Rifampicina

A Rifampicina é um medicamento usado no tratamento de determinadas infecções bacterianas, tuberculose, lepra, meningite, MRSA (Staphylococcus Aureus Resistente à Meticilina), etc. A informação presente neste Guia Médico para a Rifampicina varia de acordo com a condição a ser tratada e a preparação usada.

O seu medicamento

A Rifampicina é usada no tratamento de determinadas infecções bacterianas, incluindo tuberculose. Atua sobre determinados tipos de bactérias, eliminando-as. Outras informações sobre Rifampicina:

  • este medicamento pode provocar uma coloração vermelha na urina, suor, saliva ou lágrimas;
  • este medicamento pode provocar manchas vermelhas nas lentes de contato gelatinosas. As manchas podem ser permanentes

Não partilhe o medicamento com outras pessoas. Pode prejudicá-las por não lhes ser adequado.

A bula do medicamento informa a quantidade que deve tomar. Também informa a frequência com que deve tomar. Esta será a dose que você e o médico prescritor concordaram que deveria tomar. Não deve alterar a dose do medicamento a não ser que o médico prescritor o indique. Se achar que o medicamento está a afetar o seu estado geral ou acha que não está a funcionar, fale com o seu médico.

Será o medicamento adequado para si?

A Rifampicina não se adequa a todas as pessoas e algumas não o devem tomar. Outras pessoas devem tomá-lo com cuidado. É importante que a pessoa que esteja a prescrever o medicamento saiba todo o seu historial médico. O médico só poderá prescrever este medicamento com cuidados especiais ou não o prescrever se o paciente:

  • for alérgico ou sensível a ou tem historial de reação alérgica às rifamicinas
  • for alérgico ou sensível a ou teve uma reação alérgica a qualquer um dos ingredientes deste medicamento
  • for idoso
  • estiver em subnutrição
  • tiver problemas renais
  • tiver problemas hepáticos
  • tiver porfiria
  • em crianças de idade inferior a dois anos.

Como parte do processo para avaliar se pode ou não tomar este medicamento o médico poderá pedir exames:

  • para determinar se o medicamento é ou não adequado e quando deverá ser prescrito com cuidados redobrados
  • para avaliar se este medicamento não tem efeitos indesejados

Com o tempo é possível que a Rifampicina deixe de ser adequada para algumas pessoas, ou estas deixem de ser adequadas a ele. Se em qualquer altura parecer que o Rifampicina se tornou inadequado, contacte de imediato o seu médico.

Álcool

O álcool pode interagir com certos medicamentos.

No caso da Rifampicina:

  • não são conhecidas interações entre o álcool e a Rifampicina

Dieta

Os medicamentos podem interagir com determinados alimentos. Nalguns casos, pode ser prejudicial e o médico prescritor aconselhará a evitar certos alimentos.

No caso da Rifampicina:

  • não são conhecidos alimentos que deve excluir da sua dieta enquanto estiver a tomar Rifampicina

Conduzir e operar máquinas

Quando se toma qualquer medicamento devemos estar conscientes de que estes podem interferir com a habilidade de conduzir ou operar máquinas de modo seguro. Tal como todos os medicamentos, a Rifampicina pode ter efeitos secundários. Deve ver como o medicamento o afeta e depois avaliar se é seguro conduzir ou operar máquinas. Se tiver dúvidas, fale com o seu médico.

Gravidez

A maioria dos medicamentos pode afetar o desenvolvimento do bebé de alguma forma. O efeito no bebé difere entre o medicamentos usado e também depende da altura da gravidez quando tomou o medicamento.

No caso da Rifampicina:

  • só deve tomar este medicamento durante a gravidez se o médico achar necessário;
  • este medicamento pode afetar a eficácia dos contracetivos orais. Se isto a afetar é importante usar contracetivos eficazes não hormonais.

Fale com o seu médico sobre a necessidade, riscos gerais e benefícios de tomar este medicamento. Decida com o seu médico se deve tomar ou não este medicamento durante a gravidez. Se decidir não tomar a Rifampicina, pergunte se existe algum medicamento alternativo para tomar durante a gravidez.

Amamentação

Alguns medicamentos podem passar para o leite materno e para o bebé através da amamentação.

No caso da Rifampicina:

  • não se recomenda amamentar enquanto toma este medicamento. Apenas deve tomar este medicamento e amamentar com autorização do seu médico.

Antes de ter o bebé fale sobre a amamentação com o seu médico ou parteira. Eles ajudarão a decidir o melhor para si e para o seu bebé, tendo em conta os riscos e benefícios associados a este medicamento. Apenas deve amamentar o seu bebé enquanto tomar este medicamento sob conselho do seu médico ou parteira.

Interações com outros medicamentos

Se estiver a tomar mais do que um medicamento eles podem interagir. Por vezes o médico prescritor pode decidir usar alguns medicamentos ao mesmo tempo que toma Rifampicina, noutros casos pode não ser adequado.

A decisão de tomar medicamentos que interajam depende das suas circunstâncias específicas. O médico pode decidir usar medicamentos que interajam, se achar que existem mais benefícios que riscos ao tomar os medicamentos juntos. Nesses casos, pode ser necessário alterar a dosagem ou fazer um controlo mais adequado.

Informe o médico prescritor de todos os medicamentos que esteja a tomar para ter em conta possíveis interações. Isto inclui todos os medicamentos que tenham sido prescritos pelo seu médico, dentista, enfermeiro, parteira, farmacêutico, etc. Também deve indicar ao médico prescritor todos os medicamentos que adquiriu sem prescrição médica.

Medicamentos que interagem com a Rifampicina

Os seguintes medicamentos podem interagir com a Rifampicina:

  • amitriptilina
  • amprenavir
  • aripiprazol
  • atazanavir
  • atovaquone
  • cloranfenicol
  • clorpropamida
  • ciclosporina
  • claritromicina
  • clofibrato
  • cumarina
  • dapsona
  • diazepam
  • digitoxina
  • digoxina
  • diltiazem
  • disopiramida
  • doxiciclina
  • efavirenz
  • enalapril
  • eplerenona
  • fluconazol
  • gestrinona
  • haloperidol
  • halotano
  • imatinib
  • indinavir
  • irinotecano
  • isoniazida
  • isradipina
  • itraconazol
  • cetoconazol
  • levotiroxina
  • lopinavir
  • losartan
  • metadona
  • mexiletina
  • nelfinavir
  • nevirapina
  • nicardipina
  • nifedipina
  • nimodipina
  • nisoldipina
  • nortriptilina
  • ondansetron
  • ácido paraaminosalicílico p
  • fenitoina
  • praziquantel
  • propafenona
  • propranolol
  • quinidina
  • quinina
  • riluzole
  • rosiglitazona
  • saquinavir
  • saquinavir/ritonavir
  • sinvastatina
  • sirolimus
  • tacrolimus
  • tamoxifeno
  • telitromicina
  • teofilina
  • tocainida
  • tolbutamida
  • toremifeno
  • verapamilo
  • voriconazol
  • zolpidem
  • zopiclona

As seguintes classes de medicamentos podem interagir com Rifampicina:

  • analgésicos
  • antiácidos
  • antiarrítmicos
  • antibacterianos
  • anticoagulantes
  • antidiabéticos
  • antiepilépticos
  • agentes antifúngicos
  • antipsicóticos
  • antivirais
  • ansiolíticos
  • barbitúricos
  • benzodiazepinas
  • betabloqueantes
  • bloqueador dos canais de cálcio
  • glicosídeos cardíacos
  • corticosteroides
  • citotoxinas
  • diuréticos
  • fluoroquinolonas
  • contracetivos hormonais
  • antagonistas orais
  • hipnóticos
  • medicamentos imunossupressores
  • medicamentos que são metabolizados pelo citocromo p450
  • analgésicos narcóticos
  • estrogénios
  • contracetivos orais
  • progesteronas
  • inibidores seletivos da recaptação da serotonina
  • estatinas
  • sulfonilureia
  • hormonas tiroideias
  • antidepressivos tricíclicos

Se estiver a tomar Rifampicina e algum dos medicamentos ou classes de medicamento listado acima, informe o seu médico.

Nomes Comerciais

A Rifampicina está disponível em:

  • Portugal como Rifex, Rimactan e Rifadin.
  • Bulgária como Tubocin (por Actavis/Balkanpharma)
  • Roménia como Sinerdol (Sicomed)
  • Reino Unido como Rifadin (Aventis), Rimactan (Sandoz), Rifater (uma combinação com isoniazida e pirazinamida) (Aventis), Rifinah (uma combinação com isoniazida) (Aventis) e Rimactazid (uma combinação com isoniazida) (Sandoz)
  • EUA como Rifadin (Aventis), Rifater (combinação com isoniazida e pirazinamida) (Aventis), Rimactane (Novartis)
  • França como Rifadine (Aventis)
  • Índia R-Cinex 600 (Lupin Limited) / Micox (uma combinação de rifampicina e isoniazida)
  • Austrália como Rimycin (Alphapharm)
  • Egito como Rimactan (Sandoz)
  • Alemanha como Eremfat (Riemser)

rifadin