Prótese Fixa Sobre Implante

Apesar da crescente popularidade dos implantes dentários, ainda muita é a confusão existente relativamente à natureza dos mesmos. Um dos mal-entendidos mais recorrentes no que toca a este tipo de procedimento é a ideia de que dentes artificiais e implantes dentários são sinónimos.

No entanto, a realização de um implante dentário e a instalação de um dente artificial são procedimentos que, ainda que correlacionados, possuem finalidades totalmente diferentes.

O termo “implante dentário” refere-se, só por si, a uma raiz dentária artificial, não implicando, de forma alguma, a utilização de qualquer tipo de prótese.

Estar consciente desta informação é de vital importância para qualquer pessoa que pense em submeter-se a uma cirurgia de implante dentário, uma vez que, infelizmente, muitos são aqueles que, induzidos em erro, pagam por um implante dentário acreditando que esse serviço envolverá a instalação de dentes artificiais.

Compostos por peças cilíndricas em titânio, os implantes são instalados directamente na estrutura óssea do paciente, simulando assim na perfeição uma raiz saudável e natural.

Através da instalação de um implante, o paciente criará as condições necessárias para a colocação de uma prótese fixa. Essa prótese, por sua vez, é que terá como objectivo substituir os dentes naturais do paciente, através de uma actuação conjunta com os implantes. As próteses de qualidade são, geralmente, fabricadas em cerâmica, o que visa produzir um efeito o mais semelhante possível ao de um dente natural.

Dependendo das mais diversas necessidades, estas próteses poderão apresentar-se em formatos múltiplos ou unitários, oferecendo também a capacidade de se adequarem na perfeição às características bucais dos mais diferentes tipos de pacientes. Estas soluções são utilizadas, não só como alternativa para a substituição de um dente que tenha caído, como também para a substituição de dentes que se encontrem em muito mau estado, seja pela acção de cáries, acidentes ou malformações.

Método

A colocação de uma prótese fixa está directamente dependente de um implante dentário. Este, representará o primeiro passo de todo o processo de reconstrução dentária, e só através de uma instalação bem sucedida do mesmo será possível levar a cabo a colocação de uma prótese fixa.

Implantes dentários de carga imediata permitem a colocação de uma prótese logo após terem sido instalados. No entanto, no caso de implantes convencionais, poderá ser necessária uma espera de diversos meses até que se possa efectuar a instalação de uma ou mais próteses. As próteses fixas são directamente encaixadas no implante, o que contribui para lhes conferir um elevadíssimo nível de estabilidade.

(Leia: Clínicas onde Fazer Implantes Dentários com Carga Imediata).

A colocação das próteses representa a parte mais fácil de todo o processo, uma vez que não envolve incisões nem quaisquer tipos de procedimentos dolorosos para o paciente. Quando associadas a implantes de boa qualidade e devidamente instalados, as próteses poderão manter-se estáveis e em bom estado por mais de 15 anos. No entanto, eventualmente, haverá sempre a necessidade de ser efectuada uma substituição.

Tipos de próteses

As próteses podem ser cimentadas ou aparafusadas. As cimentadas não poderão ser removidas pelo paciente, sendo que tal só será feito numa clínica, por um especialista qualificado. Já as aparafusadas, poderão ser facilmente removidas sempre que o paciente assim quiser. Escolher entre estas duas opções poderá revelar-se difícil para o paciente, uma vez que não existe forma de afirmar com segurança qual aquela que oferecerá melhores resultados. Ambas oferecem vantagens e desvantagens, e a sua viabilidade irá variar muito consoante as necessidades de cada paciente.

Eis algumas das principais características de ambas:

As próteses cimentadas são mais fáceis de se colocar. Para além do processo de instalação ser muito mais simples, estas próteses também se costumam revelar substancialmente mais económicas do que as restantes, fazendo assim com que sejam escolhidas por um maior número de pacientes. Ainda que as diferenças não sejam muito evidentes, a nível estético estas próteses destacam-se pela capacidade de oferecerem resultados de qualidade superior.

As próteses aparafusadas beneficiam imenso a higienização oral, uma vez que, ao serem removidas com facilidade, favorecem imenso a correcta escovagem das mesmas. Isto, por sua vez, em muito contribuirá para evitar complicações futuras, geralmente associadas a uma má higienização oral. O seu preço tende a ser ligeiramente mais elevado do que o das próteses cimentadas, mas a médio e a longo prazo, esse é um investimento que poderá vir a compensar bastante.

As próteses aparafusadas simplificam os procedimentos de substituição, uma vez que não será necessário qualquer tipo de intervenção cirúrgica para que possam ser eficazmente realizados. Com o tempo, as próteses poderão danificar-se e requerer uma substituição, situação essa que será extremamente fácil de resolver para quem utiliza próteses aparafusadas. Para quem opta pelas cimentadas, uma substituição revelar-se-á muito mais morosa e complicada.

A escolha adequada a ser feita dependerá imenso das prioridades de cada paciente. Aqueles que procuram os melhores resultados estéticos possíveis e poupar algum dinheiro, provavelmente ficarão mais satisfeitos com as próteses cimentadas. Já as aparafusadas, serão mais do agrado de quem coloca os cuidados e a prevenção acima de tudo, e por isso pretende uma alternativa de fácil manutenção, que lhe permita manter-se prevenido contra possíveis complicações.

É importante referir que, muitas vezes, a escolha poderá ser influenciada pela clínica onde se realiza a instalação das próteses. Nem todas as clínicas se encontram preparadas para oferecer ambas as soluções, pelo que, nem sempre será possível efectuar livremente essa escolha. O indicado é certificar-se de que a clínica onde pretende colocar as suas próteses oferece a possibilidade de escolha entre estas duas alternativas.

Manutenção

Efectuar a manutenção de uma prótese fixa é tão simples quanto efectuar a manutenção dos próprios dentes naturais. Para tal, será apenas necessário levar a cabo entre 2 a 3 escovagens diárias, de modo a evitar que partículas de comida se acumulem e dêem origem a corrosões potenciadas pela acção bacteriana.

Idealmente, também deverá visitar o seu dentista periodicamente, de modo a efectuar limpezas que permitirão manter as próteses limpas e em bom estado. Quanto maior for a atenção prestada às necessidades de manutenção das próteses fixas, menores serão as probabilidades das mesmas virem a desenvolver problemas precocemente.

Para saber exactamente os produtos que deverá utilizar durante o processo de manutenção diária das próteses, aconselha-se que procure esclarecimento junto do seu especialista de saúde oral. Em vez de um dentífrico normal, poderá ser necessário utilizar produtos mais indicados para o efeito, que para além de actuarem eficazmente na eliminação das bactérias, também contribuem para a preservação dos materiais da prótese.

Para além de uma escova e de um dentífrico apropriados, poderá também ser necessário utlizar regularmente um fio dental. Isto será de vital importância na prevenção do desenvolvimento de infecções gengivais.

A utilização de dentífricos e elixires convencionais não é totalmente desaconselhada. No entanto, ainda que haja a possibilidade do paciente utilizar produtos mais comuns para proceder à manutenção das suas próteses, os resultados dificilmente se revelarão tão satisfatórios quanto aqueles associados aos produtos próprios para o efeito. Esses produtos poderão, muitas vezes, revelar-se mais dispendiosos. Mas é através deles que conseguirá garantir eficazmente a preservação da integridade dos materiais que compõem as próteses.

Ainda que não seja necessário alterar drasticamente a sua rotina alimentar diária, a verdade é que o seu dentista poderá aconselhá-lo a diminuir drasticamente o consumo de determinados alimentos passíveis de corroer os materiais das próteses, como é o caso de refrigerantes gaseificados e alimentos compostos por quantidades excessivas de açúcar.

Dependendo de cada paciente e do tipo de prótese utilizada, os cuidados a serem adoptados poderão variar significativamente. Para que as próteses durem o tempo pretendido, é indispensável que siga à risca todas as recomendações que lhe forem feitas pelo seu dentista.

Vantagens

Um ponto em relação ao qual não existem grandes dúvidas é o facto das próteses fixas serem, de longe, muito mais vantajosas do que as próteses removíveis. Ainda que as soluções removíveis continuem a fazer parte da escolha da esmagadora maioria dos pacientes, o que em grande parte se deve ao facto de serem muito mais acessíveis do ponto de vista económico, a verdade é que é através das próteses fixas que os melhores resultados possíveis poderão ser atingidos.

Estas próteses anulam quase todos os problemas frequentemente associados à utilização de alternativas removíveis, contribuindo assim activamente para melhorar imenso o estilo de vida do paciente.

A maior vantagem associada às próteses fixas é, muito possivelmente, o seu incomparável nível de estabilidade. Através destas soluções, poderá proceder à trituração de qualquer tipo de alimento sem se preocupar com o risco de ver a prótese a soltar-se inesperadamente. Até os alimentos mais rijos poderão ser livremente consumidos, sem que daí seja retirada qualquer tipo de experiência negativa.

Neste aspecto, a eficiência das próteses fixas encontra-se equiparada à dos dentes naturais, na medida em que com elas poderá fazer tudo aquilo que fazia antes de ter sofrido a perda de dentes. Se pretende uma solução que lhe permita esquecer-se completamente de que está a utilizar próteses dentárias, então as alternativas fixas representam a escolha ideal para si, uma vez que, para além da estabilidade, estas próteses também oferecem um elevado nível de conforto.

No que toca à estética, as próteses fixas demonstram a capacidade de produzir um efeito muito mais natural do que as removíveis, que muitas vezes evidenciam de forma extremamente óbvia a sua natureza artificial. Quando correctamente integrada na estrutura dentária, perceber a diferença entre um dente natural e uma prótese fixa tornar-se-á numa tarefa bastante complicada, o que de grande ajuda será para evitar diversos constrangimentos sociais.

Desvantagens

Apesar de extremamente vantajosas, as próteses fixas também oferecem algumas desvantagens, sendo que, a mais óbvia de todas elas é o facto de serem um pouco mais dispendiosas do que as próteses removíveis. E uma vez que, para que possam ser colocadas, haverá a necessidade de instalação de um implante, todo o procedimento poderá acabar por se revelar extremamente dispendioso e acessível apenas àqueles que se encontrem em situações financeiras muito favoráveis.

Os riscos de complicações para a saúde também serão consideravelmente maiores, uma vez que a sua utilização está dependente da realização de uma cirurgia. Para quem tem problemas em submeter-se a um procedimento cirúrgico e não está disposto a pagar quantias elevadíssimas, então as próteses removíveis constituem a opção mais sensata a ser adotada.

Vale a pena referir, também, que os cuidados de manutenção de uma prótese fixa tendem a requerer uma atenção muito mais rigorosa do que aqueles associados às próteses removíveis. Assim sendo, esta é uma solução apenas indicada para quem estiver realmente disposto a assumir esse compromisso diário, uma vez que só assim haverá a possibilidade de manter os materiais em bom estado.