Sinais e Sintomas de Doenças dos Rins

Os rins são órgãos excretores, cada um deles com o formato de um feijão. São os órgãos principais do sistema excretor humano, tendo também um papel de destaque no sistema osmorregulador. Os rins estão localizados na zona abdominal, logo atrás do peritoneu, estando cada rim em lados opostos da coluna. Enquanto um deles está logo abaixo do baço, já o outro encontra-se debaixo do fígado.

Por cima de cada um deles, está localizada a glândula suprarrenal. Estas glândulas, além de diversas funções, afetam também o funcionamento dos rins.

Os rins fazem parte do sistema urinário, sendo o local de filtração do sangue. Depois de retiradas as substâncias tóxicas e outras em excesso, juntamente com água será formada a urina, que seguirá para os ureteres, e daí para a bexiga, onde é armazenada. Quando esta atinge um determinado volume de líquido, a urina é eliminada para o exterior através da uretra.

No entanto, e apesar de ser a função mais importante dos rins, estes não se resumem apenas a realizar a eliminação de substâncias. Existem diversas tarefas essenciais ao funcionamento do organismo, que são desempenhadas pelos rins.

- Excretar toxinas provenientes da respiração celular (creatinina, ureia, ácido úrico, etc.) (Saiba mais sobre: Gota e Ácido Úrico Alto – Sintomas, Tratamento, Diagnóstico e Alimentos);
- Eliminação de substâncias provenientes do metabolismo de medicamentos;
- Regular os níveis de sais minerais no organismo, através da sua eliminação quando em concentrações excessivas (potássio, fósforo, cloro, cálcio, sódio, etc.);
- Produção de urina, como via de excreção das várias substâncias a eliminar;
- Ativação da vitamina D (vitamina produzida essencialmente na pele, na presença de luz solar, que tem como principal função promover a formação correta dos ossos e facilitar a absorção do cálcio pelo intestino);
- Regular o volume de água presente no organismo, através da eliminação do seu excesso (regulação osmótica);
- Produção de hormonas;
- Regular o pH do sangue.

sintomas de doenças dos rins

Como pode verificar, os rins têm um papel fundamental na saúde e funcionamento do organismo. Qualquer doença renal irá ter consequências negativas nalgum ponto do corpo, ou até mesmo em todo o organismo. Geralmente, as doenças renais são assintomáticas numa fase inicial. Contudo, muitas das vezes, quando os sintomas surgem, essas doenças estão já num estado tão avançado, que por vezes torna-se impossível curar-se o problema.

Sendo assim, são essenciais exames periódicos de forma a verificar o estado de saúde dos rins. Uma doença renal diagnosticada precocemente terá uma probabilidade muito superior de ter cura, além do facto de impedir que o resto do organismo seja fortemente prejudicado.

Os exames adequados para a verificação do estado de saúde dos rins são os exames sanguíneos e de urina. Tendo em conta que a principal função de um rim é filtrar o sangue e excretar substâncias tóxicas ou em excesso, facilmente através da análise ao sangue e à urina se pode perceber se os rins estão a funcionar plenamente, através da verificação das concentrações das substâncias geralmente excretadas.

De seguida apresentamos os 10 sinais e sintomas mais comuns em doenças renais. Se algum destes sinais surgir, consulte imediatamente um médico, de forma a fazer os exames necessários, e dessa forma, confirmar ou não a existência de uma doença renal.

Urina espumosa

A espuma na urina é algo normal. Contudo, essa espuma é apenas normal quando apenas provocada pela força provocada pelo fluxo da urina quando cai e se mistura com a água da sanita.

Pelo contrário, se a urina for realmente espumosa, então algo não está certo. Para verificar isso, basta observar se quando urina na sanita, a quantidade de espuma é maior que o normal, e se a espuma criada na água da sanita persiste, não desaparecendo logo. Se tal se verificar, pode ser o caso da sua urina ser espumosa.

Nessa situação, deverá consultar um médico, pois a urina espumosa está ligada ao aumento dos níveis de proteínas na urina. Esta condição, denominada de proteinúria, consiste na perda excessiva de proteínas através da urina, o que indica problema nos rins.

A proteinúria pode ter origem em diversas doenças, entre as quais doenças glomerulares, lúpus, obesidade, hipertensão arterial, diabetes, eclâmpsia, SIDA ou mieloma múltiplo. Veja a lista completa:

- Diabetes Mellitus;
- Lúpus Eritematoso Sistêmico;
- Doenças do glomérulo (Saiba mais sobre: Glomerulonefrite – Tratamento, Sintomas, Causas, Classificação e Diagnóstico);
- AIDS (Leia: Transmissão do HIV – Como se pega AIDS);
- Eclâmpsia (Saiba mais sobre: Eclâmpsia e Pré-Eclâmpsia – Sintomas, Tratamento, Causas, Riscos, e Exames de Diagnóstico);
- Obesidade;
- Hipertensão Arterial;
- Mieloma múltiplo (Saiba mais sobre Mieloma Múltiplo – Sintomas, Tratamento, Causas e Diagnóstico).

Saiba mais sobre: Proteinúria, Urina Espumosa – Causas, Tratamento, Tipos e Síndrome Nefrótica.

Inchaços (edemas)

Como referimos atrás, uma das funções dos rins é eliminar o excesso de água e minerais, entre os quais o sódio, do organismo. Em casos de funcionamento deficiente dos rins, insuficiência renal, tanto o sódio como a água, deixam de ser eliminados nas devidas quantidades, provocando uma acumulação de ambas as substâncias no organismo.

Este acúmulo levará ao surgimento de edemas no corpo. Estes edemas podem surgir em qualquer região, aparecendo normalmente numa primeira fase na zona dos pés e tornozelos. Em estádios mais avançados, pode até ocorrer edemas nos pulmões (Leia: Edema Pulmonar Agudo – Tratamento, Causas, Sintomas e Diagnóstico). Os edemas podem também aparecer em quadros de síndrome nefrótica (perdas massivas de proteína pelo sangue).

Saiba mais sobre: Inchaços e Edemas – Causas, Tipos e Tratamento.

Fadiga (Cansaço)

Existem muitas razões que podem originar fadiga e cansaço. Em muitos casos são apenas consequências de atividades do dia-a-dia, mas nalgumas situações, podem ser sinal de alguma doença. Se associado a outros sintomas aqui referidos, sentir fadiga e cansaço persistente, poderá ser um sinal de doença renal.

Há várias causas relacionadas com doenças renais que podem levar ao aparecimento de cansaço, entre as quais a anemia (explicado mais abaixo), sendo o cansaço um efeito comum desta condição, ou também a acidose (condição caracterizada pela acumulação de substâncias tóxicas no organismo). A acumulação de água e sódio, já explicado no ponto sobre os edemas, também pode levar ao aparecimento de fadiga.

Hipertensão Arterial

Como já foi referido anteriormente, na formação de edemas, a falha na função renal provoca a deficiente eliminação de sódio e água em excesso, o que leva à sua acumulação no organismo. Além dos edemas, há também outro problema daí decorrente: o aumento da pressão arterial.

A hipertensão é já uma das doenças que mais pessoas afeta, sendo que a maioria tem outras causas que não doenças renais. Contudo, e apesar de poder haver múltiplas causas para a elevação da pressão arterial, há sinais que podem ajudar a perceber que a sua origem está nos rins: se essa elevação for súbita, e tiver associado mais algum dos sintomas aqui descritos, então é possível que a causa subjacente seja mesmo renal.

Mesmo em casos documentados de hipertensos, se houver mudanças bruscas, com a elevação repentina da tensão arterial, deve ser considerada a hipótese de origem renal. As doenças renais que podem causar hipertensão são as glomerulonefrites, estenose da artéria renal (entupimento parcial da artéria renal), ou Insuficiência Renal Crônica.

Saiba mais sobre: Hipertensão Arterial – Causas, Sintomas, Tratamento e Alimentos a evitar.

Anemia

Uma das funções menos mediáticas dos rins é a produção de hormonas. Uma delas, a eritropoietina, tem como função a estimulação de produção de glóbulos vermelhos (hemácias). Esta hormona, depois de sintetizada, é levada até à medula óssea, onde irá estimular essa produção.

Ora, se houver falha renal, também esta sua função fica comprometida. E se tal acontecer, a estimulação da medula óssea não ocorrerá devidamente, o que irá provocar uma diminuição da quantidade de glóbulos vermelhos no sangue. Esta célula sanguínea tem como importante função transportar oxigénio para as células, e como tal, se a quantidade baixar para níveis abaixo do normal, essa tarefa fica comprometida.

A este problema dá-se o nome de anemia. Assim, em casos mais avançados de insuficiência renal crónica, em que há uma queda significativa na produção desta hormona, uma das consequências é o desenvolvimento de anemia.

Hematúria (presença de sangue na urina)

Este é o nome dado quando é detetado sangue na urina. Esta deteção pode ser possível com observação direta, ou então, apenas em análises de urina. Quando é possível observar a olho nu, diz-se que existe hematúria macroscópica. Já no outro caso, denomina-se de hematúria microscópica.

Esta segunda, pode passar despercebida durante muito tempo, pois apenas é possível verificar através de exames. Quanto à hematúria macroscópica, quando surge, leva a que o paciente se dirija imediatamente ao médico.

Ver sangue na urina não é algo normal, e como tal, é natural que assuste e leve as pessoas a agirem imediatamente. No entanto, tanto a hematúria macroscópica, como a microscópica, são sinais que algo não está bem no funcionamento dos rins, existindo várias doenças que poderão estar por trás desse sintoma: cálculos renais, infecção urinária, hiperplasia benigna da próstata, cancro da bexiga, cancro da próstata, cancro renal, trauma nos rins, tuberculose urinária, anemia falciforme, doenças glomerulares, doença policística renal, concentração excessiva de cálcio na urina ou endometriose.

Há igualmente casos em que determinados medicamentos têm hematúria como efeito colateral, e ainda, situações onde esta condição é provocada por um esforço físico demasiado violento.

Enjoos, vómitos e perda de apetite

Referimos no ponto sobre a fadiga que uma das suas causas era a acidose. No entanto, esta condição tem também outras consequências no organismo, entre os quais a perda de apetite. Em casos avançados de insuficiência renal, o paciente apresenta geralmente um hálito desagradável (Leia mais sobre mau hálito – Halitose), uma sensação de gosto metálico na boca e intolerância à carne, que leva também à perda de apetite, e consequentemente, ao emagrecimento. Em casos já terminais de doenças renais, podem ocorrer igualmente vómitos e enjoos matinais.

Acordar para urinar durante a noite

Há várias razões que podem levar a que o paciente acorde á noite para urinar. A origem mais comum deste sintoma são doenças relacionadas com a próstata (Conheça alguns Sintomas de Doenças da Próstata). No entanto, há também doenças nos rins que podem levar à ocorrência deste sintoma, especialmente a insuficiência renal crónica.

Com a evolução desta doença, os rins perdem tanto a capacidade de filtração, como de concentrar a urina, para ser excretada um número menor de vezes. Em casos avançados de insuficiência renal crónica, os pacientes perdem essa capacidade, tendo por isso de urinar mais vezes, obrigando-os a acordar durante a noite.

Dores nas costas

Este sintoma, tal como outros já aqui mencionados, é muito comum num grande conjunto de doenças, e até, simplesmente decorrentes de atividades do dia-a-dia. Como tal, a dor nas costas, isoladamente, não deve ser tomado como um sintoma que indique doença renal.

Contudo, se forem dores nas costas muito específicas, ou associadas a outros sintomas, devem levar o paciente a consultar um médico.

As doenças renais que poderão levar ao surgimento de dores nas costas são os cálculos renais, a infecção urinária, principalmente a pielonefrite(Saiba mais sobre Pielonefrite  – Tratamento, Causas, Sintomas e Diagnóstico) e a doença policística renal. Relativamente aos cálculos renais, a presença de pedras nos rins ou nas vias urinárias, provoca uma dor muito intensa nas costas, que pode propagar-se para a zona das virilhas.

Esta dor é realmente muito forte, e não têm qualquer relação com o movimento lombar. Quanto à doença policística renal, esta pode provocar dores nas costas derivado do aparecimento de cistos de grande dimensão, que comprimem os órgãos mais próximos.

Diminuição ou ausência de urina

Há várias origens para a diminuição significativa ou mesmo ausência de urina, sendo uma situação comum em doenças na próstata, obstrução das vias urinárias, e nalguns casos, também em glomerulonefrites associadas a insuficiência renal aguda.

Este tipo de condição, especialmente a interrupção do ato de urinar, ocorre também em pacientes a realizar hemodiálise de uma forma regular, após 1 ou 2 anos o seu início. A maioria dos pacientes a realizar hemodiálise, apesar da diminuição da quantidade de urina, mesmo assim ainda excreta um litro diariamente. No entanto, não pense que o contrário é sinal inequívoco de saúde renal.

Saiba mais sobre Hemodiálise – O Que é, e Como Funciona?.

Como já percebeu atrás, mesmo urinando em quantidades adequadas, há muitos sinais que apenas podem ser verificados através de testes laboratoriais. Sendo assim, não deixe de se preocupar com exames periódicos à sua urina apenas porque todos os aspetos observáveis parecem normais.

17. Outubro 2013 by admin
Categories: Nefrologia, Sintomas | 2 comments

Comentários no Forum (2)

  1. Eu sou diabético e levanto várias vezes na noite para urinar isso quer dizer que eu possa ter algum problema renal? se um exame de protinúria de 24 horas der um resultado de 313 é preocupante?

  2. após ter três vezes cólicas renais,fiz uma ultrassom que constou areia nos rins, porem segundo o medico a dois anos atrás, nada preocupante,porem ja alguns meses tenho tido muito cansaço,dor,coceira,leve feridas genitais como aftas,fiz todo tratamento ginecológico onde não foi encontrado nada,ai observei que após sair a urina pingava sangue,conclusão se bebo muito liquido vem o sangue apos o jato,se bebo pouco vem a dor nas costas e o termino da urina de cor branca que se concentra no fundo do vaso,todos os exames ate agora,não constarão nada,só sei que existe algo de errado com meus rins,o que poderia ser?

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Required fields are marked *