Tratamentos Caseiros Para Varizes

A palavra “varicosas” provém do latim “varix”, que significa “tortuosas”. As veias varicosas (varizes) são veias largas, tortuosas, normalmente com um tom azul-roxo. As pequenas válvulas das veias, de um só sentido, asseguram a circulação sanguínea em direção ao coração. Em algumas pessoas, estas válvulas enfraquecem e o sangue acumula-se nas veias, levando ao seu alargamento.

As varizes são mais comuns nas pernas, porque as veias das pernas têm de trabalhar contra a gravidade. Estar de pé por exemplo, aumenta a pressão sobre as veias das pernas. As varizes são uma condição bastante comum em Portugal. Cerca de 25% das mulheres e 15% dos homens sofre de veias varicosas.

Tratamentos Caseiros Para Varizes

Estes são alguns dos tratamentos naturais que têm sido aplicados nas varizes. Acredita-se que muitos atuam fortalecendo as veias, reduzindo assim possíveis fugas de líquidos das paredes dos vasos sanguíneos.

Extrato de Castanha da Índia

A castanha da Índia (Aesculus hippocastanum) é um dos tratamentos naturais mais usado para tratar varizes nas pernas e insuficiência venosa crónica, uma condição relacionada com esta. O constituinte ativo da castanha da Índia é um composto chamado escina ou (aescina). Parece que a escina bloqueia a libertação de enzimas que danificam as paredes dos capilares sanguíneos.

Em 2006, investigadores em parceria com a Cochrane Collaboration reviram estudos envolvendo a toma oral de extrato de castanha da Índia e placebos em pessoas com insuficiência crónica venosa. Os investigadores descobriram uma melhoria dos sinais e sintomas da insuficiência venosa crónica com a toma do extrato de castanha da Índia quando comparado com o placebo. O extrato de castanha da Índia levou a uma redução significativa das dores nas pernas e inchaço quando comparado com o placebo.

Os efeitos adversos são infrequentes e normalmente leves. Os investigadores concluíram que o extrato de castanha da Índia é um tratamento de curto prazo eficaz e seguro para tratar a insuficiência venosa crónica. No entanto, nenhum dos estudos avaliou se o extrato poderia reduzir o aspeto das veias varicosas.

As sementes da Castanha da Índia não são consideradas segura pela FDA e podem dar origem a náuseas, vómito, diarreia, dores de cabeça, convulsões, falência circulatória e respiratória, ou mesmo morte. Chá, folhas, frutos secos e outras formas cruas da planta castanha da Índia também devem ser evitadas.

Extratos de Grainha de Uva e Casca de Pinheiro

Tanto o extrato da grainha da uva (Vitis Vinífera) como o extrato da casca de pinheiro (Pinus Marítima) contêm proantocianidinas oligoméricas complexas (POCs), antioxidantes que parecem fortalecer os tecidos conjuntivos dos vasos sanguíneos e reduzir a inflamação.

Estudos sugerem que as proantocianidinas oligoméricas complexas ajudam as pessoas com varizes. O extrato de grainha da uva não deve ser confundido com o extrato de grainha de toranja. Os efeitos secundários mais comuns são queixas digestivas como náuseas e dores de estômago.

As pessoas com doenças autoimunes, como artrite reumatoide, esclerose múltipla, e doença de Crohn, não devem tomar extratos de grainha de uva e casca de pinheiro, a não ser sob supervisão médica devido aos seus efeitos no sistema imunitário. A segurança do extrato de grainha de uva e da casca de pinheiro não está comprovada em mulheres grávidas, mulheres a amamentar ou em crianças.

Os extratos de grainha de uva e casca de pinheiro não devem ser combinados com outras medicações que suprimam o sistema imunitário ou com corticosteroides, a não ser sob supervisão médica.

Gilbardeira

Planta da família dos lírios, a gilbardeira (Ruscus Aculeatus L) também conhecida por erva dos vasculhos ou pica rato. Contém ruscogeninas, constituintes que pensa-se que fortalecem o colagénio presente nas paredes dos vasos sanguíneos e melhoram a circulação. Pensa-se que leva à retração dos vasos sanguíneos fracos e alongados como os associados às veias varicosas.

Os efeitos secundários da gilbardeira podem incluir queixas digestivas como indigestão ou náuseas. As pessoas com tensão arterial elevada ou hiperplasia benigna da próstata não devem tomar gilbardeira sem falar com o médico. A segurança da gilbardeira não está comprovada em mulheres grávidas, mulheres a amamentar ou em crianças.

A gilbardeira não deve ser tomada em conjunto com medicação para a hipertensão arterial, hiperplasia benigna da próstata, ou Antidepressivos Inibidores da monoamina oxidase (IMAO) sem supervisão médica.

Reflexologia

A reflexologia é uma forma de trabalhar o corpo que se foca nos pés. Um pequeno estudo comparou a reflexologia com o descanso em 55 mulheres grávidas, e a reflexologia reduziu significativamente o inchaço nas pernas.

As mulheres grávidas devem consultar o seu médico antes de fazer uso da reflexologia. Algumas fontes dizem que a reflexologia não deve ser feita durante o primeiro trimestre da gravidez.

O Que Provoca Varizes?

  • Alterações hormonais durante a gravidez e menopausa.
  • Excesso de peso que provoca um aumento da pressão nas veias.
  • Estar sentada/o ou de pé por longos períodos restringe a circulação e coloca pressão extra sobre as veias.
  • Obstipação crónica.
  • Genética.
  • Envelhecimento.

No entanto, em algumas pessoas, as veias varicosas podem ser um problema estético, em outras, podem provocar inchaço e uma vontade de coçar desconfortável, pernas pesadas, dor nas pernas, ou ser um sinal de doença cardíaca ou problemas circulatórios. Se não forem tratadas, as varizes podem dar origem a complicações sérias como flebite (inflamação das veias), úlceras na pele e coágulos sanguíneos.

Em qualquer altura, se as veias ficarem inchadas, vermelhas e quentes ao toque, ou se houver alguma ferida, úlcera ou corte próximo da veia varicosa, fale com o seu médico.

» Conheça outros Tratamentos Naturais para Varizes.

veias varicosas