O fígado é um órgão que, além de diversas funções essenciais para o organismo, tem ainda a finalidade de metabolizar gorduras (triglicerídeos). Assim, é normal existir alguma quantidade de lípidos no fígado. Contudo, quando o fígado deixa de conseguir metabolizar devidamente a gordura, esta irá começar a acumular-se neste órgão.

Assim, quando o peso da gordura no fígado ultrapassa os 10% do peso total deste órgão, diz-se que estamos perante um caso de esteatose hepática. Leia o artigo principal sobre Gordura no fígado.

sintomas de gordura no fígado

Sintomas de gordura no fígado (esteatose hepática)

Inicialmente, sobretudo quando a sua evolução é lenta e gradual, a esteatose hepática, nesta fase classificada de leve, é uma doença assintomática, isto é, não provoca qualquer sintoma ou complicação. Por isso, é normal muitas pessoas nem sequer saberem que têm esta doença até bastante mais tarde.

Quando isto ocorre, uma acumulação de gordura prolongada no fígado, pode resultar em lesões hepáticas, altura em que aí sim, sintomas e complicações aparecem, já que as células hepáticas irão começar a inflamar. Chegada a esta fase, se esta condição clínica não for tratada, a esteatose hepática irá evoluir para uma situação de hepatite gordurosa, que se não for tratado a tempo, pode transformar-se numa cirrose. (Saiba mais sobre: Hepatite – Tipos, Virais (A, B, C, D, E, G), Tóxica e Auto Imune).

Apesar de geralmente esta doença evoluir de forma lenta e gradual, como descrita atrás, existem ainda situações em que ela aparece de forma rápida e súbita. Nesses casos, sintomas como os que vamos listar de seguida, que na situação anterior apenas apareceriam passado bastante tempo, irão manifestar-se muito mais rapidamente.

- Perda de apetite;
– Barriga inchada;
Dor abdominal na parte superior direita do abdómen (Leia: Dor Abdominal – Causas, Sintomas, Diagnóstico, Localização e Como Aliviar a Dor);
– Vómitos;
Dores de cabeça;
– Enjoos;
– Fadiga;
– Icterícia (os olhos e a pele ficam com uma cor amarelada);
Ascite (ocorre a acumulação de líquidos na cavidade do peritónio) (Leia: Ascite – O que é, Causas, Tratamento, Sintomas, Tipos e Exames de Diagnóstico);
– Hepatomegalia (o fígado aumenta de volume).

Quando ocorrem alguns destes sintomas em conjunto, deverá dirigir-se ao seu médico. Este irá fazer um diagnóstico, complementado com vários exames, e se a doença se confirmar, irá então definir um programa de tratamento.

Causas de gordura no fígado

O fígado gordo está geralmente associado á ingestão de álcool em excesso ou á síndrome metabólica (diabetes, hipertensão, obesidade e dislipidemia), mas também pode ser desencadeado devido a muitas outras causas como as listadas de seguida:

Causas Metabólicas: Abetalipoproteinemia (síndrome de Bassen-Kornzweig), glicogenose (doença do armazenamento de glicogênio), doença de Weber-Christian, esteatose hepática aguda da gravidez, lipodistrofia.

Causas Nutricionais: Desnutrição, nutrição parenteral total, perda de peso excessiva, síndrome de realimentação, desvio jejunoileal, bypass gástrico, diverticulose jejunal com supercrescimento bacteriano.

Drogas e toxinas: Amiodarona (fármaco do grupo dos Antiarrítmicos), metotrexato, diltiazem, tetraciclina, terapia anti-retroviral altamente ativa, glicocorticóides, tamoxifeno, hepatotoxinas ambientais (por exemplo, fósforo, envenenamento por cogumelos).

Outras causas: doença inflamatória intestinal (DII), o HIV, vírus da hepatite C (especialmente genótipo 3), e Deficiência de alfa-1-antitripsina. Para obter informações mais detalhadas sobre as suas causas leia o artigo O Que Causa Gordura no Fígado.

Alimentação

Conheça uma breve lista de alimentos saudáveis para o fígado no artigo: Dieta para Gordura no Fígado.