medula óssea, causado pela rápida produção de glóbulos brancos anormais, o que diminui a capacidade da medula óssea produzir células sanguíneas vermelhas (glóbulos vermelhos ou hemácias), e plaquetas.

– O linfoma é um tipo de câncer do sangue que afeta o sistema linfático. É uma doença neoplásica do tecido linfóide (linfócitos T e B e seus precursores). O linfoma tem muitas características (fenotípica e citogenética) em comum com a leucemia. Os linfomas são o terceiro tipo de câncer mais comum no mundo, e representa 5% de todos os tumores malignos e a quinta principal causa de morte por câncer.

– O Mieloma múltiplo é um tipo de câncer de sangue que visa especificamente as células plasmáticas. As células plasmáticas são glóbulos brancos que produzem doenças e anticorpos no nosso corpo. As células de mieloma impedem a produção normal de anticorpos, deixando o sistema imunológico do nosso corpo debilitado e suscetível a infecções. (Saiba mais sobre Mieloma Múltiplo – Sintomas, Tratamento, Causas e Diagnóstico).

loading...

16. Setembro 2013 by admin

Um Comentário no Forum

  1. presiso de suas informacoes sobre a doenca leucemia .

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Required fields are marked *