Tensão pré-menstrual (TPM) – Sintomas, Causas, Diagnóstico e Tratamento da TPM

A síndrome de Tensão Pré-Menstrual, comummente chamada de TPM, é um conjunto de manifestações comportamentais e físicas, que acontecem durante o período, mais propriamente na segunda metade do ciclo menstrual.

foto de mulher com tpm

A TPM é assim um distúrbio neuropsicoendócrino, que irá influenciar negativamente o dia-a-dia da mulher em variados aspetos. Assim, a TPM irá afetar a mulher a nível psicológico e biológico, e consequentemente, a nível social. Há ainda o Transtorno disfórico, desordem disfórica pré-menstrual (TDPM), que é a manifestação mais grave de TPM (quando os sintomas desta são agudos).

(Leia: Transtorno disfórico pré-menstrual (TDPM)).

Na TDPM os sintomas são muito intensos, sendo a variante de TPM onde as consequências sociais e profissionais são maiores, devido à facilidade com que entra em conflitos e tem comportamentos explosivos e crises de ansiedade. Neste artigo iremos tentar explicar as possíveis causas, os sintomas, e ainda, como tratar a síndrome de Tensão Pré-Menstrual.

Causas

Não existe ainda uma razão que explique o porquê de ocorrer a Tensão pré-menstrual. Atualmente acredita-se que seja a função fisiológica do ovário a iniciar todo o processo. As hormonas produzidas nos ovários na segunda fase da menstruação irão interagir com os neurotransmissores do sistema nervoso central, responsáveis pelo controlo das emoções e do humor.

Estes neurotransmissores são a endorfina e a serotonina. Contudo, apesar de todos os ovários terem a mesma atuação, na realidade, nem todas as mulheres sofrem de TPM. Ou seja, ainda não existe uma explicação para o facto de algumas mulheres apresentarem diversos sintomas relacionados com a interação de hormonas, e outras, não.

Poderia pensar-se que a produção de hormonas seria diferente de mulher para mulher, mas estudos já realizados mostram que não existe essa relação. A teoria mais em voga atualmente defende que a razão dessa diferença esteja no facto de algumas mulheres terem uma sensibilidade a essas interações maior que outras, e como tal, apresentam sintomas que outras não têm.

Diagnóstico

Com apenas um dos seguintes sintomas, já se pode diagnosticar TPM (Hargrove e Abraham, 1982), no entanto, é preciso pelo menos 5 deles para diagnosticar a PMDD.

Sintomas da TPM

De seguida vamos apresentar os diversos sintomas da Tensão pré-menstrual, que normalmente aparecem 5 a 10 dias antes de vir o período menstrual, prolongando-se por esse tempo. Começaremos por listar os sintomas mais comuns, tanto físicos como psicológicos, e por fim, apresentaremos ainda os sintomas da TDPM (desordem disfórica pré-menstrual).

Sintomas Físicos

De seguida, temos os vários sintomas físicos provocados pela TPM. Esta síndrome apresenta muitas manifestações físicas, entre as quais destacamos as seguintes:

– Náuseas;
– Vómitos;
– Cefaleias (dores de cabeça);
– Desmaios;
– Sono;
– Inchaço na zona abdominal;
– Prisão de ventre;
– Dor na zona abdominal;
– Inchaço nas pernas;
– Redução do apetite sexual;
– Diarreia;
– Palpitações;
– Aumento ou diminuição do apetite;
– Acne ou agravamento de problemas já existentes na pele;
– Sensação de zumbido;
– Contrações musculares;
– Descoordenação motora;
– Dor nos seios;
– Aumento de peso;
– Aumento da predisposição a infeções e alergias;
– Cólicas

Sintomas Psicológicos

De seguida apresentamos os vários sintomas psicológicos que se manifestam durante a TPM:

– Sensibilidade emocional muito alta;
– Agitação;
– Raiva;
– Insónias;
– Irritabilidade;
– Autoestima baixa;
– Ataques de choro;
– Dificuldades de atenção e concentração;
– Apatia;
– Depressão;
– Fadiga;
– Nervosismo;
– Ansiedade
– Instabilidade emocional
– Letargia

Por fim, apresentamos os sintomas comuns da TDPM, a forma mais grave da síndrome de Tensão Pré-Menstrual. É importante referir que a juntar a estes sintomas, a mulher que sofre de TDPM ainda tem todos os sintomas físicos apresentados atrás.

– Irritabilidade;
– Ataques de fúria;
– Mau humor persistente;
– Fadiga;
– Insónias;
– Ansiedade e angústia;
– Depressão.

Tratamento

O tratamento da TPM varia de acordo com a gravidade dos sintomas manifestados, e geralmente comporta várias vertentes. Assim, a resposta adequada para as mulheres que sofrem de TPM, será um conjunto de medidas, entre as quais um tratamento medicamentoso, mas também, alterações nos hábitos alimentares e comportamentais.

A terapêutica medicamentosa é especialmente indicada para os casos de TPM onde os sintomas se façam sentir de forma mais intensa. Nestes casos, os fármacos normalmente prescritos são os antidepressivos, para mulheres que apresentam esse sintoma, e também uma pílula de uso continuado, que irá provocar a paragem da menstruação. Para os casos menos graves, juntamente com a toma de um anticoncecional normal (Leia: Anticoncepcionais  –  Interações e Efeitos com Outros Medicamentos), há também um conjunto de hábitos que a serem seguidos, melhoram imenso o quadro de sintomas:

– Exercício físico moderado e regular (pelo menos 3 vezes por semana);
– Alterações na dieta (menos sal, gordura, cafeína e açúcar, aumento de ingestão de fontes de cálcio e de magnésio);
– Comer mais vezes, em quantidades mais pequenas;
– Parar de fumar e reduzir o consumo de álcool;
– Exercícios de relaxamento para controlar o estresse.