A quimioterapia é um tipo de tratamento que inclui uma droga, ou uma combinação de drogas, para tratar o cancêr (cancro). O objetivo da quimioterapia é parar ou retardar o crescimento das células cancerígenas. A quimioterapia é considerada uma terapia sistémica. Isto significa que pode afetar todo o corpo.

As drogas usadas na quimioterapia atacam as células cancerígenas em crescimento rápido, mas também vão afetar todas as restantes células saudáveis, que têm igualmente um crescimento veloz. O efeito destas drogas, tanto nas células cancerígenas como normais, causa geralmente efeitos secundários. Por exemplo:

Uma determinada quantidade de células sanguíneas que se dividem rapidamente pode ser danificada juntamente com as células cancerígenas, durante a quimioterapia:

  • Os glóbulos brancos têm como função proteger o organismo de infecções. Á contagem baixa de glóbulos brancos chama-se de neutropenia. Se a contagem de glóbulos brancos ficar demasiado baixa, o paciente poderá ficar suscetível a uma infecção grave.
  • Os glóbulos vermelhos transportam oxigénio por todo o corpo. A contagem baixa de glóbulos vermelhos é conhecida como anemia. Esta doença pode levar á fadiga, dores no peito, e outras complicações sérias.
  • As plaquetas sanguíneas são estruturas no sangue que ajudam a estancar as hemorragias. Uma contagem baixa de plaquetas sanguíneas é conhecida como trombocitopenia. Uma contagem baixa destas células pode causar feridas e hemorragias.

Os folículos dos cabelos têm células que podem ser afetadas pela quimioterapia, levando à perda de cabelo, também chamada de alopecia. As células que formam a camada interna do estômago podem também ser afetadas pela quimioterapia. Isto pode causar vómitos e diarreia, e pode também estar associado a náuseas. A boa notícia é que muitos destes efeitos secundários da quimioterapia podem ser geridos.

Como Funciona a Quimioterapia

O objetivo da quimioterapia é matar as células cancerígenas ou diminuir o seu crescimento ao longo do tempo. A quimioterapia é geralmente administrada várias vezes durante semanas ou meses, naquilo que é conhecido como plano de tratamento. Um plano de tratamento é constituído por uma série de períodos de tratamento, denominados de ciclos. Durante cada ciclo, o paciente pode receber quimioterapia durante um ou mais dias. Já que a quimioterapia ataca também as células saudáveis, os dias em que é administrada a quimioterapia são seguidos de períodos de descanso, em que não se recebe qualquer tratamento. Este descanso permite ao organismo do paciente recuperar e produzir novas células saudáveis.

O seu regime de quimioterapia

O médico irá criar um plano, ou regime, que incluirá o tipo de drogas quimioterápicas que vai receber. Este regime também incluirá a dosagem da droga e qual a frequência com que a receberá. O médico irá também certamente escolher as drogas mais eficazes para combater o cancro do paciente. O paciente poderá também receber algumas drogas que darão capacidade ao corpo para tolerar as drogas da quimioterapia do princípio ao fim. Consulte o seu médico e a sua equipa de saúde sobre o que pode fazer para ajudar no cumprimento do objetivo do tratamento.

Objetivos do Tratamento com Quimioterapia

Os objetivos da quimioterapia podem variar de pessoa para pessoa, consoante a sua situação. O paciente pode começar o tratamento cpm quimioterapia por uma das seguintes razões:

  1. Para curar o cancro: quando possível, a quimioterapia é usada para eliminar as células cancerígenas até que estas deixem de ser detetadas no seu corpo.
  2. Para controlar o cancro: a quimioterapia pode ser usada para impedir a disseminação do cancêr, diminuir o seu crescimento, ou destruir as células cancerígenas que se espalharam para outras zonas do corpo.
  3. Para aliviar os sintomas do cancro (por vezes chamados de cuidados paliativos): quando o cancro está num estado avançado, a quimioterapia pode ser usada para encolher os tumores cancerígenos que estejam a causar dor ou pressão.

A quimioterapia administrada após uma cirurgia é chamada de quimioterapia adjuvante. O objetivo da quimioterapia adjuvante é matar qualquer célula cancerígena que tenha ficado no corpo após a cirurgia ou a radioterapia. A quimioterapia administrada antes da cirurgia é denominada de quimioterapia neoadjuvante. O objetivo da terapia neoadjuvante poderá ser encolher o tumor cancerígeno, de forma a facilitar a sua remoção cirúrgica.

O médico prescreve a dose exata de quimioterapia que deve ser administrada, num determinado programa. Mas os efeitos secundários da quimioterapia (alterações na condição do paciente causadas pela toma de uma droga, usando um instrumento médico, ou através de outro tipo de tratamento) podem alterar esse programa.

Receber a dose total de quimioterapia que o médico prescreve pode dar melhores hipóteses ao paciente em atingir os objetivos do tratamento. O paciente pode ajudar a manter-se no plano programado fazendo tudo o que puder para gerir os efeitos secundários da quimioterapia desde o seu início.

Quimioterapia

Como é Administrada a Quimioterapia

O plano de tratamento da quimioterapia pode passar por usar uma única droga, ou uma combinação (ou cocktail) de drogas, que podem ser administradas por mais que uma forma. O paciente pode receber quimioterapia por um ou por vários dos seguintes métodos:

Injeção

Os vários tipos de injeção são:

– Via subcutânea (SC) – a quimioterapia é administrada através de uma injeção logo abaixo da pele.
– Via intramuscular (IM) – a quimioterapia é administrada através de uma injeção diretamente no músculo.
– Via intravenosa (IV) – a quimioterapia é injetada diretamente na circulação sanguínea, numa veia.

Infusão intravenosa

As drogas são administradas gota a gota por um tubo ligado a uma agulha, colocada na veia.

Oral

A  quimioterapia pode ser ingerida através de comprimidos ou líquido.

Aplicação tópica

Um creme, contendo o medicamento, é aplicado na pele.

Via intra-arterial (IA)

Administrada através de uma artéria ligada ao tumor.

Via intraperitoneal (IP)

Administrada diretamente na área que contém os intestinos, estômago, fígado, ovários, etc. Esta área é chamada de cavidade peritoneal.

Efeitos Secundários da Quimioterapia

A maioria das pessoas que irá realizar quimioterapia vai ter efeitos secundários. Estes podem variar de pessoa para pessoa. Os efeitos secundários da quimioterapia mais comuns incluem:

  • Perda de cabelo, também chamada de alopecia;
  • Náuseas e vómitos;
  • Fadiga;
  • Neutropenia: número baixo de glóbulos brancos. Estas células ajudam o corpo a combater infecções.
  • Anemia, causada pelo número baixo de glóbulos vermelhos. Estas células transportam oxigénio por todo o corpo.
  • Trombocitopenia: número baixo de plaquetas sanguíneas. Estas células ajudam a coagulação do sangue, de forma a parar hemorragias.
  • Problemas com a memória;
  • Feridas na boca.

Alguns efeitos secundários podem ser graves o suficiente para criar atrasos no tratamento. Estes efeitos podem incluir a neutropenia febril, anemia, trombocitopenia, fadiga, náuseas e vómitos. Preparar-se para gerir e controlar os efeitos secundários da quimioterapia é uma boa forma de aumentar as hipóteses de obter o máximo proveito do plano de tratamento.

Tente evitar infecções

Durante a quimioterapia, você está mais vulnerável a infecções. Existem algumas formas para se proteger a si mesmo. De seguida estão algumas das coisas que pode fazer:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabão. Isto é especialmente importante depois de usar casas de banho, e antes de cozinhar e comer.
  • Evitar aproximar-se de pessoas que têm doenças como constipação ou gripe, que você pode pegar.
  • Limpar imediatamente cortes e arranhões com água morna e sabão. De seguida, cobrir com um penso. Pergunte ao seu médico ou à sua equipa de saúde se pode utilizar cremes antibióticos.
  • Evitar multidões, onde os germes são mais facilmente transmitidos.
  • Ter cuidado para não se cortar: usar máquinas de barbear em vez de uma lâmina; usar luvas de proteção quando faz jardinagem ou limpezas, para evitar cortes e arranhões.

Fale com o seu profissional de saúde para obter mais conselhos sobre como reduzir as possibilidades de contrair uma infecção.

Converse já com o seu médico

Manter o programa do tratamento quimioterápico é um bom objetivo. Esta meta poderá ajudá-lo a atingir os objetivos gerais do tratamento: matar, parar ou retardar o crescimento das células cancerígenas. Fale com o seu médico logo no início de forma a saber o que pode ser feito para ajudar a reduzir o risco de efeitos secundários.

Alguns destes efeitos podem desenvolver-se imediatamente após a primeira dose de quimioterapia, mas também podem ocorrer em qualquer altura durante o tratamento. Estes efeitos secundários podem levar à hospitalização e a atrasos no plano de tratamento.

Se tiver dúvidas, prepare uma lista para as referir na próxima vez que consultar o seu médico. Não se esqueça de anotar as respostas e os conselhos do médico. Levar um membro da família, para ouvir e também tirar notas, poderá ajudar.