Perigos e Complicações de um Abscesso Cerebral

As possíveis complicações de um abscesso cerebral são descritas em baixo. As lesões cerebrais podem variar de leves a problemas graves e bastante severos.

Os problemas menos graves podem resultar em:

  • Dores de cabeça/cefaleias;
  • Perda de memória.

Alguns danos moderamos podem resultar em:

  • Mudanças no humor, como sentir-se inquieto ou agitado;
  • Problemas com tarefas que exijam mais do cérebro, tais como planejamento de tarefas;
  • Dificuldades no equilíbrio e coordenação dos movimentos – o termo médico para estes desequilíbrios é ataxia.

Algumas complicações severas podem resultar em:

  • Fraqueza em certas partes do corpo;
  • E no mais grave dos casos – coma ou estado vegetativo persistente.

Os problemas causados por danos leves a moderados muitas vezes melhoram com o tempo. Quanto ás lesões cerebrais mais graves, é provável que sejam permanentes. Os danos cerebrais tem um risco aumentado caso o diagnóstico do abscesso cerebral seja adiado ou o tratamento não comece com rapidez necessária. Hoje em dia os abscessos cerebrais são facilmente diagnosticados através de tomografia computorizada (TC) ou MRI (ressonância magnética), e o risco de danos cerebrais graves é igualmente reduzido.

Epilepsia

Um problema que se tornou bastante comum nos abscessos cerebrais é a epilepsia, uma doença que provoca convulsões repetidas. A epilepsia é um problema de longo prazo e os sintomas geralmente podem ser controlados com medicação.

Meningite

Em alguns casos, especialmente naqueles que envolvem crianças, o abscesso cerebral pode evoluir para uma meningite bacteriana, uma infecção potencialmente fatal das membranas protetoras que rodeiam o cérebro. Os sintomas da meningite incluem:

  • Dor de cabeça severa;
  • Vômitos;
  • Febre (de 38 º C (100,4 º F) ou superior.

Uma pessoa com meningite bacteriana requer tratamento urgente no hospital, geralmente numa unidade de terapia intensiva (UTI). Serão usados antibióticos para tratar a infecção subjacente. Estes serão administrados por via intravenosa (através de uma veia no braço). Ao mesmo tempo, o paciente pode também receber:

  • Oxigênio;
  • Fluidos intravenosos (através de uma veia);
  • Esteroides ou outros medicamentos que ajudem a reduzir a inflamação (inchaço) ao redor do cérebro.