Piolhos e Lêndeas – Remédios para Tratamento, Transmissão e Prevenção

Os piolhos também conhecidos como ftirápteros são parasitas que provocam infestações de forma muito rápida, já que se desenvolvem com grande facilidade. Da mesma maneira, é também um problema de fácil contágio. A infestação por piolhos, também chamada de pediculose, causa dermatoses, que são provocadas pela sua picada. Este parasita alimenta-se de sangue, e como tal, pica a pele para retirar o seu alimento. Além de fazer picadas para se alimentar a cada 3 horas, injeta ainda uma substância para anestesiar a pele.

foto Pediculus humanus corporis

Foto acima: Pediculus humanus corporis (piolho do corpo).

Os piolhos atingem a maturidade muito depressa, começando as fêmeas a pôr ovos muito rapidamente. Estes ovos chamam-se lêndeas, que se colam aos fios de cabelo através de uma substância. Cada piolho fêmea irá pôr 10 ovos por dia, e ao longo da sua vida, irá pôr quase 160. Apesar da infestação de piolhos e lêndeas ser bastante desagradável, não é um quadro clínico grave, sendo de fácil tratamento.

Os piolhos são actualmente classificados em quatro subordens:

Anoplura: piolhos sugadores, inclui o piolho humano
Rhyncophthirina: parasitas de facóqueros e elefantes
Ischnocera: parasitas das aves
Amblycera: piolhos mastigadores

Anoplura

Os piolhos sugadores (anoplura, anteriormente conhecidos como Siphunculata) tem cerca de 500 espécies e representam a menor das 2 subordens tradicionais de piolhos. Esta espécie é um parasita externo (ectoparasita) que se alimenta do sangue dos mamíferos. Estes insetos podem causar irritações cutâneas localizadas e são os vetores de várias doenças transmitidas pelo sangue. As crianças são particularmente as mais suscetíveis á contaminação de piolhos, possivelmente devido a possuirem cabelos mais finos.

Pelo menos três espécies ou subespécies de Anoplura são parasitas nos seres humanos. Á doença parasitária de um humano estar infestado com piolhos sugadores dá-se o nome de pediculose.

Pediculus Humanus

Este é o nome científico do piolho, causador da pediculose. O Pediculus humanus é uma espécie de piolho da família Pediculidae que parasita os seres humanos, especialmente crianças e adolescentes, e a sua infestação causa a pediculose.

A espécie Pediculus humanus é dividida em duas subespécies, Pediculus humanus humanus por vezes chamado de Pediculus humanus corporis (piolho do corpo); Pediculus humanus capitis (piolho da cabeça ou couro cabeludo), e a espécie Pthirus pubis (piolho púbico, piolho-da-púbis ou piolho-caranguejo) que causa a pediculose pubiana. (Leia: Chato – Pediculose pubiana (piolho pubiano).

Pediculus humanus capitis e Pthirus pubis

Foto acima: Á esquerda Pediculus humanus capitis (piolho do cabelo) e á direita Pthirus pubis (Piolho-da-púbis, piolho caranguejo).

Doenças Infecciosas Causadas pela Transmissão da Espécie Pediculus Humanus

Além das suas picadas causarem inflamações agudas da pele e prurido (coceira), são também os responsáveis pela transmissão de várias doenças infecciosas como o tifo (vulgarmente conhecido na medicina como tifo epidémico ou tifo exantemático epidêmico, em que o agente causador é o prowazecki Rickettsia, transmitido principalmente pelo piolho do corpo humano (Pediculus humanus corporis); a febre recorrente; e a febre de trincheira (A Febre de trincheira foi descrita extensivamente durante a Primeira Guerra Mundial e a Segunda Guerra Mundial. Na sua etologia o agente causador é a bactéria Bartonella quintana e o vetor novamente o piolho humano Pediculus humanus corporis).

Transmissão do Piolho

Sendo os piolhos parasitas com alguma capacidade de movimento, eles transmitem-se com grande facilidade e de forma direta. Assim, seja através de objetos, seja através de roupa, os piolhos passam facilmente de pessoa para pessoa. Assim, o uso de objetos relacionados com o cabelo, e o uso de roupas da zona superior do corpo, especialmente chapéus, barretes ou cachecóis, serão veículos da transmissão dos piolhos para outras pessoas. Apesar de contágio ser possível em qualquer local, pela proximidade é mais habitual ocorrer em jardins-de-infância, escolas ou entre familiares próximos.

Sintomas e indicadores de piolho (Pediculose)

Apesar da crença geral, na maioria dos casos a infestação de piolhos não apresenta sintomas. Assim sendo, é natural, e frequente, encontrar uma pessoa com o cabelo infestado, sem apresentar qualquer queixa de comichão ou outro qualquer sinal. Assim, e por ser mais habitual ocorrer em escolas, é normal haver periodicamente uma inspeção ao cabelo das crianças, de forma a prevenir o contágio ao resto dos colegas. Assim, não havendo sintomas, há um sinal bem indicativo, que é a presença de lêndeas no cabelo.

Quando apresenta sintomas, estes caracterizam-se sobretudo por comichão na cabeça, principalmente atrás das orelhas e na nuca. Como as picadas dos piolhos provocam dermatoses, outro dos sintomas será o aparecimento de crostas, resultado da ferida e do ato de coçar.

Prevenção

Sendo mais frequente ocorrer nas crianças, e estando estas em ambientes de risco como são as escolas, a inspeção frequente do seu cabelo torna-se importante. A higiene diária é também fundamental, e a lavagem do cabelo regular é um ato preventivo bastante eficaz. Quando existem suspeitas de contaminação de outras pessoas, não deverão ser usados quaisquer objetos ou roupas dessa pessoa. Se tiver estado em contacto com pessoas infestadas, deverá usar um remédio adequado que tenha a função de repelir os piolhos.

Tratamento e Remédios para piolhos e lêndeas

De seguida iremos indicar alguns produtos preventivos, que devem ser usados quando há suspeitas de contaminação, ou quando há contacto regular e próximo com pessoas contaminadas, mas também, como tratar quando já está contaminado e quais os produtos e remédios indicados para esse tratamento.

Produtos preventivos

Os produtos preventivos, como o próprio nome indica, são produtos que têm como função repelir um possível contágio. Assim, estarão incluídos sprays, champôs e fitas preventivas. De seguida damos alguns exemplos de produtos adequados.

- Champô com vinagre de Quássia amara;
- Fita preventiva (óleos essenciais de alecrim, lavanda e cravinho);
- Spray repelente (óleos essenciais de tomilho, árvore do chá e Neem).

Produtos para tratamento

Logo que seja detetada a infestação por piolhos e lêndeas, deverá ser começado de imediato o seu tratamento. Assim, além da aplicação de um produto para tratamento, devem ainda ser tomados alguns cuidados de higiene, tais como a eliminação das lêndeas através do uso de um pente fino apropriado e a lavagem cuidada de todos os objetos pessoais e roupa que tenham estado em contacto com o cabelo. De seguida apresentamos alguns dos produtos de tratamento que poderá encontrar numa farmácia.

- Champô com óleo mineral;
- Loção com Oxyphthirine;
- Loção com dimeticone e óleo de coco;
- Loção com óleo de rícino e ciclometicone;
- Pente metálico para eliminação e remoção dos piolhos;
- Pente eletrónico que eletrocuta os piolhos;
- Creme com Permetina (1%).

Conheça as próximas substâncias que se seguem , usadas em preparações em forma de xampu, loções ou cremes:

Permetrina

A permetrina é um produto químico usado mundialmente como inseticida,acaricida e repelente de insetos e piolhos. Pertence à família dos compostos chamados piretróides cujo mecanismo de ação é a neurotoxicidade, prolongando a ativação dos canais de sódio, causando despolarização sustentada. Nenhum tem nenhum efeito sobre os neurónios dos mamíferos e aves, dai ter um baixo grau de toxicidade, com a excepção de algumas reacções de hipersensibilidade, nos mamíferos, incluindo os seres humanos.

Piretrina

As piretrinas são uma mistura de compostos orgânicos que se encontram naturalmente nas flores das plantas do género Chrysanthemum. Embora a atividade inseticida do extrato desta planta seja conhecida na China desde 1000 aC., o seu uso espandiu-se a partir do século XIX, quando começou a ser aplicada na remoção de piolhos, bem como ​​para controlar uma grande variedade de insetos (mosquitos, lagartas, besouros, etc.).  Para aumentar a sua eficácia como insecticida as preparações comerciais de piretrina são acompanhadas com butóxido de piperonilo e sulfóxido piperonyl.

Malatião

O Malatião é um inseticida organofosforado sintético. Para ser usado como inseticida em lavouras e jardins agrícolas, bem como para tratar piolhos na cabeça humana e tratar pulgas em animais de estimação requer conselho profissional. O malatião é solúvel e rapidamente absorvido pelo corpo humano. É rapidamente metabolizado, tanto em insectos como em vertebrados. Os peixes não metabolizam o malatião, e morrem com o uso excessivo desta substância.

Algumas precauções importantes:

O tratamento deve ser seguido à risca até não haver qualquer sinal de piolhos e lêndeas. O tratamento deve ser aplicado a todos aqueles que estejam contaminados, ou que vivam com pessoas contaminadas, e durante o mesmo período de tempo. Relativamente ao uso dos produtos de tratamento, deve haver o cuidado de evitar que estes entrem em contacto com as mucosas da boca, olhos e nariz. Por fim, referir apenas que os produtos de tratamento não devem ser usados por mulheres grávidas e a amamentar, e ainda, por crianças até aos 2 anos de idade.

Galeria de Fotos de Pacientes com vários tipos de Pediculose

08. Julho 2013 by admin
Categories: Dermatologia, Doenças Contagiosas, Doenças da Pele, Doenças infecciosas, Doenças Parasitárias, Fotos de Doenças | Leave a comment

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Required fields are marked *