Uma das doenças sexualmente transmissíveis mais conhecidas é a sífilis. Também conhecida por lues ou cancro duro (úlcera indolor que surge na zona genital do homem ou da mulher), a sífilis é uma doença infecciosa causada pela bactéria Treponema pallidum. A forma mais comum de transmissão da doença é através do contacto íntimo durante o ato sexual. No entanto, pode também ser transmitido verticalmente entre uma mãe grávida e o feto. Quando isto acontece, o feto tem sífilis congénita, que além de ter sintomas diferentes aos da sífilis normal, irá ainda provocar problemas de crescimento da futura criança.

Estágios da Sífilis

A doença evolui por estágios, havendo três fases: a sífilis primária, secundária e terciária. Os sinais e os sintomas verificados irão ser diferentes de fase para fase. Assim, no primeiro estágio, aparece a lesão mais característica desta doença: o cancro duro. A úlcera indolor aparece nesta altura na zona genital da pessoa infetada.

Na fase seguinte, começam a ocorrer lesões na pele, sobretudo na região das mãos e dos pés. Na última fase, mais avançada, poderão manifestar-se efeitos mais graves, nomeadamente a nível neurológico, cardiovascular e articular. Também as lesões dermatológicas propagam-se a todo o corpo. Pode ainda aceitar-se um estágio entre a fase secundária e a terciária, em que a doença fica latente durante algum tempo.

A sífilis, se não for tratada, poderá ser fatal e levar à morte do indivíduo. Se não for tratada convenientemente, poderá deixar lesões bastante graves no sistema nervoso e também no coração.

Fotos de sífilis primária, secundária e terciária

Clique para aumentar as imagens. Atenção: Algumas das imagens publicadas abaixo podem ser ofensivas para algumas pessoas.